Fotos

25 lugares baratos para conhecer nesta temporada

As férias podem ser incríveis, mas também podem se tornar a época mais cara para viagens. Dependendo do lugar para onde você quer ir, as tarifas aéreas e as diárias de hotéis são extremamente altas.

LEIA TAMBÉM: 10 países onde as pessoas são mais felizes

Um grupo de especialistas em viagens indicou seus lugares favoritos entre os destinos economicamente viáveis para visitar nesta temporada, assim como maneiras inteligentes de conseguir pagar pelos lugares mais caros. Entre refúgios em praias, cidades e montanhas, estes são lugares que oferecem todas as alegrias da temporada sem acabar com o seu orçamento.

Veja os 25 lugares mais baratos para viajar nesta temporada:

  • 1. Maine, Estados Unidos

    Segundo Meredith Perdue, cocriadora do “Map & Menu”, website de comidas e viagens, a costa de Maine é o principal destino desta temporada e por um bom motivo: quem resiste à ideia de comer vários sanduíches com lagosta enquanto explora quilômetro por quilômetro do histórico litoral rochoso? Ao planejar uma viagem para o Maine durante a alta temporada, a costa pode parecer intimidadora no começo. Se você conseguir se arriscar um pouco mais e sair do caminho previsível – mesmo durante a alta temporada – vai fazer um bom negócio. Apesar de destinos como as cidades Camden e Kennebunkport e a Ilha de Mount Desert precisarem estar na lista de lugares para visitar ao passar pelo estado, ampliar sua busca para além desses populares pontos turísticos vai ser muito mais barato no longo prazo. Alguns dos escapes preferidos podem ser encontrados na região Midcoast. O Motel Lincolnville é um achado, recentemente reformado, ao lado de uma estrada que se localiza ao norte da tão popular Camden, enquanto o charmoso Nebo Lodge está a aproximadamente 20 km fora do continente na ilha de North Haven. Ambos possuem preços acessíveis, mas ainda são estilosas opções que oferecem a perfeita experiência da costa de Maine. Ao visitar a área, pare para comer no Dot’s, em Lincolnville, ou siga em direção a Rockland para provar os deliciosos cachorros-quentes na lanchonete Wasses. E se certifique de ficar atento a algum dos numerosos lobster pounds ao redor das muitas enseadas, onde frutos do mar recém-saídos do barco estão frequentemente disponíveis por preços menores que os do mercado.

  • 2. Croácia

    A blogueira, empreendedora e influencer Alyssa Ramos, do “My Life’s a Movie”, que costuma viajar sozinha pelo mundo todo para criar conteúdo, diz que parece existir um consenso de que a Croácia é um país caro – especialmente por causa da Yacht Week, cada vez mais popular, que exige um aluguel completo de iate para navegar – mas este não é o caso. Se você está interessado em visitar as ilhas da Croácia, ficará feliz ao saber que existe uma forma mais barata de navegar pela região. Alugar um carro também é extremamente acessível no país, o que significa que você pode ir a cidades menos conhecidos (e mais em conta) como Rovinj e visitar atrações populares como o parque nacional Plitvice Lakes. Encontrar acomodações acessíveis também é possível. Em Rovinj, as opções são o Amarin, um resort de frente para a praia, e o Le Meridien, em Split, onde o preço dos quartos começa em 100 euros. O Airbnb, serviço online no qual as pessoas anunciam e reservam hospedagens, também é popular e acessível na Croácia.

