Carreira

Conselhos de Steve Jobs continuam a ajudar líderes

Ao contrário do que muitos pensam, a Apple não começou em uma garagem, há 40 anos. No dia primeiro de abril de 1976, Steve Jobs, Steve Wozniak e Ron Wayne fundaram a Apple em um pequeno quarto dos pais de Jobs. À medida em que os pedidos foram chegando, eles se mudaram para a mesa da cozinha e, só então, para a garagem. Notavelmente, os mesmos hábitos administrativos que Jobs começou a desenvolver décadas atrás podem ser aplicados pelos líderes de hoje.

LEIA MAIS: 18 bilionários que deixaram saudade

Confira na galeria alguns conselhos de Steve Jobs para bons líderes:

  • Faça o que você ama

    “Pessoas apaixonadas podem mudar o mundo para melhor”, disse Jobs durante seu retorno à Apple em 1997. Em uma rara aparição com Bill Gates, Jobs disse: “As pessoas dizem que é preciso amar o que se faz, e isso é verdade. O motivo é que as coisas podem ser tão difíceis que qualquer ser racional desiste. Se você não amar o que faz e não se divertir quando trabalha, você irá desistir. Se você não ama o que faz, vai fracassar.”

    Muitas pesquisas provam que Jobs estava certo. Entusiasmo genuíno não pode ser forçado e é por isso que respondemos positivamente a pessoas que são autenticamente apaixonadas pelo que fazem, por uma companhia ou por um produto. Desde entrevistas de emprego a decisões administrativas, ter paixão importa.

  • “Eu quero deixar uma marca no universo”

    “Você quer vender água com açúcar pelo resto da sua vida e me convencer de que pode mudar o mundo?”, perguntou Jobs para o então presidente da PepsiCo, John Sculley.

    Jobs sempre teve uma visão muito ampla do futuro, o que nem sempre foi bem aceito por seus colegas, parceiros e clientes. Enquanto pesquisava sobre um computador pessoal para o dia a dia, ele topou com o desenvolvimento de uma interface gráfica da Xerox. Se Jobs não tivesse essa visão de um sistema simples, talvez ele tivesse desmerecido esses estudos. No entanto, ele o utilizou no Mac. Pesquisas mostram que as pessoas podem se deparar com a mesma coisa e interpretá-la de várias formas com base em suas percepções.

  • Mantenha-se atento aos detalhes

    Steve Jobs levou seus engenheiros à loucura com suas demandas aparentemente irracionais, ditando os mínimos detalhes do computador. “Ninguém irá reparar nisso”, eles costumavam dizer. “Bom, mas agora está ali”, Jobs respondia. Ele normalmente utilizava a analogia de um carpinteiro fazendo um belo móvel cheio de gavetas. Um bom carpinteiro não usa verniz barato no fundo, ainda que ninguém veja. A estética deve atender aos mesmos padrões no produto inteiro.

    Na Apple Store, tudo é calculado em seus mínimos detalhes. Todas as mesas são da mesma madeira de qualidade, as telas são polidas até a última digital e os notebooks são dispostos nos mesmos ângulos. Mas, o mais importante de tudo, é que todas as mesas têm buracos estratégicos para que os cabos sejam escondidos.

  • Exercite seu cérebro

    O segredo para a criatividade, segundo Jobs, “é olhar para tudo aquilo que o ser humano fez de melhor e tentar trazer um pouco daquilo para a sua vida”. Larry Ellison, CEO da Oracle, costumava chamar Steve Jobs de Picasso dos nossos tempos. Ele queria dizer que, assim como o grande artista, o fundador da Apple estudava diferentes métodos de fazer as coisas e os aplicavam ao que estava fazendo naquele momento.

    A criatividade também se estendia a quem Jobs contratava. “Uma das razões pela qual o Macintosh foi tão bom é que as pessoas trabalhando nele era músicos, poetas, artistas, zoologistas e historiadores que, por acaso, eram os melhores cientistas da computação do mundo”, disse.

    Em novembro de 2014, uma edição da Harvard Business Review, publicou um estudo sobre os “anos de estudo em inovação”. Os pesquisadores chegaram à conclusão de que “a grande vantagem de reunir pessoas de diferentes ramos é que um é diferente do outro”.

  • Crie boas experiências para seus clientes

    Microsoft, Disney, AT&T Retail e a BMW são algumas poucas companhias que, de algum modo, copiaram muitos elementos da Apple Store. Já em 2001, Jobs percebeu que se os vendedores oferecessem experiências em vez de só empurrar caixas, a companhia ganharia a lealdade de seus clientes. O fato de que a Apple vende mais por metro quadrado do que qualquer outra empresa dos Estados Unidos prova que Jobs estava certo.

  • Espalhe a mensagem

    Steve Jobs distribuía mensagens e conselhos inspiradores mesmo antes que PowerPoint, Apple Keynote ou TED Talks existissem. Em 1984, no lançamento do primeiro MacIntosh, ele não precisou de slides para criar um clima de suspense. Ainda que ele fosse um expert na arte de contar histórias, Jobs conseguiu criar uma atmosfera de terror para a concorrente, IBM, pintando-a como “uma máquina pronta para dominar o mundo”. Depois de causar espanto o suficiente na plateia, ele introduziu o herói da história: o MacIntosh. Em uma marca dramática de sua personalidade, Jobs escondeu o computador atrás de uma sacola branca no meio do palco. Com um floreio mágico, ele puxou o computador da bolsa, inseriu um disco e saiu do palco enquanto a plateia observava imagens aparecerem nas telas.

    Hoje em dia, muitos profissionais adotam o estilo de apresentação de Jobs: minimalista, rica em imagens, limpa, motivadora e atraente.

  • “Venda sonhos, não produtos”

    “Algumas pessoas pensam que quem compra o nosso Mac é louco, mas é nessa loucura que vemos os gênios”, disse ele em uma apresentação de 1997. A sua audiência não liga tanto para o seu produto quanto você. Eles ligam para si mesmos, seus sonhos e seus objetivos. Mostre a essas pessoas como o seu produto vai ajudá-las a desenvolver o potencial máximo e você terá um cliente para a vida toda.”

Faça o que você ama

“Pessoas apaixonadas podem mudar o mundo para melhor”, disse Jobs durante seu retorno à Apple em 1997. Em uma rara aparição com Bill Gates, Jobs disse: “As pessoas dizem que é preciso amar o que se faz, e isso é verdade. O motivo é que as coisas podem ser tão difíceis que qualquer ser racional desiste. Se você não amar o que faz e não se divertir quando trabalha, você irá desistir. Se você não ama o que faz, vai fracassar.”

Muitas pesquisas provam que Jobs estava certo. Entusiasmo genuíno não pode ser forçado e é por isso que respondemos positivamente a pessoas que são autenticamente apaixonadas pelo que fazem, por uma companhia ou por um produto. Desde entrevistas de emprego a decisões administrativas, ter paixão importa.

Comentários
Topo