Fotos

5 maneiras de combater a desigualdade salarial entre gêneros

A desigualdade salarial entre gêneros é um problema econômico persistente. Em 2014, o salário médio por hora de uma mulher nos Estados Unidos, US$ 15,21, correspondia a 82,9% do salário de um homem (US$ 18,35). A desigualdade salarial de gênero existe em todos os níveis educacionais e na maioria das ocupações. Estes são alguns dos dados de um relatório da organização norte-americana Economic Policy Institute.

VEJA TAMBÉM: Mulheres mais ricas dos EUA que fizeram a própria fortuna

Tudo piora quando a desigualdade de gênero esbarra em outras diferenças, como nacionalidade e cor da pele. De acordo com as autoras Alyssa Davis e Elise Gould, mulheres negras e latinas são desproporcionalmente afetadas pelas desigualdades salariais. “Nos Estados Unidos, uma mulher negra ganha o correspondente a 65,1% do salário médio de um homem branco, e uma mulher latina, o correspondente a 58,9%”, diz o estudo. “Não apenas os homens são promovidos mais rapidamente, mas as diferenças de pagamentos entre os gêneros aumenta quando o nível de emprego aumenta”, afirma outro relatório, este da empresa de pesquisa Payscale.

E MAIS: 25 mulheres mais poderosas do mundo em 2015

Estudos como estes podem desencorajar muitas mulheres no mundo corporativo. No entanto, é importante lembrar que estatísticas são generalizações. É possível fazer a sua parte para mudar isso.

Veja na galeria de fotos cinco maneiras de ajudar a combater a desigualdade salarial de gênero:

  • Contrate mulheres para cargos influentes

    Se você trabalha com recursos humanos, tem influência nas decisões sobre quem seu time precisa contratar ou na entrevista de candidatos e, consequentemente, poder de escolha. Candidatas mulheres estão sendo convocadas para cargos influentes? Elas estão sendo respeitadas como gestoras e líderes, ou estão sendo penalizadas por serem “agressivas” ou “irritadiças”? Se você faz parte da área de contratação, lute por um quadro de candidatos que represente os dois gêneros. Observe e se manifeste se você notar preconceitos contra as mulheres. Ajude a criar um ambiente de trabalho em que as mulheres sejam contratadas para cargos altos o suficiente para mudar a cultura (incluindo a cultura de compensação). Isso é algo que profissionais dos dois gêneros podem fazer.

  • Advogue pelas mulheres da sua equipe

    Além de advogar para que mulheres entrem na empresa, advogue pelas mulheres de sua equipe. Há alguma mulher em sua equipe ou em seu departamento que você pode, por exemplo, encorajar a pedir por mais, nominar para um bônus, prêmio de reconhecimento ou programa de liderança, ou pedir diretamente para que ela receba um aumento ou uma promoção?

  • Esteja atualizado em relação ao mercado salarial

    Por você e pelas pessoas da sua equipe (tanto homens quanto mulheres), é importante saber se os salários de sua empresa estão de acordo com o mercado. Se há pessoas que estão na empresa há anos, sua compensação pode ter ficado para trás. Muitas delas sequer pensam em negociar por mais nos empregos que já têm. Seja proativo, consulte os dados salariais atuais e, se as informações sugerem compensações mais altas, compartilhe isso com o gestor.

  • Dê exemplo de boas habilidades de negociação

    Se você se sente confortável em negociar, ajude outros a fazer o mesmo. Deixe suas colegas saberem como você encontrou as informações salariais. Encoraje-as a preparar suas avaliações de performance e a pedir por mais. Compartilhe artigos sobre negociação. Se você conhece uma colega que está se preparando para pedir um aumento, ajude-a e dê dicas de negociação.

  • Seja um mentor

    Você não precisa ser um professor para dividir seu conhecimento. Seja um mentor e ajude suas colegas a receberem o quanto merecem, ajude-as a maximizar suas compensações, e continue a ajudar quando elas forem promovidas e precisarem negociar cargos e aumentos.

Contrate mulheres para cargos influentes

Se você trabalha com recursos humanos, tem influência nas decisões sobre quem seu time precisa contratar ou na entrevista de candidatos e, consequentemente, poder de escolha. Candidatas mulheres estão sendo convocadas para cargos influentes? Elas estão sendo respeitadas como gestoras e líderes, ou estão sendo penalizadas por serem “agressivas” ou “irritadiças”? Se você faz parte da área de contratação, lute por um quadro de candidatos que represente os dois gêneros. Observe e se manifeste se você notar preconceitos contra as mulheres. Ajude a criar um ambiente de trabalho em que as mulheres sejam contratadas para cargos altos o suficiente para mudar a cultura (incluindo a cultura de compensação). Isso é algo que profissionais dos dois gêneros podem fazer.

Comentários
Topo