  • 3. Lake Powell, Arizona, Estados Unidos

    Kelly Lewis, especializada em viagens e fundadora do “Go! Girl Guides”, guia de viagens para mulheres, do Women’s Travel Fest e da Damesly, empresa de turismo para mulheres criativas e profissionais, afirma que o norte do Arizona é o lar das pedras vermelhas e formações rochosas, mas que é em Lake Powell que as coisas começam a ficar realmente interessantes. É como visitar o Grand Canyon se ele estivesse sob as águas. Na extensão da fronteira entre Utah e Arizona, esse lago de aproximadamente 300 km abriga 96 cânions (extensos paredões que podem ser esculpidos pelo vento ou pelas águas) – é possível descer muitos deles. É lá que estão também o Antelope Canyon (um dos cânions estreitos mais visitados) e o Rainbow Bridge (a maior ponte natural do mundo), assim como fluxos livres de cachoeiras – se você tiver sorte o suficiente para pegar uma chuva. Fique uma semana no lago com seus amigos e com a família, dirigindo até as fendas dos cânions, parando nas praias desertas e acampando sob as estrelas. A maioria das casas flutuantes, muito presentes na região, vem com toboáguas conectados na parte traseira. Muitas também possuem churrasqueiras e ofurôs no telhado. Uma sugestão é pegar o barco na Antelope Point Marina, onde o custo por pessoa está próximo de US$ 100 por dia, dependendo do tamanho do barco. Você vai economizar em comida também – compre nas lojas antes de ir embora e se planeje para cozinhar na maioria das noites. Não deixe de visitar o Horseshoe Bend (imensa curva que o rio Colorado faz ao redor de um enorme paredão de pedras), a poucos quilômetros da cidade de Page, ao chegar ou ir embora.

  • 4. Caminho de Santiago, Espanha

    Sherry Ott, fundadora da “Ottsworld.com”, popular blog de viagem que mostra como conseguir aventuras épicas para lugares fascinantes, explica que a maneira mais em conta de viajar pela Europa é seguir pela trilha do Caminho de Santiago, na Espanha. Mas é preciso gostar de aventura. Esta é uma caminhada épica, uma rota de antiga peregrinação para o santuário de St. James, em Santiago de Compostela. Sherry afirma ter completado a trilha Camino Frances (aproximadamente 800 km) gastando apenas US$ 35 por dia. A trilha é fácil de seguir e, durante esta temporada, você não estará sozinho: milhares de pessoas do mundo inteiro fazem a peregrinação. Esta lenta forma de viajar é a maneira mais barata de conhecer a Espanha. Todos os restaurantes ao longo da rota oferecem Pilgrim Meals (refeições para peregrinos), que incluem três pratos e vinho à vontade por US$ 10. O trajeto também é repleto de opções de hospedagens acessíveis (os albergues), que oferecem dormitórios compartilhados e particulares por quantias entre US$ 7 e US$ 20 por noite. Um dos preferidos de Sherry é o Albergue Los Templarios, na província rural de Palencia, com dormitórios compartilhados a partir de US$ 9. Entretanto, não é necessário ficar sempre nos albergues – existe também o lado luxuoso do Caminho. Descanse seu exausto corpo e ostente em uma das muitas pousadas históricas ao longo da rota. Sherry conta que aproveitou tudo da luxuosa Casa de Tepa, em Astorga, uma antiga residência de um conde por US$ 100. Esta é uma maneira singular de viajar localmente e conhecer o norte da Espanha, manter a forma e não gastar muito.

  • 5. Território do Monte Hood no Oregon, Estados Unidos

    As cofundadoras do blog de viagens “VoyageVixens.com” Lanee Lee e Lindsay Taub dizem que se milhares de quilômetros de caminhadas em trilhas com montanhas, cachoeiras, pântanos e alpes te agradam, então o território do Monte Hood é o lugar certo para visitar. Os meses do verão norte-americano são especialmente bonitos e tranquilos na floresta nacional do Monte Hood e na região selvagem de Clackamas. A uma distância de apenas aproximadamente 80 km de Portland, os aluguéis de férias são a melhor alternativa. Famílias interessadas em aprender a história da trilha de Oregon podem explorar a região a partir do aplicativo Mt. Hood Territory Heritage Trail, com paradas em lugares como a Philip Foster Farm, onde é possível moer milho, construir cabanas de madeira e serrar troncos por US$ 5 (US$ 20/família). Alugue um caiaque ou uma prancha de stand up paddle em lojas no Clackamas River por preços muito acessíveis, especialmente para crianças até 10 anos (US$ 25-35). Experimente as recompensas da região em fazendas abertas e granjas, onde é possível conhecer alpacas, aprender sobre alces em um rancho, passear por campos de lavanda (junho/julho) e dálias (agosto/setembro) – tudo de graça ou por uma taxa mínima.

