Fotos

Como ser um chef de sucesso, por Jeremy Dupire, do restaurante mais badalado de Babardos

Muita gente sabe que o sucesso de grandes restaurantes se dá pela habilidade de seus cozinheiros, mas, segundo Jeremy Dupire, chef do restaurante mais badalado de Barbados, na região oriental do Caribe, é preciso mais do que isso para transformar uma refeição em um prato especial e diferenciado.

LISTA: 50 melhores bares do mundo em 2015

O charmoso The Cliff, com pratos que combinam as gastronomias francesa, tailandesa, caribenha e asiática, inaugurou em junho, como uma extensão do restaurante, o The Cliff Beach Club, lançado como uma espécie de brasserie, com pratos elaborados por Dupire. Apesar de recente, o local já atraiu pessoas de diversos lugares do mundo e, desde então, vem recebendo ótimas críticas.

MAIS: 8 melhores restaurantes brasileiros em 2015

Para quem aprecia o mundo da gastronomia, conhecer os segredos de alguns dos chefs mais renomados do mundo pode esclarecer muitas coisas sobre a forma com que eles encaram a gastronomia como um negócio e, ao mesmo tempo, uma paixão.

VEJA TAMBÉM: Uma semana para degustar 160 pratos de 20 regiões da Itália sem sair de São Paulo

A partir de um bate-papo com Jeremy Dupire, foi possível descobrir alguns dos motivos que transformaram o profissional em um chef renomado. Confira na galeria de fotos uma entrevista completa que mostra quais são eles:

  • FORBES: Explique o conceito do The Cliff Beach Club.

    Jeremy Dupire: Enquanto o The Cliff é um restaurante sofisticado, o Beach Club foi pensado como uma espécie de brasserie moderno, para atender a um público mais casual que está em busca de um ambiente mais informal para tomar um drink e se divertir com amigos.

  • F: Como são alguns do pratos que levam a sua assinatura?

    JD: Muitos de meus pratos são da culinária francesa, pelo fato de eu ser francês, mas também há muita influência da gastronomia mediterrânea neles. Toda semana, nós recebemos encomendas de um grande mercado de Paris, que fornece 80% de todos os nossos legumes, mas também usamos muitos produtos orgânicos locais para compor as nossas receitas, como peixes, frangos e verduras. Além disso, alguns dos meus principais pratos são preparados com frutos do mar e minhas sobremesas levam toques de sabores tropicais e orientais.

  • F: As receitas também tem bastante influência de Barbados, certo?

    JD: Sim, nós também cozinhamos com muitos produtos locais, como é caso dos nossos pratos com porco e peixe. Além disso, preparamos receitas típicas de Barbados, que podem levar atum, barracuda, polvo ou até mesmo carne de golfinho. Como eu sou novo na ilha, ainda estou aprendendo sobre a gastronomia da região, mas nós já servimos os famosos bolinhos de peixe daqui e usamos a pimenta Bajan, muito usada pelos caribenhos.

  • F: Conte um pouco sobre a sua experiência como chef.

    JD:Eu morei na Ilha francesa de Guadalupe por seis anos, depois me mudei para Gabon, na África, por mais quatro anos. Após essas experiências, eu abri um clube particular em Nice, na França, estudei gastronomia na cidade francesa de Marselha e, nesse mesmo país, lancei o meu próprio restaurante, o Le Why Not, em Avignon, que também gerou bons resultados para a minha carreira.

    A primeira vez que eu vim para Barbados foi no ano passado e, depois de passar algum tempo no luxuoso hotel caribenho Sandy Lane, eu me apaixonei pela região e decidi ficar. Vendi o meu restaurante na França e resolvi investir nesta nova experiência.

  • F: O que fez você se apaixonar por Barbados?

    JD: Especialmente, o clima, a cultura e os moradores locais, que se mostram muito interessados em aprender sobre a culinária francesa. Além disso, a vida noturna da cidade caribenha de Oistins, os peixes fritos servidos em restaurantes da região e os jogos de golfe de Barbados também são muito bons.

  • Você já fez planos para o festival gastronômico Food & Wine and Rum do próximo mês?

    JD: Eu definitivamente planejo preparar uma receita de pão orgânico para promover as panificadoras que trabalham com esse tipo de produto. Além disso, acredito que meus pratos levarão carnes de peixes, polvos e porcos de Barbados para prestigiar a culinária local.

  • Conte um pouco sobre o seu famoso prato de polvo.

    JD: A receita leva carpaccio, salada e tempura de polvo, que acompanha salmão, queijo, óleo sabor defumado e torradas frescas de algas marinhas, preparados pela própria padaria do restaurante.

  • O que mais os visitantes podem esperar do The Cliff Beach Club?

    JD: Aos domingos nós preparamos leitão assado e contamos com um DJ para tocar no The Cliff Beach Club. Mais para a frente, nós pretendemos tornar o local um destino parecido com a badalada comuna francesa de St. Tropez, ou até mesmo uma espécie de Ibiza em Barbados, para oferecer as melhores festas e refeições para os turistas e população local.

    Além disso, muito em breve, nós iremos construir um cais à beira do restaurante para os taxis navais e botes particulares poderem estacionar.

FORBES: Explique o conceito do The Cliff Beach Club.

Jeremy Dupire: Enquanto o The Cliff é um restaurante sofisticado, o Beach Club foi pensado como uma espécie de brasserie moderno, para atender a um público mais casual que está em busca de um ambiente mais informal para tomar um drink e se divertir com amigos.

Comentários
Topo