Fotos

10 compras mais extravagantes feitas por bilionários

Quanto você gastaria em sua casa se dinheiro não fosse o problema? É normal que quem tem mais de nove dígitos na conta tenha grandes e luxuosas mansões. Mas O Mukesh Ambani, homem mais rico da Índia, decidiu levar a outro nível: ele construiu uma casa de 173 m de altura distribuídos em 27 andares em Mumbai. O prédio particular, em que ele mora com a mulher e três filhos, está avaliado em nada menos que US$ 1 bilhão.

VEJA MAIS: 31 maiores bilionários brasileiros

Achou exagerado? E o que você diria sobre pagar mais de R$ 45.000 por um corte de cabelo? Veja estas e outras compras extravagantes de bilionários na galeria de fotos:

  • Corte de cabelo de R$ 45.000

    Em 2009, o então bilionário Hassanal Bolkiah, sultão de Brunei, pagou nada menos do que £ 15.000 (mais de R$ 45.000 na época) por um corte de cabelo. Ele mandou buscar o barbeiro inglês Ken Modestou, do Dorchester Hotel, em Londres, em um voo fretado de mais de 11.000 km.

  • Cravar o nome na Terra

    Para o sheik Hamad Bin Hamdan Al Nahyan não bastava ter uma ilha só para ele, era preciso deixar uma marca mais profunda. EM 2011, ele mandou escrever seu nome na areia da ilha em Abu Dhabi, mas não da forma natural: ele mandou cavar com 1 km de profundidade e, agora, sua assinatura é vista até no Google Earth.

  • Mercedes-Benz coberta de diamantes

    O Príncipe Alwaleed Bin Talal Alsaud é famoso por sua coleção de carros. Embora ele já tenha negado, especula-se que o mais extravagante deles seja uma Mercedes-Benz SL 600 de US$ 4,8 milhões. O motivo? É coberta com 300.000 cristais Swarovski.

  • O relógio mais caro do mundo

    Em 2014, o Henry Graves Supercomplication, da Patek Philippe, foi leilado por US$ 24,4 milhões e tornou-se o relógio mais caro do mundo. O comprador não foi divulgado. Em 1999, o relógio bateu o recorde de preço quando foi vendido por US$ 11 milhões pela Sotheby’s.

  • A casa de US$ 1 bilhão

    O bilionário Mukesh Ambani, homem mais rico da Índia, tem hoje uma fortuna estimada em US$ 22 bilhões. Ele construiu em Mumbai uma casa para ele, mulher e três filhos com o tamanho modesto de 173 m de altura distribuídos em 27 andares e uma garagem para 160 carros. Tudo isso saiu por cerca de US$ 1 bilhão.

  • US$ 4 milhões em cirurgias plásticas

    Em busca de parar no tempo, a socialite suíça Jocelyn Wildenstein não poupa com cirurgias plásticas. Estima-se que, ao todo, a mulher de hoje aos 75 anos tenha gastado cerca de US$ 4 milhões com os procedimentos.

  • US$ 135 milhões por um quadro

    O bilionário norte-americano Steve Cohen é um ávido colecionador de arte. Até aí, tudo bem, é algo comum entre os endinheirados. O que chama atenção são as suas escolhas: em novembro de 2006, ele pagou US$ 135,4 milhões pelo quadro “Woman III”, do pintor holandês Willem de Kooning. Dessa forma, este virou o quarto quadro mais caro do mundo.

  • Eclipse Yacht

    O Chelsea não foi a única compra cara do russo Roman Abramovich. Em 2011, ele pagou aproximadamente por US$ 450 milhões pelo Eclipse Yacht, um navio de nada menos que 167 m de extensão. Após diversas reformas e melhorias, estima-se que hoje a embarcação custa US$ 1,5 bilhão.

  • Um Boeing 747 particular

    Não é só com o cabelo que o sultão Hassanal Bolkiah se importa, ele também gosta muito de aviação. Ele costumava voar em seu próprio Boeing 747, que comprou por US$ 100 milhões e o reformou por mais US$ 120 milhões para torná-lo um dos aviões mais luxuosos (e extravagantes) do mundo, cheio de detalhes de ouro no interior.

  • Livro de anotações de Leonardo Da Vinci

    Que Bill Gates é um homem que incentiva a leitura, especialmente as científicas, todos sabem. Em 1994, no entanto, ele decidiu ir além ao incrementar sua biblioteca e comprou um livro de anotações de Leonardo Da Vinci por US$ 30,8 milhões.

Corte de cabelo de R$ 45.000

Em 2009, o então bilionário Hassanal Bolkiah, sultão de Brunei, pagou nada menos do que £ 15.000 (mais de R$ 45.000 na época) por um corte de cabelo. Ele mandou buscar o barbeiro inglês Ken Modestou, do Dorchester Hotel, em Londres, em um voo fretado de mais de 11.000 km.

Comentários
Topo