  • 6. Barbados

    Shnieka Johnson, uma escritora freelancer especializada em viagens em família, conta que o clima de Barbados é muito favorável: tropical, com uma média de temperatura entre 23°C e 30°C, aproximadamente. Para quem planeja fazer a viagem fora da alta temporada, é possível conseguir uma estadia em uma das numerosas acomodações de luxo na ilha com grandes descontos. Mas, ao planejar uma viagem nessa época, você vai perder algumas atrações muito típicas da região, como o popular festival de verão Crop Over. No entanto, vai evitar evitar multidões e economizar dinheiro. Barbados é, sem dúvida, conhecido por suas praias. Não há nada melhor que caminhar em uma praia arenosa e branca e observar as águas azuis e cristalinas. A preferida de Shnieka é Crane Beach, próxima ao luxuoso Crane Hotel. Você pode fazer bons negócios nesta propriedade ao lado do oceano. Comidas e bebidas deliciosas e com preços acessíveis são também abundantes na ilha. As bebidas com rum na destilaria Mount Gay Rum Barbados são incomparáveis. Você vai aprender sobre a história da bebida típica, ver como é feita e terá a oportunidade de experimentar as variedades. Barbados é conhecido por sua culinária Bajan (que inclui pratos influenciados por diversas culturas) e os peixes fritos da cidade de Oistins, que já foi o maior porto do Caribe. A cidade oferece um mergulho nos sabores locais com suas estações de comidas, música ao vivo e artigos artesanais à venda.

  • 7. Toronto, Canadá

    Natalie DiScala, editora do blog de viagem e estilo “Oh! Travelissima”, diz que quem está querendo economizar nesta temporada, deve considerar ir para Toronto, no Canadá, país que está celebrando seu 150º aniversário em 2017. Durante todo o ano, celebrações tomarão conta da cidade e do país. Entretanto, no dia oficial – 1° de julho – Toronto vai receber uma iluminação especial em seus parques e praças como parte dos festejos. Enquanto estiver por lá, aproveite todas as atividades ao ar livre que a cidade oferece, como visitar o Distillery Historic District, explorar o St. Lawrence Market e passear por The Beach, um bairro popular que se estende ao longo das margens do Lago Ontário. Se você procura por experiências culturais, Toronto tem muitas possibilidades que não irão custar nada, como os eventos no Harbourfront Centre, filmes e concertos na praça Yonge-Dundas e um conjunto de apresentações da Companhia de Ópera do Canadá – tudo gratuito.

  • 8. País de Gales

    Segundo Juliana Broste, do “TravelingJules”, que faz vídeos sobre experiências e dicas do que fazer ao redor do mundo, muita gente não tem ideia de que o Reino Unido tem sua mais baixa taxa de câmbio dos últimos 30 anos. A oeste da Inglaterra, o País de Gales é uma preciosidade escondida, com muito a oferecer aos viajantes. É o primeiro país a ter uma trilha por toda sua costa, totalizando aproximadamente 1.400 km. Ciclistas, pessoas caminhando ou fazendo trilhas podem percorrer o passeio Wales Coast de graça. Ou voltar no tempo ao explorar alguns dos 641 castelos do país – muitos são gratuitos. Amantes de adrenalina podem investir £40 para tentar o arriscado coasteering (esporte que mistura nado e escalada, inventado em Pembrokeshire). É um estilo de aventura emocionante com guias, trajes adequados e capacetes inclusos. Para os que buscam trilhas também existem as opções de experimentar a maior área de tirolesa da Europa na Zip World Titan (US$ 65); tentar surfar na Surf Snowdonia, uma inovadora lagoa com ondas uniformes (a partir de US$ 45); ou fazer um rafting no National White Water Centre (US$ 45).

