Fotos

8 ícones do futebol acusados de fraude fiscal

O futebol sempre é assunto no mundo todo. Tanto que os craques dos principais times internacionais, como Barcelona e Real Madrid, já entraram algumas vezes para a lista das maiores celebridades do planeta.

LISTA: 30 celebridades mais bem pagas do mundo

Com contratos e patrocínios que rendem ganhos milionários, alguns desses jogadores, além de famosos por suas carreiras no esporte, ganham destaque por serem investigados por fraudes fiscais e outros crimes tributários.

VEJA TAMBÉM: 15 times de futebol mais valiosos da América

Neymar, o caso mais recente, teve R$ 188,8 milhões bloqueados pela Justiça Federal, referentes à acusação de sonegação de impostos entre os anos de 2011 e 2013.

LEIA MAIS: 15 jogadores de futebol mais bem pagos do mundo em 2015

Os argentinos Lionel Messi e Diego Maradona também aparecem entre as 8 personalidades do futebol acusadas de fraude fiscal.

Veja na galeria de fotos a lista completa:

  • Lionel Messi

    Em 2014, o Tribunal de Justiça de Barcelona confirmou que Messi e seu pai, Jorge Horacio, continuavam sob investigação de fraudes fiscais, pela suposta sonegação de, aproximadamente, € 4 milhões entre os anos de 2007 e 2009.

    Se condenado, o atleta poderá enfrentar uma multa de mais € 24 milhões e cerca de cinco de prisão.

    Com ganhos que somam US$ 74 milhões no ano passado, Messi aparece na 13° colocação no ranking das 100 maiores celebridades de 2015 e em 4° lugar na lista de atletas mais bem pagos do mesmo período.

  • Neymar

    No início do segundo semestre deste ano, a Justiça Federal brasileira determinou o bloqueio de R$ 188,8 milhões do jogador e de empresas ligadas ao atleta. Do montante, R$ 63,5 milhões se referem à sonegação de impostos entre 2011 e 2013, e o restante, a multas e juros.

    Neste ano, Neymar também entrou para a lista das 100 maiores celebridades de 2015 e para o ranking dos atletas mais bem pagos do mundo, com um salário de US$ 14 milhões e ganhos com patrocínios de US$ 17 milhões.

  • Xabi Alonso

    Há alguns anos, o volante espanhol vêm sendo investigado pelo governo da Espanha por fraude fiscal e, recentemente, foi acusado de não declarar ganhos relacionados a direitos de imagem entre 2010 e 2012.

    De acordo com dados da investigação, o jogador usava empresas em território estrangeiro para sonegar seus impostos.

    Em 2004, o atleta assinou um contrato de £10,5 milhões com o time inglês Liverpool e cinco anos depois passou a jogar no Real Madrid, ao receber uma oferta de £30 milhões. No ano passado, Alonso fechou um acordo com a equipe alemã Bayern de Munique, na qual permanece até hoje.

  • Javier Mascherano

    O atleta argentino, que atualmente joga no Barcelona e na seleção da Argentina, recentemente, passou a ser investigado pelas autoridades fiscais espanholas por dois crimes de fraude, que podem render multa ao jogador de aproximadamente € 1,5 milhão, mais juros, calculados em cerca de € 200.000.

    Mascherano, que trocou o Liverpool pelo Barcelona em 2010, supostamente ocultou seus ganhos com direito de imagem, ao usar empresas norte-americanas e portugueses como “paraísos fiscais” para sonegar impostos.

    Segundo dados da investigação, o jogador de 31 anos é acusado de fraudar cerca de € 600.000 em 2011 e aproximadamente € 960.000 em 2012.

    Em 2014, Mascherano renovou seu contrato com o Barcelona por mais quatro anos, com um acordo calculado em € 100 milhões.

  • Uli Hoeness

    Há alguns anos, o antigo jogador alemão e ex-presidente do Bayer de Munique foi sentenciado a 3 anos e meio de cadeia, após ser acusado por fraude fiscal no valor de aproximadamente € 27,2 milhões, depositados em contas secretas na Suíça.

    O ex-atleta e campeão do mundo pela Alemanha em 1974 era considerado uma das figuras mais populares do futebol alemão até o ano passado, quando passou a cumprir pena de prisão por crime fiscal.

  • Diego Maradona

    Em 2013, o legendário craque do futebol argentino teve seus bens bloqueados na Itália ao ser acusado de possuir uma dívida calculada em cerca de US$ 53 milhões em impostos, da época em que jogava para o time italiano Calcio Napoli, entre 1984 e 1991.

    Maradona, também conhecido por seus fãs como “o Garoto de Ouro”, já jogou para diversos times nacionais e internacionais, mas se tornou conhecido por sua atuação na seleção da Argentina e no Napoli, onde conquistou dois títulos do campeonato italiano.

  • Barcelona F.C

    No começo do ano, uma investigação feita por uma corte da Espanha revelou que o time espanhol, juntamente ao atual e antigo presidentes do clube, Josep Bartomeu e Alexandre Rosell, respectivamente, estava envolvido em fraudes fiscais a partir da suspeita de apropriação indevida na transferência de Neymar à equipe espanhola.

    Atualmente, o clube está avaliado em US$ 3,16 bilhões e aparece no ranking de FORBES como o segundo time de futebol mais valioso do mundo.

  • Chuck Blazer

    Com 70 anos de idade, o ex-integrante do Comitê Executivo da Federação Internacional de Futebol, da Concacaf e da Federação de Futebol dos Estados Unidos foi acusado por suborno, fraude fiscal, lavagem de dinheiro e outros crimes tributários que envolviam a FIFA.

    As acusações alegam que, desde 1991, o executivo, com a colaboração de outros réus envolvidos em esquemas de corrupção, recebeu cerca de US$ 150 milhões em propinas e outros delitos fiscais.

    Recentemente, Blazer foi sentenciado a um total de 35 anos na prisão, por crimes que envolvem sonegação de impostos, evasão fiscal e lavagem de dinheiro.

Lionel Messi

Em 2014, o Tribunal de Justiça de Barcelona confirmou que Messi e seu pai, Jorge Horacio, continuavam sob investigação de fraudes fiscais, pela suposta sonegação de, aproximadamente, € 4 milhões entre os anos de 2007 e 2009.

Se condenado, o atleta poderá enfrentar uma multa de mais € 24 milhões e cerca de cinco de prisão.

Com ganhos que somam US$ 74 milhões no ano passado, Messi aparece na 13° colocação no ranking das 100 maiores celebridades de 2015 e em 4° lugar na lista de atletas mais bem pagos do mesmo período.

Comentários
Topo