Diamante é vendido por valor recorde de US$ 1,47 mi em leilão de Londres

Uma pedra colorida rara de uma das mais importantes coleções de joias do mundo foi vendida por quase cinco vezes o teto estimado durante o leilão da Bonhams London Fine Jewellery, na última quinta-feira (24/09), em Londres.

A Hope Spinel de 50,13 quilates foi vendida por US$ 1,47 milhão e superou facilmente os US$ 310.000 esperados. A joia estabeleceu um recorde mundial, já que atingiu a faixa de US$ 30.000 por quilate, quase o dobro do recorde anterior.

VEJA TAMBÉM: Cartier inaugura sua terceira (e maior) boutique no país

A peça octogonal pertencia ao banqueiro londrino Henry Philip Hope, cuja coleção de quase 700 pedras incluía o Hope Diamond (o diamante azul de 45.52 quilates que faz parte da coleção permanente do Museu de História Natural Nacional Smithsonian). Ele manteve a coleção até sua morte em 1839. Faz 98 anos que o Hope Spinel foi oferecido para venda pela primeira vez.

Diversas pedras coloridas e pérolas naturais estavam entre os melhores itens negociados no leilão. Veja algumas na galeria de fotos:

  • A que quebrou o recorde

    A pedra é um diamante rosa, rodeado de brilhantes, em uma base de prata e ouro. A joia pode ser usada como um broche ou pingente. “Era uma pedra preciosa excepcional com uma proveniência especial, que simplesmente não chega ao mercado com muita frequência e, quando chega, é muito requisitada”, disse Jean Ghika, diretor do Bonhams Jewelry na Europa.

    Baseado em sua cor e em seu tamanho, a pedra foi rastreada como sendo de uma das antigas minas Kuh-i-Lai, no Tajiquistão, onde foram encontradas diversas pedras raras. “Estas minas históricas são difíceis de alcançar geograficamente e, no século 20, não foram usadas por questões políticas”, explica Ghika.

  • Pérolas

    Um anel de pérola natural em formato circular, entre diamantes, foi vendido por US$ 315.537.

  • Conjunto de safira

    Um conjunto de colar, anel e brincos encrustados de safiras foi vendido por US$ 315.537. As pedras do colar são cortadas em formato oval, circundadas por diamantes cortados nos formatos pera e brilhante. Toda peça tem um tema floral. As três peças juntas têm um total de 128 quilates em safira e 84,8 quilates de diamantes.

  • Bracelete Suzanne Belperron

    Um bracelete de diamante “Torsade”, feito por Suzanne Belperron por volta de 1932, foi vendido por US$ 251.360. A joia consiste em uma série de diamantes em cortes diferentes, com um total aproximado de 20,7 quilates.

  • Bracelete Cartier

    Um bracelete no estilo Art Decó com diamantes “Tutti Frutti”, da Cartier (Nova York, 1929), foi vendido por US$ 700.599. A tira articulada é encrustada com esmeraldas, rubis e porcelana negra, em cima de um diamante de corte único. A peça tem um peso total de 10 quilates.

A que quebrou o recorde

A pedra é um diamante rosa, rodeado de brilhantes, em uma base de prata e ouro. A joia pode ser usada como um broche ou pingente. “Era uma pedra preciosa excepcional com uma proveniência especial, que simplesmente não chega ao mercado com muita frequência e, quando chega, é muito requisitada”, disse Jean Ghika, diretor do Bonhams Jewelry na Europa.

Baseado em sua cor e em seu tamanho, a pedra foi rastreada como sendo de uma das antigas minas Kuh-i-Lai, no Tajiquistão, onde foram encontradas diversas pedras raras. “Estas minas históricas são difíceis de alcançar geograficamente e, no século 20, não foram usadas por questões políticas”, explica Ghika.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).