Carreira

Estudo mostra que mulheres crescem no mercado dos EUA

A participação das mulheres no mercado de trabalho norte-americano foi progressiva, entre os anos 1970 e 2006-2010. Dados levantados pelo U.S Census Bureau revelam grande contraste entre as quatro décadas.

As áreas profissionais, que no passado, eram, principalmente, dominadas por homens, apresentam uma maior presença das mulheres nos dias atuais, enquanto aquelas que eram tipicamente intituladas como “profissões femininas” – professoras e enfermeiras – vêm apresentando o crescimento da presença masculina.

VEJA MAIS: 10 empregos com a maior diferença salarial entre homens e mulheres

Veja na galeria de fotos os contrastes entre as profissões entre 1970 e 2006-2010:

  • Enfermeiras:

    Em 1970, a participação feminina era de 97,3%. Em 2010, passou a ser 91,2%.

  • Dentistas:

    A participação feminina, em 1970, era de 97,9%, enquanto entre 2006 e 2010, já era de 96,3%.

  • Caixas:

    Em 1970, 84,2% eram mulheres, já entre 2006-2010: 74,7%

  • Professoras de ensino fundamental:

    No ano de 1970, 83,9%, e em 2010, 74,7%.

  • Farmacêuticas:

    Grande aumento de participação feminina, pois em 1970 as mulheres representavam 12,1%, quatro décadas depois, esse número passou a 52,6%

  • Contadoras:

    No ano de 1970, 24,6% dos trabalhadores dessa profissão eram mulheres. Já entre 2006-2010, 60%.

  • Médicas e Cirurgiãs:

    Em 1970, 9,7% do total de médicos e cirurgiões eram mulheres. Entre 2006-2010, 32.4%

  • Policiais:

    Em 1970, apenas 3,7% eram profissionais do sexo feminino. Já em 2006-2010, 14,8%.

  • Engenheira civil:

    A porcentagem de 1,3% de mulheres na área em 1970, quatro décadas depois, cresceu para 12,7%.

  • Advogadas e juízas:

    Em 1970, 4,9%. Entre 2006-2010, 33,4% de participação.

Enfermeiras:

Em 1970, a participação feminina era de 97,3%. Em 2010, passou a ser 91,2%.

Comentários
Topo