Fotos

6 mistérios bizarros que não foram resolvidos até hoje

Uma casa com 11 pessoas pega fogo. Os pais conseguem resgatar quatro de seus nove filhos. Os outros nunca tiveram seus corpos encontrados. Nos anos que se seguem, a família começa a receber cartas que indicam o suposto paradeiro destas crianças.

RANKING: 70 maiores bilionários do mundo em 2016

O que serviria como um excelente roteiro para um filme de terror aconteceu nos Estados Unidos, na noite de Natal de 1945. Este é um dos diversos casos de crimes bizarros nunca solucionados pelos investigadores, tipo de história perfeita para contar neste Dia das Bruxas.

Veja na galeria de fotos seis histórias macabras que nunca foram solucionadas:

  • O Assassino de Hinterkaifeck

    Esta é quase uma história de um fantasma assassino. Nos anos 1920, uma série de assassinatos estranhos aconteceram em torno da fazenda Hinterkaifeck, na Alemanha.
    Primeiro, houve uma série de incidentes estranhos: seus moradores achavam pegadas na neve ao redor da casa, barulhos no sótão; apareciam jornais que ninguém havia comprado; chaves sumiam. Uma das empregadas até se demitiu, alegando que a fazenda era assombrada.
    Depois de um tempo, os vizinhos sentiram falta da família residente na fazenda, aparentemente sumida, e foram ver o que tinha acontecido. Eles encontraram a família morta. Alguns membros foram arrastados até o celeiro e mutilados com um machado. A filha mais nova sobreviveu ao ataque, mas sangrou até morrer.
    A polícia nunca achou o responsável, embora houvesse fumaça saindo da chaminé e comida faltando na geladeira

  • O desaparecimento das crianças Sodder

    Na noite de natal de 1945, a família Sodder acordou assustada ao perceber que a casa, na Virginia Ocidental, nos Estados Unidos, estava pegando fogo. Na correria, a família conseguiu tirar quatro das nove crianças de dentro da casa com segurança.
    O pai foi em busca de uma escada para retirar as outras cinco que estavam no andar de cima. A escada havia sumido. O pai, então, foi pegar a caminhonete, que não dava a partida. Tentaram ligar para o corpo de bombeiros, mas não tiveram resposta. A água dos barris estava congelada.
    Em certo momento, os vizinhos viram a fumaça e foram em busca dos bombeiros, que só chegaram 7 horas após o incêndio. Não restou nada da casa e os restos dos corpos das crianças nunca foram encontrados.
    Nas semanas que antecederam o incidente, a família recebeu duas ameaças de que a casa iria pegar fogo. No dia, um dos filhos mais velhos notou um homem na estrada observando as crianças mais novas voltarem para casa depois da escola.
    Desde o incêndio, a família recebeu diversas cartas com informações de que os filhos mortos foram vistos em diferentes cidades dos Estados Unidos.

  • A tripulação de Sara Jo

    Em 1979, cinco homens em um pequeno barco chamado Sara Jo saíram para pescar no Havaí. Devido a uma tempestade, nunca retornaram. Diversas buscas foram feitas, mas nada encontrado.
    Dez anos depois, em 1989, o barco foi encontrado em uma das Ilhas Marshall. Ao lado, havia uma cova rasa com os ossos de um dos pescadores.
    O estranho é que oceanógrafos estimam que levaria cerca de três meses para o barco percorrer o caminho entre as ilhas, o que significa que o barco, cova ou resto da tripulação deveria estar nas Marshall quando o governo fez uma busca, em 1983. Ou tudo foi levado para lá depois.

  • O desaparecimento dos guardiões do farol

    Em uma ilha remota fora da costa da Escócia, três sentinelas de um farol viviam em um ambiente pacífico. No dia 6 de Dezembro de 1900, um barco de suprimentos desembarcou na ilha e viu que estava deserta.
    Dois dos três casacos à prova d’água estavam sumidos e o jantar estava pela metade sobre a mesa. Foi encontrado também um diário, que descrevia uma longa tempestade. Ela teve tanto impacto sobre os homens que deixou um mudo e o outro, em estado de pânico, chorando permanentemente. A suspeita é que o terceiro tenha sido levado para o mar durante a tempestade e morrido afogado.
    O curioso é que a tempestade descrita no diário nunca aconteceu.

  • Os assassinos de Villisca Axe

    Quando a família Moore retornou para casa depois da igreja na noite do dia 10 de junho de 1912, na silenciosa cidade de Villisca, no Estado do Iowa, todos foram dormir ao chegar.
    Na manhã seguinte, os vizinhos encontraram os dois pais, os quatro filhos e duas amigas mortos, mutilados com um machado.
    Não havia sinais de arrombamento, e apenas uma das crianças estava fora da cama. Acredita-se que o assassino entrou pelo sótão enquanto a família estava na igreja e aguardou até dormirem. Uma das pistas foram os restos de cigarro encontrados no local.
    Muitos suspeitos foram questionados ao longo dos anos, mas o crime nunca foi resolvido. A casa está aberta para visitação e você pode até passar a noite, se tiver coragem.

  • O incidente de Dyatlov Pass

    No dia 2 de Fevereiro de 1959, um grupo de nove universitários foi acampar por uma noite nas montanhas Ural, na Rússia. Quando não chegaram ao seu destino, uma equipe de resgate foi enviada ao local.
    Eles encontraram a barraca rasgada de dentro para fora. Os corpos estavam congelados na neve, todos de roupa íntima e alguns sem os sapatos.
    A causa da morte foi hipotermia, apesar de três dos nove apontarem outros problemas: um deles havia sofrido traumatismo craniano e outro teve a língua cortada.
    Ninguém sabe o que aconteceu até hoje.

O Assassino de Hinterkaifeck

Esta é quase uma história de um fantasma assassino. Nos anos 1920, uma série de assassinatos estranhos aconteceram em torno da fazenda Hinterkaifeck, na Alemanha.
Primeiro, houve uma série de incidentes estranhos: seus moradores achavam pegadas na neve ao redor da casa, barulhos no sótão; apareciam jornais que ninguém havia comprado; chaves sumiam. Uma das empregadas até se demitiu, alegando que a fazenda era assombrada.
Depois de um tempo, os vizinhos sentiram falta da família residente na fazenda, aparentemente sumida, e foram ver o que tinha acontecido. Eles encontraram a família morta. Alguns membros foram arrastados até o celeiro e mutilados com um machado. A filha mais nova sobreviveu ao ataque, mas sangrou até morrer.
A polícia nunca achou o responsável, embora houvesse fumaça saindo da chaminé e comida faltando na geladeira

Comentários
Topo