  • 9. Ludington, Michigan, Estados Unidos

    A costa oeste de Michigan é conhecida por ter algumas das mais intactas praias do país, onde o pôr-do-sol compete com o do Havaí. Segundo Shalee Blackmer, fundadora de um blog que encoraja viajantes a saírem de sua zonas de conforto (www.shaleewanders.com), a dica é ir até lá e ver com seus próprios olhos. Longe das cidades grandes e das movimentadas estradas fica Ludington, uma pequena cidade situada ao longo de pitorescas dunas e das praias do Lago Michigan. No momento em que você chega à cidade, o tempo para. As acomodações são simples e acessíveis, como no Nader’s Motel & Suites (US$ 65), no Snyder’s Shoreline Inn (US$ 70) e no Ludington House Bed and Breakfast (US$ 99). Outra opção é acampar no parque estadual de Ludington, que oferece alternativas a alguns passos da praia por US$ 30. Tire um dia para relaxar nas praias de areias brancas. Faça caminhadas na Manistee National Forest. Visite o grande farol Big Sable Lighthouse ao norte da cidade para visualizar o icônico pôr-do-sol de Michigan ou para observar estrelas. E não perca a House of Flavors, um famoso – mas acessível – restaurante para levar a família e comprar sorvetes.

  • 10. Brooklyn, Nova York, Estados Unidos

    Anna Lisa, que escreve em um blog de viagens, garante que no Brooklyn as ruas são mais amplas, as manhãs mais quietas e o ritmo mais tranquilo. Este é o lugar onde os passeio ao meio-dia, no mês de julho, podem ser muito agradáveis, onde não existe a necessidade de se sacrificar para conseguir cultura e comida e onde hotéis, restaurantes, bares e cafeterias expressam uma individualidade que poderia te manter entretido por semanas. Alugue um das centenas de flats disponíveis no Airbnb para realmente fazer o seu dinheiro render. Ou escolha locais com preços razoáveis, como o Urban Cowboy. Para algo a mais, existe a The Box House, com um cobiçado design interior. Nova York é frequentemente vista como o epicentro da cultura norte-americana e há uma razão para isso: é onde tudo e nada pode acontecer. De acordo com Anna, só o Brooklin já vale a viagem – e as viagens subsequentes, já que é bem provável que você volte outras vezes.

  • 11. Estônia

    De acordo com Stefanie Michaels, CEO do blog de viagens “AdventureGirl.com”, a Estônia é o mais moderno dos três países que compõem os Países Bálticos. O que o faz tão especial são suas cidades medievais, a maioria intacta, especialmente na capital Tallinn. A dica é caminhar pelas pequenas ruas de pedra, praticamente uma volta ao passado, e depois sentar em um pub ou restaurante para uma completa experiência moderna. É um país de dicotomias, que combina perfeitamente história e progresso. Outras regiões para explorar são Tartu, uma cidade universitária com alguns sítios arqueológicos, e a ilha de Kihnu, um local incrível onde as mulheres têm supremacia e vestem roupas tradicionais. Um dos locais preferidos de Stefanie é a cidade costeira Parnu. Ela se hospedou no Hedon Spa & Hotel, que fica nas brancas praias do Mar Báltico. As águas do oceano são quentes no verão e os banhistas podem seguir por muitos metros e ainda continuar boa parte do corpo para fora. Parnu também é um paraíso para quem gosta de acampar. Lugares como Joekaaru Lodges (US$ 40 por noite) e Karjamaa Camping (US$ 59 por noite) fazem da cidade uma opção ainda mais econômica.

