Fotos

7 tendências para o marketing online em 2017

Este foi um bom ano para o marketing online. Como a indústria não pretende desacelerar, mesmo que 2016 ainda não tenha acabado, já é hora de discutir as tendências para 2017.

A área de marketing é dominada por aqueles com visão e que se preparam com antecedência. Isso inclui descobrir as tendências antes dos concorrentes.

VEJA MAIS: 10 melhores empresas para trabalhar em 2017

Veja na galeria de fotos 7 tendências para o marketing online:

  • Após o sucesso de Pokémon Go, veremos a ascensão da realidade aumentada

    O jogo para mobile Pokémon Go foi um sucesso mundial ao faturar US$ 10 milhões por dia durante seu auge. Embora o entusiasmo com o jogo tenha se acalmado, o app nos mostrou duas coisas: que o público se interessa pela experiência da realidade aumentada (AR) e que os profissionais de marketing devem observar um pouco do potencial desta plataforma. Podemos esperar mais da AR no próximo ano.

  • Vídeos Live

    Os usuários das redes sociais começam a exigir cada vez mais conteúdo “ao vivo”, dando a eles visão de um conteúdo ou evento que anteriormente não era possível ver. Graças a internet mais rápida e as várias funções dos smartphones, os vídeos live se tornaram tendência já que cada vez mais aplicativos e plataformas disponibilizam este formato. Até o primeiro debate da corrida presidencial norte-americana foi filmado em live streaming, atraindo milhões de usuários. 2017 será um ano chave para a plataforma live.

  • Marcas vão usar nicho de mercado

    À medida que o marketing online cresce, milhões de novos negócios migram para esta plataforma. Umas das soluções para não deixar a timeline lotada de anúncios, é trabalhar com nichos de mercado. Isto é, um subconjunto para um produto específico. Como resultado, veremos companhias focadas em um grupo mais específico de consumidores, com campanhas mais pessoais e fáceis de identificação com o público.

  • “Native Advertising” vai ser mais popular

    Native Advertising ou “mídia orgânica” é publicar artigos, postagens e histórias pagas e identificadas como publicidade, no meio do conteúdo de um site ou rede social. É uma tendência mais antiga comparada a outras da lista, pois é usada há alguns anos como forma de ganhar visibilidade natural. Mas a técnica passa por altos e baixos: os consumidores continuam a criticar ou ignorar outras formas de publicidade, mas vemos novas empresas optando por não usar este tipo de plataforma.

  • “Immersive Experience” será usada cada vez mais
    Experiências imersivas ou “immersive experience” é um termo para designar publicidade com efeitos que fazem o espectador se sentir “parte” daquilo. São usados vídeos, imagens fortes, e qualquer recurso que possa fazer o consumidor se sentir “imerso” naquele conteúdo. Um exemplo disso já citado anteriormente é a realidade aumentada (AR), e também a realidade virtual, bastante usada em videogames.

  • Uso de “conteúdo relevante”

    Spams atrapalham muito, e os internautas serão cada vez mais rígidos e impacientes em relação ao assunto à medida que a tecnologia avança. Por causa de spams e potenciais vírus, o usuário pula anúncios, fecha abas e filtra a maior parte do conteúdo visto no decorrer do dia. E a resposta para isso é o conteúdo relevante. Ou seja, ganhar a atenção do leitor com conteúdo chamativo, que o faça ir atrás do conteúdo ao contrário de apenas ler a chamada.

  • Expansão das ferramentas de visualização de conteúdo

    O marketing precisa da informação necessária para saber quem compra o quê, onde, por que e por quanto, mas até analistas de dados tem dificuldade em interpretá-los. Por isso, a tecnologia está desenvolvendo alternativas. Existem ferramentas de análise de dados disponíveis no mercado atualmente, mas a tendência para 2017 é esse número aumentar. Algumas empresas já usam essa tecnologia, e as que ainda não usam vão perceber a desvantagem que têm em relação às outras.

Após o sucesso de Pokémon Go, veremos a ascensão da realidade aumentada

O jogo para mobile Pokémon Go foi um sucesso mundial ao faturar US$ 10 milhões por dia durante seu auge. Embora o entusiasmo com o jogo tenha se acalmado, o app nos mostrou duas coisas: que o público se interessa pela experiência da realidade aumentada (AR) e que os profissionais de marketing devem observar um pouco do potencial desta plataforma. Podemos esperar mais da AR no próximo ano.

Comentários
Topo