Fotos

9 carimbos que você precisa ter em seu passaporte

Colecionar souvenirs de todos os países que você visitou pode ser uma boa maneira de ostentar suas viagens. Porém, todo viajante sabe que nada supera todos aqueles carimbos de entrada e saída que coleciona em seu passaporte.

LEIA TAMBÉM: Casal economiza US$ 40 mil em dois anos para viajar ao redor do mundo

No entanto, o legal mesmo vai além dos carimbos convencionais de entrada e saída. Há muitos carimbos não usuais para buscar em suas viagens a microestados, marcos geográficos, terras inacessíveis e lugares históricos.

SAIBA MAIS: Como viajar com um orçamento restrito

Veja nove carimbos que você precisa ter em seu passaporte:

  • Checkpoint Charlie, Berlim, Alemanha

    Repleto de história e símbolos da Guerra Fria e de uma Europa dividida, Checkpoint Charlie, em Berlim, foi a passagem de fronteira mais conhecida entre a Berlim oriental e ocidental ao longo de seus 28 anos de atividade. Apesar de não estar mais em funcionamento, é possível adquirir um carimbo não oficial no museu Haus am Checkpoint Charlie, por algo entre £1 e £3.

  • República de San Marino

    A República de San Marino é um microestado sem litoral de apenas 60 km² de área (menor estado da Europa e quinto menor do mundo). Rodeado pela Itália por todos os lados, San Marino diz ser o último estado soberano e república constitucional existente. Cidadãos da União Europeia precisam pagar £2,5 para receber um carimbo em seu passaporte no centro de informações turísticas. Visitantes de fora da União Europeia terão seus passaportes automaticamente carimbados na entrada.

  • Cidade Metade do Mundo, Quito, Equador

    Localizada a 26 km ao norte de Quito, a Cidade Metade do Mundo é onde a linha do equador atravessa o país. Aparentemente, a linha passa exatamente onde o Museu Etnográfico está localizado, cerca de 240 metros ao norte de onde a linha está oficialmente marcada e onde o monumento piramidal está. Ambos os lugares têm permissão para carimbar seu passaporte, com preço incluso na taxa de entrada.

  • Coreia do Norte

    A Coreia do Norte é um dos países menos visitados do mundo. As dificuldades políticas e sociais para entrar em um país tão fechado e antidemocrático tornam o carimbo tão querido por viajantes, que devem reservar um tour pré-planejado com dois guias norte-coreanos para acompanhar. Os guias têm de ser especificamente escolhidos pelo Ministério do Turismo do país e o tour pode levar de seis a oito semanas para ser organizados. Os passaportes são carimbados na entrada.

  • Machu Picchu, Peru

    A maioria dos turistas no Peru quer visitar o Machu Picchu, uma das novas sete maravilhas do mundo. Ao entrar no Patrimônio Mundial da Unesco pelo famoso Caminho Inca, há uma oportunidade para carimbar seu passaporte (com preço incluso na taxa de entrada do parque). Caso você perca essa oportunidade, existe também um pequeno escritório dentro da entrada para as ruínas Incas onde você também pode pegar seu carimbo.

  • Llanfairpwllgwyngyllgogerychwyrndrobwllllantysilio-gogogoch, País de Gales, Reino Unido

    Essa grande vila no País de Gales é o lugar com o maior nome na Europa, com 58 caracteres, e o segundo maior nome oficial de uma palavra só do mundo. A loja James Pringle Weavers é uma das principais atrações turísticas de Llanfairpwll’s (apelido). Lá, você pode carimbar seu passaporte com todo o nome “Llanfairpwllgwyngyllgogerychwyrndrobwllllantysiliogogogoch”.

  • Antártida

    O continente mais ao sul do planeta e casa do Polo Sul é geralmente visitada pelos turistas através da Terra do Fogo chilena ou argentina. Alguns, porém, fazem a jornada épica saindo da Nova Zelândia ou da África do Sul. A Antártida é administrada por mais de 50 países através do Tratado da Antártida e, por isso, não existem carimbos de passaporte oficiais. No entanto, operadoras de turismo podem agendar visitas a estações científicas onde os visitantes podem ter seus passaportes carimbados. Há também um correio britânico histórico no Porto Lockroy onde carimbos estão disponíveis.

  • Groenlândia

    País autônomo da Dinamarca, a Groenlândia é, geograficamente, parte da América do Norte, mas, politicamente, parte da Europa, ainda que não faça parte da União Europeia. E tudo isso faz dele um país único. O status político e geográfico da Groenlândia, assim como o isolamento, as geleiras e o ar puro são o que torna esse carimbo especial.

  • Tristão da Cunha, sul do Oceano Atlântico

    Tristão da Cunha, no sul do Oceano Atlântico, fica a 2.434 km da ilha de Santa Helena, a 2.816 km da África do Sul e a 3.360 km da América do Sul. Com população aproximada de 270 pessoas, é, também, a ilha inabitada mais remota do mundo. Visitantes podem acessar a ilha apenas de barco, tornando-a o lugar inabitado mais remoto do mundo também em relação ao transporte. O aeroporto mais próximo está na África do Sul, de onde o acesso à ilha leva cinco dias de barco.

Checkpoint Charlie, Berlim, Alemanha

Repleto de história e símbolos da Guerra Fria e de uma Europa dividida, Checkpoint Charlie, em Berlim, foi a passagem de fronteira mais conhecida entre a Berlim oriental e ocidental ao longo de seus 28 anos de atividade. Apesar de não estar mais em funcionamento, é possível adquirir um carimbo não oficial no museu Haus am Checkpoint Charlie, por algo entre £1 e £3.

Comentários
Topo