  • 12. Letônia

    Patricia Stone, fundadora do site de viagens “Global Adventuress” que já viajou 155 países, afirma que a maioria dos turistas que visitam os Países Bálticos se dirigem para a Estônia. Recentemente, ela viajou sozinha para explorar outro país da região, a Letônia, e fez ótimos negócios. Visite a capital Riga, onde cafeterias, galerias de arte e antigas igrejas estão instaladas em ruas de pedras. Fique no resort na cidade costeira de Jurmala, conhecida por suas moradias de madeira no estilo art-nouveau e praia de, aproximadamente, 32 km de extensão. A apenas 20 minutos de Riga, os visitantes podem ir a Jurmala de trem por US$ 4 e reservar um pacote de verão com um quarto e tratamentos no spa do Hotel Jurmala. Não perca a sauna, as piscinas e as caminhadas pela praia.

  • 13. Região dos Fiordes da Noruega

    Megan Eileen McDonough, vencedora do prêmio de fotojornalista de viagem e fundadora do “Bohemian Trails”, um blog de viajantes experientes e estilosos, diz que a Noruega tem a reputação de ser um país caro e, em muitos casos, realmente é. Entretanto, ela afirma que durante suas férias de verão pela região dos fiordes, economizou muito dinheiro ao optar pelo transporte público como balsas e ônibus, ambos surpreendentemente baratos. Eles não operam o ano inteiro, então, ao viajar na alta temporada, é possível conseguir vantagens. Na maioria dos vilarejos como Geiranger, você vai encontrar acomodações que parecem cabanas como Westerås Hytteutleige por uma fração do preço que seria pago em um hotel padrão. Você vai gostar ainda mais se for um fã do filme “Frozen”, pois a região serviu de inspiração para o reino fictício Arendelle.

  • 14. Milwaukee, Wisconsin, Estados Unidos

    Milwaukee é uma sugestão de Deidre Mathis, autora do livro sobre viagens “Wanderlust: For the Young, Broke Professional” (sem edição no Brasil) e dona da Wanderlust Houston, modernas acomodações millennials. Segundo ela, a cidade em frente ao mar é um ótimo lugar para passar a temporada de verão. Algo que precisa ser visto na região é o Milwaukee Art Museum, uma joia cultural e arquitetônica da cidade conhecida por asas brancas (Burke Brise Soleil) projetadas pelo renomado arquiteto e engenheiro espanhol Santiago Calatrava. Para melhorar, o museu é gratuito nas primeiras quintas-feiras do mês. Existem também dúzias de cervejarias na região, incluindo a antiga Lakefront Brewery, que foi eleita o quarto melhor passeio no país pelo “TripAdvisor” (e que você pode desfrutar por apenas US$ 10). As cervejas, algumas nomeadas em homenagem a funcionários do local, são respeitadas por amantes da bebida de todo o país. Conheça o Ambassador Hotel, uma preciosidade ao estilo art déco que foi meticulosamente reformada e dona de um serviço extremamente rigoroso.

  • 15. São Bartolomeu (St. Bart’s)

    Segundo o digital influencer Darcy Fogg, São Bartolomeu é uma viagem que cabe no bolso. Nesta temporada, é possível conhecer um dos destinos luxuosos mais comentados. Jay Z, Beyoncé, Kate Moss e outras tantas celebridades são frequentadores assíduos. O site de hospedagens Airbnb lista inúmeras villas e casas fabulosas – quase todas têm sua próprias piscinas e vistas deslumbrantes por bem menos do que se pagaria em um hotel. Se você viajar com a família ou com amigos, então, o preço por noite cai absurdamente em um modelo de aluguel como esse. Além disso, se você optar por este tipo de hospedagem, você vai ter mais curiosidade para conhecer vários hotéis locais. Experimente o café-da-manhã do Le Sereno, almoce no Le Guanahani e prove os coquetéis do Hotel Christopher admirando o pôr-do-sol. Todas as praias deslumbrantes na ilha são públicas, então alugue uma scooter ou um moke (uma espécie de buggy) por um preço muito menor que de um carro.

