Fotos

Dassault festeja Falcon 7X no Brasil, em jantar comandado por Erick Jacquin

A Labace 2015, principal feira de aviação executiva do país, começou sua 12ª edição anual ontem (11) com um grande evento: a Dassault Falcon, uma das principais fabricantes de jato de luxo no mundo, trouxe o imponente modelo Falcon 7X, capaz de voar de São Paulo a Paris sem escalas, para exibição. Para a ocasião, promoveu um jantar, a bordo das aeronaves 7X e 2000S, comandado pelo chef francês Erick Jacquin, jurado da versão brasileira do programa “Masterchef Brasil”, exibido pela Band.

VEJA TAMBÉM: Dassault apresenta Falcon 5X em Bordeaux

Presente no evento, Jean Rosanvallon, presidente e CEO da Dassault Falcon, conta que o país é um grande mercado para a marca. “O Brasil tem uma forte cultura de aviação”, explica ele. “Nós vendemos o primeiro modelo no país em 1997, um Falcon 10. Desde então, há 50 Falcons em solo brasileiro.”

Dos 50, 15 são do modelo 7X, exibido no evento. A versão é cercada de números que impressionam. Com uma autonomia de 11.020 km, é possível voar de São Paulo a Paris ou de Fortaleza a Dubai, por exemplo, sem escalas. Três motores Pratt & Whitney Canada PW307A turbinam o modelo e o colocam em uma altitude certificada de mais de 15.500 m.

Mas não é só o desempenho que impressiona. Internamente, o jato tem uma cabine com quase 12 m de comprimento, 2,34 m de largura e de 1,88 m de altura. Além disso, o 7X é referência por sua tecnologia: é o primeiro jato executivo do mundo com controle de voo digital (Fly-by-Wire).

Economia é outro forte do modelo: consome de 15% a 30% menos que outros de sua categoria, o que pode representar uma economia de US$ 5 milhões em custos operacionais diretos em seis anos.

MAIS AVIAÇÃO: Rimowa lança réplica do primeiro avião de alumínio do mundo

Ao lado do carro-chefe da marca, o Falcon 8X, o modelo se encaixa bem no perfil do executivo brasileiro. “O Brasil é um país com muitos lugares de difícil acesso pelas vias convencionais, por isso, um jato como o Falcon permite chegar a mais locais”, explica Rodrigo Pessoa, diretor-sênior de vendas da marca na América Latina. Segundo ele, dois modelos do 8X, que voa de São Paulo a Moscou sem escalas, já foram vendidos no país e devem ser entregues no final de 2016.

Outro modelo exibido é o Falcon 2000S. Segunda a empresa, este pequeno jato representa o melhor custo-benefício do segmento. Sua autonomia de 6.200 km leva de São Paulo a Cabo Verde, por exemplo.

Uma maquete do 5X, apresentado na França em junho e que, segundo Pessoa, deverá fazer seu primeiro voo nos próximos meses, aumentou as expectativas em torno do modelo. “Ele colocará a aviação executiva em outro patamar”, afirma Rosanvallon. Além disso, o diretor de vendas conta ainda que já há possíveis compradores no Brasil.

Veja na galeria de fotos mais detalhes dos aviões Dassault Falcon e do jantar a bordo do 7X comandado pelo renomado chef francês Erick Jacquin:

  • A Dassault Falcon estreou na Labace 2015 com a exibição do Falcon 7X em um jantar a bordo da aeronave comandado pelo chef Erick Jacquin, jurado do “Masterchef Brasil”.

  • O presidente e CEO da Dassult Falcon, Jean Rosanvallon, recebeu os convidados do jantar.

  • Chef Erick Jacquin, grande responsável pelo jantar da noite

  • As atenções, no entanto, foram voltadas ao Falcon 7X. Com envergadura de mais de 26 m, sua autonomia é impressionante.

    O alcande de pouco mais de 11.000 km permite voos como São Paulo – Paris, Rio de Janeiro – Londres ou Fortaleza – Dubai sem escalas.

  • O 7X é referência por sua tecnologia: é o primeiro jato executivo do mundo com controle de voo digital (Fly-by-Wire).

  • Segundo Pessoa, o Brasil é, há pelo menos dez anos, um dos cinco mercados mais importantes para a Dassult Falcon no mundo. Hoje, há 50 jatos da marca em operação no país, 15 são 7X.

  • Três motores Pratt & Whitney Canada PW307A turbinam o modelo e o colocam em uma altitude certificada de mais de 15.500 m em uma velocidade máxima de 685 km/h.

  • Internamente, o jato tem uma cabine com o comprimento de quase 12 m, largura de 2,34 m e altura de 1,88 m.

  • Com espaço para oito passageiros e três tripulantes, o Falcon 7X economiza combustível. O modelo consome de 15% a 30% menos que outros de sua categoria, o que pode representar uma economia de US$ 5 milhões em custos operacionais diretos em seis anos.

  • Outro modelo exibido é o Falcon 2000S. Segunda a empresa, este pequeno jato representa o melhor custo-benefício do segmento. Sua autonomia de 6.200 km leva de São Paulo a Cabo Verde, sem escalas.

  • Uma maquete do 5X, apresentado na França em junho e que, segundo Pessoa, deverá fazer seu primeiro voo nos próximos meses, aumentou as expetativas em torno do modelo. “Ele colocará a aviação executiva em outro patamar”, afirma Rosanvallon.

  • Ao ver tantas vantagens, como espaço para 16 passageiros e autonomia de quase 10.000 km, o preço de US$ 45 milhões é apenas um detalhe. O primeiro modelo do 5X deve fazer seu voo nos próximos meses e, segundo Rodrigo Pessoa, já há possíveis compradores no Brasil.

  • Rodrigo Pessoa, diretor-sênior de vendas na América Latina, e o CEO, Jean Rosanvallon, agradecem a presença dos convidados.

  • O trio que comandou a noite: Rodrigo Pessoa; o CEO, Jean Rosanvallon; e o chef Erick Jacquin.

  • Os compatriotas Jean Rosanvallon e Erick Jacquin.

  • Jean Rosanvallon, Antonio Camarotti, CEO de FORBES Brasil, e Rodrigo Pessoa jantam a bordo do imponente Falcon 7X.

A Dassault Falcon estreou na Labace 2015 com a exibição do Falcon 7X em um jantar a bordo da aeronave comandado pelo chef Erick Jacquin, jurado do “Masterchef Brasil”.

Comentários
Topo