Fotos

10 dicas de investimento por grandes investidores do Brasil

Qualquer renda extra é bem-vinda, especialmente em época de crise. Uma das boas oportunidades pode ser investir o dinheiro que você tem guardado. Para os leigos, no entanto, a principal dúvida é por onde começar. “Meu conselho para quem está começando é não ficar tentando ser cópia de alguém”, afirma Guilherme Affonso Ferreira, um dos principais investidores individuais da bolsa brasileira e membro do conselho de seis empresas, como Gafisa e Petrobras. “Deve construir sua carreira em cima de suas aptidões e competências. Não existe fórmula para o sucesso, mas a melhor é a que espalha quem você é.”

RANKING: 70 maiores bilionários do Brasil em 2016

Ferreira é um dos dez grandes investidores nacionais que compõe o livro “Fora da Curva – Os Segredos dos Grandes Investidores do Brasil – e o que Você Pode Aprender com Eles”, lançado neste mês pela Portfolio-Penguin. “O Brasil tem pouca literatura sobre o tema”, afirma Pierre Moreau, sócio da Casa do Saber e um dos organizadores da obra, prefaciada por Jorge Paulo Lemann, cofundador da 3G Capital.

E MAIS: Como Jorge Paulo Lemann está investindo na educação para mudar o Brasil

Veja na galeria de fotos dez dicas de investimento por alguns dos grandes investidores do Brasil:

  • Tenha foco

    “É preciso escolher qual será seu foco para ter sucesso”, afirma Lemann. “Hoje, há muitas informações por aí, com internet, redes sociais etc. Pensar de maneira simples, sem muita complicação, é melhor que ficar olhando coisas demais.”

  • Invista no que você entende

    “Só invista em algo que você compreende”, afirma Antonio Bonchristiano, CEO e chairman da gestora de fundos de private equity GP Investimentos. “Análises malfeitas ou pouco aprofundadas podem mascarar problemas e gerar prejuízos.

  • Procure por companhias bem administradas

    “Só compre ações de companhias bem administradas, com donos ou executivos confiáveis”, afirma Florian Bartunek, fundador da gestora de fundos Constellation e conselheiro da Fundação Lemann. “Analisar a gestão é algo subjetivo: ajuda a estudar o histórico dos profissionais que comandam a empresa. Prefira as que tenham potencial de crescimento e receitas previsíveis.”

    “Fuja se eles tiverem reputação duvidosa ou estiverem envolvidos em grandes problemas, porque isso pode acabar prejudicando o resultado da companhia”, completa Pedro Damasceno, sócio da gestora Dynamo. “Leia os documentos societários das empresas em que investe.”

  • Escolha quem administra os investimentos com cuidado

    “Analise o histórico dos profissionais que vão cuidar de seus investimentos. Eles podem evitar que você cometa grandes erros”, afirma Luiz Fernando Figueiredo, fundador e presidente da gestora Mauá Capital.

  • Saiba fazer conta

    “Divida seus recursos entre investimentos de maior e menor risco. O objetivo deve ser aumentar o patrimônio mesmo se alguma estratégia der errado”, afirma André Jakurski, fundador do Banco Pactual. “Calcule quanto pode perder em cada investimento. Fuja dos riscos que podem dilapidar seu patrimônio.”

  • Estude

    “Investimento requer tempo e dedicação. Tenha opinião própria e disciplina ao investir”, aconselha Guilherme Aché, fundador da gestora Squadra. “Se for impossível se dedicar a isso, escolha bons gestores e deixe a decisão com eles.”

    “Faça pesquisas e análises por conta própria. Não siga apenas conselhos de amigos ou parentes”, completa Bonchristiano.

  • Procure o timing certo

    “Decidir qual é o melhor momento para comprar uma ação é tão importante quanto resolver quando vendê-la”, explica Ferreira. “Só venda se o desempenho da empresa ficar abaixo do esperado e não houver perspectiva de melhora.”

    “Estude o mercado para resistir à tentação de comprar na alta e vender na baixa. Sempre há desequilíbrios de preço: ganha dinheiro quem consegue identificá-los”, afirma Luis Stuhlberger, gestor do Verde, um dos fundos multimercados mais rentáveis do país.

  • Não se iluda com o preço

    “Dê mais importância à qualidade que ao preço.Boas empresas têm mais condições de gerar retornos no longo prazo do que companhias simplesmente baratas”, aconselha Zeca Magalhães, fundador da gestora de recursos Tarpon.

    “Nem todas as ações que caíram demais são boas alternativas de investimento. É preciso analisar a situação da empresa”, afirma Figueiredo.

  • Diversifique em tempos de crise

    “Numa crise, é hora de buscar oportunidades, como títulos de renda fixa que oferecem rendimentos elevados e cujos riscos são mais baixos”, aconselha Figueiredo.

    “Em 2015, foi o caso dos títulos públicos atrelados à inflação, que ofereciam um retorno real de cerca de 7% ao ano”, complementa Stuhlberger. “Aplique parte dos seus recursos no exterior. Vale a pena diversificar o risco.”

  • Tenha um plano B

    “Tenha uma reserva para emergências aplicada em investimentos conservadores”, aconselha Meyer Joseph Nigri, fundador e CEO da incorporadora Tecnisa. “Com essa segurança, dá para arriscar e mudar emprego ou fundar uma empresa.”

Tenha foco

“É preciso escolher qual será seu foco para ter sucesso”, afirma Lemann. “Hoje, há muitas informações por aí, com internet, redes sociais etc. Pensar de maneira simples, sem muita complicação, é melhor que ficar olhando coisas demais.”

Comentários
Topo