Fotos

Conheça o mais antigo hotel dos Alpes Suíços

É impossível pensar em esportes de inverno sem a charmosa St. Moritz, na Suíça. A cidade já recebeu duas edições dos Jogos Olímpicos de Inverno e deve sediar em 2017, pela quinta vez, o Campeonato Mundial de Esqui Alpino. Localizada no belo vale de Engadin, é também berço do turismo de inverno de luxo. Tudo começou quando o empresário Johannes Badrutt inaugurou em 1856 o Kulm Hotel, primeiro hotel da região. Naquela época, St. Moritz já era um atraente destino de verão, mas ficava às moscas a partir de dezembro. No outono de 1864, Badrutt fez uma aposta com seus hóspedes, a maioria de origem britânica. Eles deveriam passar a temporada mais fria do ano lá e, se a experiência não fosse agradável e ensolarada como no verão, a estadia sairia de graça. Assim, nascia o turismo de inverno.

VEJA TAMBÉM: Os passeios pela Suíça para fazer antes de morrer

Talvez seja a beleza da geografia do relevo a 1.800 metros de altitude ou os 300 dias de sol por ano, mas St. Moritz mantém-se como um dos mais glamourosos e luxuosos playgrounds de inverno dos super-ricos. A região já hospedou grandes personalidades em busca de inspiração como o pintor Giovanni Segantini, o filósofo Friedrich Nietzsche e o cantor David Bowie, fora as inúmeras celebridades que se refugiam no vilarejo em busca de tranquilidade que só a discrição suíça consegue proporcionar. É o caso do superexclusivo Dracula Club. Fundado nas dependências do Kulm Hotel pelo excêntrico e midiático fotógrafo e industrial alemão Gunter Sachs — que desfilava por St Moritz com a sua então namorada Brigitte Bardot –, é até hoje o local de diversão noturna predileto de alguns dos donos das maiores fortunas do mundo que estão em St. Moritz.

VEJA TAMBÉM: Hotel nos Alpes suíços oferece “quarto” ao ar livre

Veja na galeria de fotos mais detalhes sobre o megaluxuoso Kulm Hotel, no berço dos esportes de inverno:

  • Passear pelas ruas da cidade é constatar que estamos mesmo num resort de alto luxo. Chega a ser difícil acreditar que uma cidade com pouco mais de 5 mil habitantes ofereça tantas opções de compras das maiores e mais caras grifes do mundo. Pense em qualquer superbrand e você a encontrará lá.
    A culinária é outro ponto alto: tudo na cidade parece ter sido feito por chefs estrelados. Não saia de St. Moritz sem experimentar a deliciosa Engadine Nut Cake.

  • A família Niarchos, uma das mais ricas da Grécia e atual proprietária do Kulm Hotel, investiu 85 milhões de francos suíços em reformas. O hotel, um belo exemplar dos Grand Hotels clássicos, tem 172 acomodações, entre apartamentos e suítes. Luxo e tradição convivem lado a lado na decoração que utiliza muita madeira de pinheiros da região e que emprestam um agradável odor aos aposentos — dizem ainda que ajudam os pulmões a se adaptarem melhor ao ar rarefeito das montanhas. A mais nova ala do hotel, totalmente reformada em 2014, preserva um estilo com referências à belle époque.

    Com vista para o lago St. Moritz ou para os Alpes, a paisagem externa sempre será deslumbrante. Abrir a janela do quarto, ao amanhecer, e ver aquele enorme lago congelado cercado por montanhas e pinheiros é impressionante. As acomodações mais luxuosas oferecem travesseiros e edredons da grife suíça Dauny. Fora os quartos e suítes do hotel, o Kulm dispõe de residências privativas para aluguel de longas temporadas (mínimo de 12 meses). Uma dessas lindas suítes — apartamentos, na verdade — com seus quatro aposentos distribuídos em 340m2 belamente decorados custa anualmente aos seus felizes inquilinos, uma família belga, a pequena fábula de 330 mil francos suícos (cerca de 1,4 milhão de reais). O café da manhã não está incluído, mas os moradores das residences têm acesso a todos os serviços da propriedade como se fossem hóspedes.

