Fotos

8 regras para a hora de procurar emprego

A maioria dos profissionais à procura de um emprego sabe como é difícil se destacar entre tantos candidatos de um processo seletivo. Por isso, muitos deles acabam apostando em estratégias ruins, como se inscrever em qualquer oportunidade ou adotar discursos errados durante as entrevistas.

MAIS DICAS: Como procurar um novo trabalho enquanto se está empregado

Bill Ellermeyer, palestrante, ex-executivo e coach do setor de recursos humanos, é especialista na área de “transição de carreiras” para pessoas que perderam o emprego e estão em busca de novas oportunidades profissionais. Após três décadas de experiência na área de comunicação interna empresarial, ele criou oito regras para ajudar profissionais na procura por trabalho. Veja:

  • Pare de procurar por qualquer trabalho

    Muitas pessoas desempregadas pensam que a procura por um novo trabalho se resume em enviar currículos e preencher diversos formulários de empresas. No entanto, é recomendado que antes de se inscrever para novas vagas é preciso avaliar com cuidado cada uma das oportunidades.

    Segundo Bill Ellermeyer, o único momento em que você deve considerar enviar o seu currículo a alguém é quando você realmente acredita que determinada oportunidade seja compatível com o tipo de profissão que você procura. “Se você envia 500 currículos para companhias, amigos e familiares, ninguém irá se esforçar para te ajudar”, afirma.

  • Não gaste tanto tempo com detalhes no currículo

    É claro que na busca por um emprego é preciso ter um currículo bem elaborado em mãos, mas lembre-se que atualmente muitos recrutadores dão mais valor ao seu perfil nas redes sociais e ao histórico básico da sua carreira do que aos pequenos detalhes da sua carta de apresentação.

    “Elabore um currículo simples e sucinto. Ele não deve passar de duas páginas”, recomenda Ellermeyer.

  • Evite discursos longos

    É muito raro encontrar quem goste de ouvir longos discursos sobre a trajetória profissional de uma pessoa, nem mesmo quando se trata de recrutadores em busca de um novo funcionário. “Depois de 20 segundos o entrevistador começa a desconsiderar a maioria das coisas que você fala”, diz Ellermeyer.

    Para o especialista é preciso substituir “discursos prontos” por histórias interessantes sobre algum acontecimento importante na sua trajetória profissional e estudantil. “Para atrair a atenção de um recrutador, invista em contos curtos e bem-humorados”, sugere.

  • Não fale tanto sobre você

    Em vez de conduzir uma conversa sobre os últimos acontecimentos da sua vida pessoal, procure abrir espaço para escutar os outros.

    Para Ellermeyer, é preciso se mostrar curioso sobre o que acontece na vida de terceiros e não apenas falar sobre você. “Muita gente pensa que para criar relações profissionais é preciso se gabar sobre as próprias conquistas, mas escutar o que o outro tem a dizer é capaz de passar uma imagem ainda melhor sobre você”, afirma.

  • Não vá a eventos de “networking”

    Networking é uma expressão que faz referência à habilidade de alguém em construir, manter e ampliar redes de contato. Porém, quando se trata de pessoas em busca de um novo emprego é preciso tomar certos cuidados para não perder tempo indo a eventos para se relacionar com pessoas que você mal conhece.

    Ellermeyer sugere que você crie o seu próprio grupo de contatos para ampliar relações profissionais e, além disso, promova encontros presenciais com essas pessoas. “Evite criar redes virtuais de networking. Procure conversar com as pessoas cara a cara”, diz.

  • Descanse

    O processo de procurar por um novo emprego pode ser muito estressante, especialmente quando você é recusado com frequência pelas empresas.

    Sabendo disso, Ellermeyer recomenda que, entre um processo de seleção e outro, você faça pausas e tente relaxar, para que o cansaço e o estresse não afetem sua disposição para as próximas entrevistas. “Um ou dois dias de descanso podem fazer toda a diferença”, diz.

  • Não diga que você está desempregado

    Ao invés de se apresentar como alguém que está sem emprego, comece a distribuir cartões de visitas para possíveis interessados no seu serviço.

    “Lembre-se que você não está desempregado, mas sim apenas entre um trabalho e outro”, afirma Ellermeyer.

  • Evite os “caça-talentos”

    Aqueles que se denominam de “caça-talentos”, normalmente, trabalham somente em benefício das empresas e não dos empregados. Além disso, de acordo com Ellermeyer, esses profissionais raramente possuem boas oportunidades de trabalho.

    “Garanta que o seu currículo esteja nos bancos de contatos dessas pessoas, mas evite criar relações com elas. Caças-talentos costumam incomodar depois de certo tempo”, afirma o especialista.

Pare de procurar por qualquer trabalho

Muitas pessoas desempregadas pensam que a procura por um novo trabalho se resume em enviar currículos e preencher diversos formulários de empresas. No entanto, é recomendado que antes de se inscrever para novas vagas é preciso avaliar com cuidado cada uma das oportunidades.

Segundo Bill Ellermeyer, o único momento em que você deve considerar enviar o seu currículo a alguém é quando você realmente acredita que determinada oportunidade seja compatível com o tipo de profissão que você procura. “Se você envia 500 currículos para companhias, amigos e familiares, ninguém irá se esforçar para te ajudar”, afirma.

Comentários
Topo