Fotos

4 motivos para visitar Oahu, a maior ilha do Havaí

O Havaí é um lugar único no mundo. Sua geografia e localização fazem das ilhas o paraíso para surfistas, famílias e casais em lua de mel.

No entanto, além das maravilhas naturais oferecidas, a região é uma das mais ricas do mundo, tanto histórica e culturalmente, justamente por estar tão isolada. Tradições milenares foram passadas de geração em geração e ainda fazem parte do cotidiano de jovens e, naturalmente, dos turistas que passam por lá.

VEJA MAIS: 7 ocasiões perfeitas para passar férias no Havaí

A ilha de Oahu, a maior de todas e que abriga a capital do estado norte-americano, Honolulu, não tem uma maioria étnica. Pessoas do mundo inteiro formam a população local e, ainda assim, mantêm os costumes dos antigos habitantes da região, com a exceção da comida, que, mesmo com influências japonesas, pode ser considerada parte da culinária global.

Além de se encantar com as maravilhas dessa região, veja na galeria de fotos outras atrações imperdíveis para quem passa por lá:

  • A água

    Surfar no Havaí não é somente um hobby, é parte da rotina dos moradores. Todos os dias de manhã, uma legião de praticantes do esporte vai cedo para o mar para pegar algumas ondas antes do trabalho.

    É difícil apontar quem inventou o surfe no mundo, mas os primeiros registros da prática são do Taiti, por volta de 1777. No Havaí, o esporte é celebrado todos os dias, mas alguns eventos especiais marcam a importância da prática ao longo do ano.

    O mais importante deles é o Duke’s OceanFest que, neste ano, acontecerá entre os dias 20 e 28 de agosto. A celebração é uma homenagem ao surfista local Duke Paoa Kahanamoku, reconhecido como o melhor surfista de todos os tempos.

  • A história

    O segundo hotel mais antigo de Oahu é o Royal Hawaiian Luxury Collection Resort, construído em estilo espanhol na beira da praia de Waikiki. A história do local remonta à época do rei Kamehameha I, o líder que unificou as ilhas do Havaí em 1810. Depois de ter conquistado Oahu, ele se hospedou numa antiga construção, onde hoje fica a hospedagem de luxo.

    Em 1927, o local reabriu as portas e serviu, inclusive, como hospedagem aos combatentes do front do Pacífico da Segunda Guerra Mundial.

  • As terras

    Os 1.560 km² da principal ilha do arquipélago são ricas de história e cultura. No topo dos 914 metros do monte Koolau, aconteceu, em 1795, a batalha de Nuuanu entre o rei Kamehameha I e o antigo chefe local. Para chegar no local, dezenas de soldados morreram escalando as paredes rochosas. Hoje, um marco celebra aqueles que perderam a vida por ali.

    Outro local histórico é o monte de Ulupo Heiau, palco de algumas esculturas milenares feitas em homenagem aos deuses havaianos.

    A 16 km dali, a área de preservação Kualoa Ranch é rodeada de montanhas e uma vista estonteante para a praia de Kaneohe. Os antigos moradores da ilha consideram ali um local sagrado e, por isso, construíram casas que serviam de escolas para a realeza.

  • A música

    Para os turistas, os ukuleles são instrumentos clichês, dignos de souvenirs. Isso porque eles nunca ouviram o local Jake Shimabukuro tocar. Ele já foi considerado o Jimmy Hendrix do ukulele e é um dos melhores instrumentistas da ilha.

    Em Oahu, a música faz parte do dia a dia de todos os habitantes. As crianças aprendem desde cedo a manejar o instrumento, que pode ser comprado por até US$ 2.000 nas lojas da região. A família Kamaka, por exemplo, é uma das mais antigas das ilhas e comanda a maior loja do local.

A água

Surfar no Havaí não é somente um hobby, é parte da rotina dos moradores. Todos os dias de manhã, uma legião de praticantes do esporte vai cedo para o mar para pegar algumas ondas antes do trabalho.

É difícil apontar quem inventou o surfe no mundo, mas os primeiros registros da prática são do Taiti, por volta de 1777. No Havaí, o esporte é celebrado todos os dias, mas alguns eventos especiais marcam a importância da prática ao longo do ano.

O mais importante deles é o Duke’s OceanFest que, neste ano, acontecerá entre os dias 20 e 28 de agosto. A celebração é uma homenagem ao surfista local Duke Paoa Kahanamoku, reconhecido como o melhor surfista de todos os tempos.

Comentários
Topo