Fotos

Três regras que precisam ser quebradas durante a procura por emprego

Desde criança somos ensinados a cumprir ordens e a seguir normas impostas pela sociedade na qual vivemos, mas, atualmente, esse cumprimento constante de regras vem sendo questionado por alguns profissionais da área de carreira, por não trazerem os benefícios esperados àqueles que seguem na procura por um emprego.

MAIS DICAS: Como descobrir o que você faz de errado ao procurar emprego

É certo que os seres humanos são adeptos a seguir hábitos e costumes, por se tratarem de padrões pré-estipulados e, portanto, mais simples de serem seguidos. Na hora de procurar por uma ocupação profissional, no entanto, a recomendação é que essas condutas sejam esquecidas e deem lugar às ações que buscam ir além da procura “tradicional” por trabalho.

Liz Ryan, CEO da Human Workplace, empresa norte-americana de recursos humanos, acredita que os aspectos da sociedade pós-moderna vêm enfraquecendo cada vez mais as práticas tradicionais de recrutamento nas empresas e recomenda que os profissionais à procura de um novo emprego estejam dispostos a quebrar três regras para chegar mais perto de conquistar um trabalho em suas áreas. Veja na galeria de fotos quais são elas e como fazer para superá-las:

  • “Crie um currículo que siga os padrões tradicionais”

    É importante manter em mente que o seu currículo é o primeiro contato que a empresa recrutadora terá com você. Ou seja, é ele que vai passar a imagem do tipo de pessoa e profissional com quem ela está lidando.

    No entanto, ao contrário do que muitas pessoas pensam, esse documento não deve manter o mesmo padrão para todas as vagas nas quais você se inscreve. Mesmo que tenham perfis semelhantes, as empresas possuem missões e valores diferentes, o que normalmente resulta na busca por profissionais com estilos e personalidades distintas.

    Além disso, o seu currículo não deve conter muitas informações sobre as suas características pessoais. É preciso que as suas experiências estudantis e profissionais mostrem, por si só, o tipo de profissional que você é.

    Procure elaborar um documento significativo e diferenciado que se destaque entre as demais opções de portfólios que a companhia recebe.

  • “Inscreva-se apenas para as vagas de emprego que estão sendo divulgadas”

    Muitas vezes, quem está à procura de um emprego pensa que as empresas só estão de portas abertas quando divulgam suas oportunidades ao público. No entanto, segundo Liz Ryan, esse nem sempre é o caminho mais adequado na procura por um trabalho, pois muitas empresas ainda não divulgam suas atividades de forma oficial.

    Além disso, a especialista acredita que, dependendo do candidato, as companhias podem analisar a possibilidade de contratação mesmo para vagas que não estejam em aberto. É claro que, para isso, deve se tratar de um profissional qualificado que se encaixe nos requisitos da empresa.

    O caminho, portanto, é investir frequentemente em buscas, ativar suas redes de contato para conseguir referências e divulgar suas competências da melhor forma possível.

  • “Foque nos requisitos da empresa e se adapte a eles”

    Se durante um processo de seleção determinada empresa se mostrar à procura de um profissional que se adapte aos valores e costumes da marca a todo custo, então, provavelmente, você está procurando emprego no lugar errado. É preciso saber mostrar aos empregadores que você saberá acompanhar a rotina de trabalho da empresa, mas deixe claro que ela também terá de se adaptar às suas demandas como profissional.

    Ou seja, procure não se mostrar totalmente disposto a preencher todos os requisitos da companhia, pois ela muitas vezes pode estar à procura de alguém mais independente e inovador, capaz de correr certos riscos pela corporação.

“Crie um currículo que siga os padrões tradicionais”

É importante manter em mente que o seu currículo é o primeiro contato que a empresa recrutadora terá com você. Ou seja, é ele que vai passar a imagem do tipo de pessoa e profissional com quem ela está lidando.

No entanto, ao contrário do que muitas pessoas pensam, esse documento não deve manter o mesmo padrão para todas as vagas nas quais você se inscreve. Mesmo que tenham perfis semelhantes, as empresas possuem missões e valores diferentes, o que normalmente resulta na busca por profissionais com estilos e personalidades distintas.

Além disso, o seu currículo não deve conter muitas informações sobre as suas características pessoais. É preciso que as suas experiências estudantis e profissionais mostrem, por si só, o tipo de profissional que você é.

Procure elaborar um documento significativo e diferenciado que se destaque entre as demais opções de portfólios que a companhia recebe.

Comentários
Topo