Carreira

4 passos para negociar o salário que você merece

De acordo com a agência de empregos Manspower e o seu relatório sobre 2015, o Talent Shortage Survey, 38% das grandes companhias a que assessoram têm vagas em aberto. Esta pesquisa simplesmente reflete o quão grave a falta de talentos no mercado profissional, além de ser mais vantajoso para aqueles que procuram por uma vaga de emprego e estão dispostos a dar tudo de si em forma de empenho.

VEJA TAMBÉM: 11 dicas para crescer durante a crise, por Caito Maia

De qualquer forma, é preciso estar preparado para se dar valor, já que o mercado não anda fácil. Durante uma entrevista de emprego você não só precisa conseguir mostrar do que é capaz, mas também negociar os seus valores, em particular.

E MAIS: Descubra se você conduz ou é conduzido na sua carreira

O que determinará o seu valor? Ainda mais importante: como você saberá se o que tem recebido é o justo para o seu trabalho e qualidade dele? Veja algumas dicas para lidar com isso na galeria de fotos abaixo:

  • Pesquise por conta própria

    O valor de contratação no mercado de trabalho é definido por uma combinação de fatores: experiência, aptidão e demanda de mercado. Para você conquistar o que verdadeiramente merece, é preciso saber o valor de cada uma dessas suas características.

    Comece a calcular o seu salário. Analise o cargo que te interessa, seus anos de experiência, suas aptidões e alvos. Não deixe também de se atualizar quanto ao que as agências de emprego detalham em seus guias salariais conforme as áreas de atuação. Se você já está no mercado de trabalho e tem repensado no quão recompensado tem sido, tenha certeza do quanto você tem sido prejudicado antes de questionar seus superiores.

  • Seja transparente

    É importante estar focado durante todos os seus processos seletivos. Você pode já ter ouvido de alguém mais experiente que não se deve comentar sobre preços e valores – e verdadeiramente esse assunto não deve ser tocado antes da companhia empregadora comentá-lo. Mas esta desconfiança já está um tanto quanto ultrapassada.

    Se você for honesto sobre as suas metas salariais, com certeza já eliminará potenciais dificuldades de negociação e desapontamento pela frente. Para passar por uma longa conversa de entrevista, é preciso ter energia e força de vontade para entrar de cabeça em certas oportunidades. Então se as ofertas de salário de uma companhia são, desde o início, limitantes e baixas, o melhor a fazer é fazer uma contraproposta de alguns pontos enquanto houver tempo.

  • Faça as perguntas certas

    Para ter um bom acordo, você precisa da maior quantidade de informações possível. São três categorias de perguntas que podem ser feitas. A primeira delas inclui o direcionamento que a companhia seguirá para possíveis oportunidades futuras:

    – Quais são as expectativas para este período?

    – Qual a trajetória de crescimento para o próximo período?

    – Quais são os pacotes de benefícios?

    – Esta é a única oferta base?

    – Existe algum sinal de bônus?

    A segunda categoria de perguntas envolve aqueles que buscam pequenas empresas ou startups que almejam explorar novos ares e ofertas. Esta é uma opção de compensação aos funcionários que também buscam um dia fazer parte da empresa como sócios. Algumas questões interessantes a serem feitas ao seu potencial entregador são:

    – Qual o preço oferecido pelo meu conteúdo?

    – Qual o valor de preferência que investidores pagam na última rodada de financiamento?

    – Qual é o posicionamento da companhia e qual a expectativa para os próximos tempos?

    A terceira categoria de perguntas consiste em algumas questões auto-analisáveis. Veja:

    – Quanto tempo você pretende permanecer na companhia caso aceite a proposta?

    – Qual o nível de risco que você está assumindo?

    – Como você vê as perspectivas da companhia?

    – Quais os tipos de salário ou benefícios que mais funcionam para você?

  • Negocie como um profissional

    Você quer a vaga, mas o salário não cumpre com as suas expectativas ou possibilidades. Se você tem algumas ofertas a fazer, considere apresentá-las e ainda fornecer opções de escolha aos seus funcionários.

    Se a empresa não lhe deixar a vontade para fazer uma contraproposta para as opções já expostas, mas as funções agregarão valor profissional à sua carreira, determine o que há de mais importante para você naquela oportunidade até que encontre ainda outras coisas que acrescentem. A empresa vai permitir que você trabalhe de casa? O departamento de RH vai apresentar novos pacotes de benefícios? Algum tipo de bônus ou viagem de férias? O grande recado é: explore todas as opções antes de sair andando.

    Certamente, não é animador fazer parte de uma companhia que reconhece mal os seus funcionários. Mas há muitos outros pontos a serem estudados para além dos baixos salários. Negocie e confirme algumas propostas antes de determinar o ultimato a sua carreira.

Pesquise por conta própria

O valor de contratação no mercado de trabalho é definido por uma combinação de fatores: experiência, aptidão e demanda de mercado. Para você conquistar o que verdadeiramente merece, é preciso saber o valor de cada uma dessas suas características.

Comece a calcular o seu salário. Analise o cargo que te interessa, seus anos de experiência, suas aptidões e alvos. Não deixe também de se atualizar quanto ao que as agências de emprego detalham em seus guias salariais conforme as áreas de atuação. Se você já está no mercado de trabalho e tem repensado no quão recompensado tem sido, tenha certeza do quanto você tem sido prejudicado antes de questionar seus superiores.

Comentários
Topo