Colunas

Novos robôs se inspiram em animais para revolucionar produção

O desenvolvimento tecnológico está trazendo inovações à indústria com o advento das máquinas controladas a partir da sinergia entre big data, internet das coisas, computação em nuvem e inteligência artificial. Em vez das tradicionais máquinas de estrutura rígida e imóvel, semelhantes às do filme “Tempos Modernos” (1936), de Charlie Chaplin, as engenhocas que estão conduzindo a humanidade para a Quarta Revolução Industrial (também chamada de Indústria 4.0) se comunicam entre si, têm maior mobilidade que suas antecessoras e detêm comandos descentralizados e automáticos, sem a supervisão constante do ser humano.

LEIA MAIS: Toyota lança robô acompanhante com inteligência de uma criança de 5 anos

Essas máquinas estão próximas da definição de robô do dicionário e, embora essa revolução tecnológica ainda esteja em sua fase inicial, as empresas que não investirem nela com base nesses conceitos vão se tornar personagens dos livros de história do futuro.

Uma das companhias que está investindo nessa tendência é a alemã Festo, especializada em produtos de automação industrial, que criou uma rede centralizada de comunicação entre a empresa e universidades na Alemanha, inventores particulares e outras empresas independentes. Batizada de Bionic Learning Network (Rede de Aprendizagem Biônica), seu objetivo é desenvolver máquinas e robôs cujos movimentos sejam inspirados na coordenação motora dos animais, mesmo que alguns ainda não tenham uma utilidade no curto prazo. Veja abaixo as principais inovações desenvolvidas pela empresa alemã:

  • 1. Pássaro Inteligente – Smart Bird (Festo)

    O protótipo busca entender como as aves voam, os conceitos de aerodinâmica e da maneabilidade da espécie.

  • 2. Canguru Biônico – Bionic Kangaroo (Festo)

    Buscando agilidade e estabilidade, o canguru biônico é elétrico e conta com uma estrutura leve, que garante o equilíbrio ao pular e aterrissar e que recupera e armazena energia para saltos subsequentes.

  • 3. Borboletas em Movimento – eMotion Butterflies (Festo)

    O impressionismo não é somente a semelhança com o pequeno inseto e o material utilizado, mas também o voo coordenado coletivo, com uma rota pré-programada e correção caso uma das borboletas saia do trajeto.

  • 4. Formigas Biônicas – Bionic Ants (Festo)

    O que chama a atenção nessas formigas artificiais é a busca de algoritmos complexos que traduzem o comportamento cooperativo da espécie para demonstrar como cada uma delas pode reagir em diversas situações. Assim, criam-se condições para que elas se coordenem entre si e atuem em comunidade. O objetivo é desenvolver sistemas para que as máquinas também atuem de forma coordenada durante o processo produtivo.

  • 5. AquaPenguins (Festo)

    O protótipo do pinguim tem habilidades que o animal não tem, como a possibilidade de nadar para trás e a existência de um sonar cujo funcionamento é semelhante ao dos golfinhos. É um robô aquático, cujo objetivo é criar uma forma de comunicação entre as máquinas que evite uma colisão entre elas durante o processo produtivo.

  • 6. Octupus Gripper (Festo)

    Assim como o animal, não há uma estrutura rígida em sua construção, que é feita de silicone para permitir flexibilidade e maior poder de manobra, possibilitando agarrar vários tipos de objetos. Ainda sem aplicação prática, o polvo robô pode ser uma revolução na relação entre o homem e a máquina na indústria.

  • 7. Aibo (Sony)

    Lançado há quase 20 anos, foi o primeiro robô a ter semelhança com um animal. Diferentemente dos robôs da Festo, o brinquedo da Sony era destinado às pessoas que gostariam de ter um cachorro, mas não queriam as obrigações associadas a ele. O cachorro eletrônico deixou de ser produzido em 2013.

  • 8. AirJelly (Festo)

    Inspirado nas águas-vivas e em seu movimento, o AirJelly é um robô aéreo, controlado remotamente e mantido no ar por um balão cheio de gás, que desliza com um dispositivo elétrico central e um sistema mecânico inteligente e versátil.

  • 9. Air Penguin (Festo)

    Este robô aéreo foi inspirado nos movimentos dos pinguins. Possui nadadeiras que permitem o voo para frente e para atrás. A estrutura 3D instalada nas partes dianteira e traseira simula os movimentos naturais do animal.

1. Pássaro Inteligente – Smart Bird (Festo)

O protótipo busca entender como as aves voam, os conceitos de aerodinâmica e da maneabilidade da espécie.

Comentários
Topo