Fotos

Icônico Rainbow Room está mais luxuoso (e delicioso) do que nunca

Rooftops e Nova York são coisas que caminham quase lado a lado. Entra temporada e sai temporada e sempre aparece uma novidade, dando início a dúvida de sempre: qual é o mais badalado?!

Modismos a parte, existe um lugar que sobrevive aos quentes verões e aos gélidos invernos de NY desde 1934 e que merece uma visita – e quem sabe uma dança cheek-to-cheek.

O Rainbow Room, histórico patrimônio nova-iorquino no topo do Rockefeller Plaza no Rockefeller Center, reabriu ao público no começo de outubro de 2014, depois de cinco anos fechado. Eu estive lá recentemente, numa dessas minhas muitas – graças a Deus – idas à cidade que na minha, humilde opinião, é a melhor do mundo. Não foi a primeira que vez que eu visitava o Rainbow Room, mas já fazia uns 20 anos que eu não subia num dos mais icônicos endereços da cidade e confesso… foi uma viagem ao passado.

RANKING: 50 melhores bares do mundo em 2015

Por favor não confundam volta ao passado com um ambiente velho… são duas coisas bem distintas e de velho ali não tem nada. Atualmente, o luxuoso salão, pelo qual já passaram estrelas como Elizabeth Taylor e Al Pacino, é uma combinação de restaurante e espaço para eventos. O Rainbow Room abre aos domingos para o conhecido brunch, em noites selecionadas e na maioria dos feriados para jantares especiais. A equipe culinária, liderada pelo experiente chef-executivo Jonathan Wright, elaborou um menu com o melhor da clássica cozinha norte-americana, com foco em ingredientes sazonais.

Destino privilegiado para quem procura noites inesquecíveis, ir até o RR é um programa que foge do lugar comum e oferece uma experiência única e pouco usual para nós, “modernosos” de 2015, quase 16. Subir ao 65o andar do famoso 30 Rock, chegar no salão principal e se deparar com aquele enorme candelabro de cristal sob uma redoma pintada com folhas de ouro legítmo, uma pista de dança giratória com piso de madeira decorada e cortinas feitas com cristais – verdadeiros também. Ao fundo do salão uma big band digna dos shows do saudoso Old Blue Eyes, também conhecido como Frank Sinatra. Durante o jantar, a pista de dança se enche de casais das mais variadas idades e estilos… o Dress code é rígido e exige que homens usem, no mínimo, um blazer e nada de tênis esportivos.

Para o brunch de domingo, o chef Wright tranforma o imponente salão de dança em um elegante espaço culinário. Entre as opções de comida há sushi, pães caseiros frescos e uma estação de carnes, entre outras delícias.

NÃO PERCA: Guia de Gastronomia FORBES Brasil

A poucos passos do salão, há o SixtyFive, o cocktail lounge mais exclusivo de Manhattan. O bar, que ostenta uma das mais belas vistas da cidade, é o local perfeito para apreciar drinks clássicos, como o 1915 Gin & Tonic ou o Vesper 65.

O Rainbow Room é um destino privilegiado para quem procura noites inesquecíveis. Os clientes podem desfrutar de uma variedade de entretenimento incomparável, com atrações de nível internacional.

Veja na galeria de fotos mais detalhes do salão e do SixtyFive:

  • Rainbow Room

    O Rainbow Room passou cinco anos fechado até abrir, em outubro de 2014. Totalmente renovado, Nova York ganhou de volta um de seus principais salões e pontos de encontro.

  • Rainbow Room

    O Rainbow Room é um clássico. Inaugurado nos anos 1930, ele foi o primeiro restaurante de Nova York localizado no topo de um arranha-céu. Durante décadas, foi também o restaurante mais alto dos Estados Unidos.

  • Música

    Um dos atrativos do salão é a trilha sonora, com o melhor da música norte-americana e mundial. Entre as atrações de novembro está o baterista Max Weinberg, da E-Street Band (que toca com Bruce Springsteen) e líder da banda do talk-show de Conan O’Brien, em dois projetos especiais.

  • Palco de personalidades

    Pela pista de dança, já passaram de celebridades como Elizabeth Taylor, Al Pacino, Barbra Streisand e Muhammad Ali a figuras poderosas, como o bilionário Michael Bloomberg e Fiorello LaGuardia, ex-prefeitos de Nova York. O local também foi palco da gravação de diversos filmes e seriados.

  • Jantar

    O jantar foi repensado para oferecer a melhor experiência gastronômica possível e atender ao alto padrão do local. Quem opta por eventos fechados pode aproveitar a expertise e excelência do menu tradicional, que inclui, por exemplo, estas vieiras assadas, independentemente do número de convidados.

  • Empada de lagosta

    O chef-executivo Jonathan Wright elaborou opções com todo cuidado e experiência, como esta deliciosa e cremosa empada de lagosta com trufas negras, repleta de vegetais orgânicos da badalada Hepworth Farms.

  • Cordeiro ao molho de ervas

    Outra opção deliciosa é este fantástico cordeiro ao molho de ervas, servido com tortellini, alfaces selecionadas e nabos da também prestigiada Latham Farms.

  • Brunch de domingo

    O brunch de domingo é um espetáculo à parte. O chef Wright, conhecido internacionalmente por seu brunch interativo no luxuoso The Setai, em Miami Beach, levou toda a sua experiência a Nova York. O resultado é fantástico.

  • Brunch de domingo

    Com diversas estações, o convidados podem experimentar um pouquinho de cada parte do mundo a cada mordida.

  • Carnes e frios

    Os melhores cortes de carnes e frios são servidos no brunch.

  • Suhis

    A cozinha asiática também é um dos destaques, com peixes selecionados.

  • Docinhos

    Além disso, claro, há opções de sobremesas para os fãs de doces.

  • Docinhos

    Tão gostosos quanto bonitos, é impossível manter a dieta diante de tantas opções.

  • Rainbow Room

    Localizado no 30 Rockfeller Center, em Nova York, o salão abre em noites selecionadas, e o entretenimento começa às 18h. Aos domingos, o brunch é servido das 12h às 17h.

  • SityFive

    O SityFive, cocktail lounge mais exclusivo de Manhattan, ostenta uma das mais belas vistas da cidade. Aberto cinco dias por semana, este é o local perfeito para apreciar drinks clássicos.

  • 1915 Gin & Tonic

    Um dos destaques é a clássica versão do gim & tônica, tradicional drink nova-iorquino, feita com gim Dorothy Parker, limão, Angostura e tônica Johnnie Ryan.

  • Vesper 65

    O contemporâneo coquetel Vesper é feito com a vodaca Bootlegger 21, gim Spring 44 e o destilado Atsby Amberthorn Vermouth.

  • Cozinha

    A cozinha também é um dos destaques do SityFive. Para complementar harmonizar com o cardápio de bebidas, o chef Wright apresenta um menu de sushi, sashimi, lanches variados, aperitivos e pequenos pratos.

  • Terraço

    O terraço do SixtyFive oferece uma das mais belas vistas da cidade, ou do mundo, por que não?

  • SityFive

    O bar também fica no 30 Rockfeller Center, em Nova York, e funciona de segunda a sexta, a partir das 17h.

Rainbow Room

O Rainbow Room passou cinco anos fechado até abrir, em outubro de 2014. Totalmente renovado, Nova York ganhou de volta um de seus principais salões e pontos de encontro.

Comentários
Topo