Fotos

6 dicas do engraxate que virou empresário

“Muita coragem e muito trabalho” são as principais dicas que podemos tirar da trajetória de sucesso do empreendedor Celso Silva, 60 anos, que trabalha desde os seis. Nascido em São José do Rio Preto, ele teve de começar cedo para ajudar a família, que sempre passou por grandes dificuldades financeiras. Com a mãe costureira e o pai pintor de parede, Silva fazia bicos, como engraxar sapatos. Aos 18 anos, ele entrou no ramo em que trabalha até hoje: segmento ótico.

MAIS DICAS: 4 dicas de um dos idealizadores da SmartFit para ter um negócio de sucesso

De degrau em degrau, conquistou espaço na empresa, mas ele queria mais. Aos 29 anos, Silva decidiu arriscar em um negócio próprio: uma fábrica de armações de óculos. Na década de 90, abriu seu primeiro varejo e, atualmente, tem duas marcas: a Ocularium, para classes A e B, e o Mercadão do Óculos, focado no público C e D. Em 2014, a loja popular do empreendedor chegou a 40 unidades e teve faturamento de R$ 6 milhões.

Veja na galeria de fotos 6 dicas que podemos aprender com o ex-engraxate para ser um bom empreendedor:

  • Fique atento às oportunidades

    Silva trabalhava para a empresa ótica como representante de vendas e viajava para apresentar uma máquina para produzir lentes. Quando a companhia montou uma filial em São Paulo, Silva se mudou para assumir o cargo de gerente. Depois de algum tempo no ramo, o empreendedor percebeu algo que mudou sua carreira: um cliente compra apenas uma máquina e a usa por um longo período de tempo, enquanto óculos são comprados com muito mais frequência. Assim, o empreendedor começou a fazer armações para vender quando ia viajar.

  • Arrisque-se

    Para abrir sua própria fábrica de armações, Silva teve de vender seu carro e usar todas as economias. Seus esforços deram certo, as vendas tiveram sucesso e, depois de um tempo, o paulista conseguiu financiar um novo carro e recuperar o dinheiro investido.

  • Mantenha bons contatos

    Os contatos e amigos que Silva tem até hoje no ramo ótico são aqueles que conheceu durante o período em que trabalhava como representante de vendas. “Me ajuda até hoje, tenho muitos amigos daquela época”, conta.

  • Trabalhe duro

    Para ajudar a família, Silva teve de começar a trabalhar muito cedo. “Era uma questão de sobrevivência, adquiri muita experiência, aprendi mais cedo e a responsabilidade veio antes”, conta o empreendedor. Celso era o irmão mais novo, mas o que mais trabalhava. “Fiz tudo sozinho, não tinha quem me ajudasse. Meus pais e irmãos não tinham condições de me ajudar, ninguém nunca me emprestou dinheiro”, afirma o paulista.

  • Inove

    No começo Silva só tinha a fábrica e estava bem com ela, quando surgiu a oportunidade de comprar um espaço em um shopping em São José do Rio Preto. Mesmo sem ter tanta experiência no varejo, o empreendedor resolveu inovar nos negócios e criar sua primeira loja fixa, a Ocularium Ótica, com foco nos públicos A e B. Ainda não satisfeito, Silva criou outra loja, o Mercadão do Óculos, mas com foco diferente: pessoas da classe C e D.

  • Não se acomode

    Estar bem nos negócios não significa que Silva tenha diminuído o ritmo em algum momento. “Sempre gostei muito de trabalhar, até hoje eu trabalho muito”, conta.

Fique atento às oportunidades

Silva trabalhava para a empresa ótica como representante de vendas e viajava para apresentar uma máquina para produzir lentes. Quando a companhia montou uma filial em São Paulo, Silva se mudou para assumir o cargo de gerente. Depois de algum tempo no ramo, o empreendedor percebeu algo que mudou sua carreira: um cliente compra apenas uma máquina e a usa por um longo período de tempo, enquanto óculos são comprados com muito mais frequência. Assim, o empreendedor começou a fazer armações para vender quando ia viajar.

Comentários
Topo