  • A gastronomia também agrada. Na decoração clássica do Grand Restaurant, o carpete, as cadeiras e as cortinas, todos na cor vermelha, ganham equilíbrio com as paredes amarelas bem claras. Os lustres de cristal espalhados pelo salão completam o clima formal do ambiente. A casa serve especialidades da região de Engadin e pratos da culinária internacional. No restaurante The K, com 15 pontos no prestigiado guia francês Gault&Millau, o menu está recheado de clássicos da cozinha francesa com uma pitada da mediterrânea. Na The Pizzeria, você irá se sentir num aconchegante chalé cercado por garçons italianos.

    Para um aperitivo após o jantar, uma boa pedida é o piano-bar Altitude. Logo em frente, no lounge Miles Davis, o hóspede encontra uma seleção de charutos e uísques. E o Sunny Bar é onde os endinheirados turistas têm se reunido nas últimas décadas com os corajosos atletas desbravadores do Cresta Run, o tobogã de gelo natural. Com fotos de competições pelas paredes e troféus nas prateleiras, o local serve driques e comida japonesa e tem frequentes apresentações de jazz.

  • O Kulm segue se reinventando. Em dezembro de 2012, inaugurou um luxuoso spa, que consumiu investimento de 12 milhões de francos suíços (ou cerca de R$ 50 milhões). Esse templo do relaxamento é formado por 13 salas de tratamento, incluindo uma suíte privada. O espaço também possui piscinas interna e externa (aquecida), jacuzzi, sauna, banho a vapor, sala de descanso e academia. Quase todos os tratamentos usam produtos orgânicos, a maioria proveniente dos Alpes. Um exemplo é uma loção para massagem da marca Alpienne, feita com plantas da região. O spa ainda tem vista inigualável para o Lago St. Moritz e o Vale Engadin.

  • A área de lazer do hotel inclui também um campo de golfe de nove buracos, o mais antigo dos Alpes, inaugurado em 1891. Em 2001, ele foi remodelado. St. Moritz conta com 350 km de pistas de esqui e quatro picos principais: Corviglia, Diavolezza, Corvatsch e Muottas Muragl. Vale a pena pegar a funicular até Corviglia. A área abriga diversos restaurantes sofisticados no decorrer de suas 33 pistas. Se quiser continuar a subida, um belo teleférico chega ao cume da montanha, o Piz Nair, com 3.057 metros.

  • Polo no lago congelado

    Todo início de ano St. Moritz recebe a Snow Polo World Cup. A competição acontece no lago congelado de St. Moritz e quatro equipes lutam pelo cobiçado troféu Cartier. A próxima disputa está marcada para os dias 27, 28 e 29 de janeiro de 2017 e será acompanhada de diversos eventos sociais nos hotéis mais luxuosos da região. Foi em 1978 que o empresário Reto Gaudenzi montou a equipe pioneira de polo da Suíça, mas o primeiro torneio no lago congelado só ocorreu sete anos depois. A modalidade de neve, que nasceu na região, conquistou o mundo e hoje é praticada em países como Estados Unidos, Itália e China. Para mais informações, acesse o site do evento: snowpolo-stmoritz.com.

Passear pelas ruas da cidade é constatar que estamos mesmo num resort de alto luxo. Chega a ser difícil acreditar que uma cidade com pouco mais de 5 mil habitantes ofereça tantas opções de compras das maiores e mais caras grifes do mundo. Pense em qualquer superbrand e você a encontrará lá.
A culinária é outro ponto alto: tudo na cidade parece ter sido feito por chefs estrelados. Não saia de St. Moritz sem experimentar a deliciosa Engadine Nut Cake.

Comentários
Topo