  • 16. Clear Lake, Iowa, Estados Unidos

    Uma joia no meio oeste norte-americano, Clear Lake, uma pequena cidade com apenas 8.000 habitantes em Iowa, foi nomeada como uma das melhores praias do país pelo “USA Today” e é a indicação de Lisa Trudell, cofundadora do site “The Walking Tourists”. No grande lago, é possível alugar barcos e passear no charmoso “cruzeiro” Lady of the Lake. Existem ótimos lugares para hospedagem com preços acessíveis, incluindo acampamentos em yurts (espécie de cabana) no McIntosh State Park por apenas US$ 25 por noite e quartos temáticos no Hilltop Motel. Além disso, a cidade oferece a maior celebração de 4 de julho (comemoração da independência norte-americana) do estado de Iowa, recebendo 50.000 visitantes por ano para eventos ao longo de toda a semana.

  • 17. Denver, Estados Unidos

    Beth Whitman, que possui aproximadamente 30 anos de experiência em viagem e é conhecida como especialista em roteiros para mulheres, afirma que, devido à sua localização central, Denver é uma excelente cidade para visitar nos Estados Unidos. O lugar amadureceu nos últimos anos, tornando-se um ótimo destino para quem procura cultura, gastronomia e atividades ao ar livre. Você pode fazer um passeio gratuito na cervejaria Coors ou, se preferir algo um pouco mais saudável, conhecer a fábrica de chás Celestial Seasonings. Durante o verão, o City Park oferece concertos gratuitos de jazz. Se você não se importar de gastar um pouco de dinheiro, uma das maiores alegrias que você pode dar a si mesmo é uma viagem para o Parque e Anfiteatro Red Rocks, onde uma ampla variedade de artistas se apresentam durante toda a estação. É possível, ainda, eleger uma direção e seguir para as montanhas para um dia de caminhadas. Mas vá logo cedo, pois durante o verão os estacionamentos ficam lotados rapidamente. Leve muita água (por causa da altitude) e também seus próprios lanches, já que muitos dos parques não oferecem regalias, além de banheiros. Se estiver em busca de um lugar barato para ficar, opte pelo Hostel Fish, que é um pouco mais sofisticado que um albergue, com quartos privativos, um restaurante, espaço com música e comodidades como wifi gratuito.

  • 18. Borrego Springs, Califórnia, Estados Unidos

    Lanee Lee e Lindsay Taub são cofundadoras do premiado website de viagem “VoyageVixens” e contam que, apesar de pequena – 3.400 habitantes -, Borrego Springs possui muitas atrações. Galleta Meadows, por exemplo, é uma experiência de safári em meio a artes com 130 esculturas de metal em tamanho real (a maioria de animais de todos os tipos, dos modernos aos pré-históricos e fantasiosos) do artista Ricardo Breceda. Nos arredores da cidade, se perca no Anza-Borrego Desert State Park, onde você pode caminhar, andar de jeep nas terras baldias, ver uma super produção de flores silvestres e encontrar animais nativos, como o carneiro-selvagem. O mais luxuoso hotel da região chega a, no máximo, US$ 225, mas é possível fazer melhor negócio em motéis e hospedagens do Airbnb. A comida também é barata.

  • 19. Jupiter, Flórida

    Alyssia Ramos viaja pelo mundo constantemente, escreve sobre suas experiências e sugere Jupiter como um destino para essa temporada. É uma pequena cidade – mas de rápido crescimento – a 15 minutos de Palm Beach. Era, até pouco tempo, uma localidade de praias adormecidas e desconhecida, mas tornou-se uma cidade tropical cobiçada. Sua atração principal são os quilômetros de litoral, que ainda não foram invadidos por restaurantes caros e lojas de souvernirs para turistas. É possível encontrar lugares deliciosos para comer nas proximidades e a maioria oferece happy hours incríveis, como o Guanabanas e o Thirsty Turtle. Existem, ainda, opções com ótimos preços para se hospedar, assim como uma variedade de alternativas via Airbnb. Para completar, o clima em Jupiter é quase perfeito.

  • 20. Líbano

    Patricia Stone, fundadora do website de viagens “Global Adventuress” que já viajou para 155 países, diz que o Líbano é um país fascinantemente diverso no Oriente Médio. Visitantes que adoram história, natureza e aventura podem caminhar por várias trilhas nesse vale sagrado. Algumas ótimas opções de hospedagem são o Old Patriarchs Monastery, por cerca de US$ 10 a noite (com café da manhã), ou hotéis do tipo “bed and breakfast” por US$ 80. Se certifique de experimentar os doces locais, os “kenafees”, por apenas US$ 2. De maio a agosto, o clima é perfeito para caminhar. Se o tempo permitir, visite a cidade histórica Baalbek, participe de uma degustação de vinhos, passeie por cavernas de 2.000 anos no Kasara e coma a melhor comida libanesa na cidade Zahle. Os libaneses são muito hospitaleiros e a maioria fala inglês, francês e árabe.

  • 21. Antígua

    A blogueira de viagem Anna Lisa sugere que você visite Antígua nesta temporada. Famosa por suas 365 praias (uma para cada dia do ano, como muitos afirmam), é o lar de um punhado de expatriados britânicos e italianos. A ilha oferece muito da cultura caribenha e influência europeia sem a etiqueta de um lugar cobiçado de outros lugares na Europa, como as Ilhas Virgens Britânicas. No verão caribenho, o turismo está mais fraco, o que significa negócios mais acessíveis com hotéis, praias vazias, dispensa de reservas em restaurantes e a certeza de poder ler um livro com tranquilidade na beira da piscina. Os restaurantes priorizam ingredientes locais para criar pratos interessantes. Destroços de antigos fortes britânicos e anomalias geológicas fazem parte dos passeios educativos em família. O mirante Shirley Heights oferece, todo domingo à noite, churrasco e música ao vivo, mostrando um pouco o quão animado e receptivo é o povo nativo. Não perca a chance de conhecer Rendezvous Bay, provavelmente a praia mais bonita e deserta em todo o Caribe, onde só é possível chegar de barco ou caminhando. Para os que preferem uma maneira mais fácil de chegar às ondas, a praia Half Moon Bay é a dica, apenas um pouco menos deslumbrante. Lá está localizado um bar com ótimos aperitivos e tem sombra à vontade, graças a palmeiras e mangues, para quem quiser se esconder do calor. Um bom lugar para ficar é o Ocean Point Resort e Spa, com custo bem razoável. Ou considere o Cocobay, que oferece promoções de verão. Você pode finalizar seus dias mergulhando em um oceano com águas quentes e cristalinas o suficiente até para quem não gosta muito de entrar na água.

  • 22. Bellingham, Washington, Estados Unidos

    Lanee Lee e Lindsay Taub, cofundadoras do premiado blog de viagens “VoyageVixens”, sugerem Bellingham como o destino desta temporada. Pegue uma cerveja, coma uma pizza e se case – tudo no mesmo lugar: o The North Fork Brewery. Além da interessante capela com uma cervejaria nos arredores da cidade, Bellingham é ideal para amantes da gastronomia e de ambientes ao ar livre. E está repleto de lugares “bed and breakfast”, como o Tree Frog Night Inn. O mercado local de frutas e verduras é lendário, assim como a prática de canoagem no Chuckanut Bay. Taylor Shellfish não pode ser ignorado, especialmente para um encontro com a comida mais fálica do mundo.

  • 23. Kiev, Ucrânia

    Segundo Patricia Stone, fundadora do “Global Adventuress”, website criado para que as mulheres dividam experiência de viagens, Kiev é o lugar ideal nesta temporada para quem gosta de história, arte e cultura. Existem igrejas abobadadas de ouro, museus, concertos de dança ucraniana, mercados e galerias com quadros à venda por US$ 125. Esta temporada é ótima para passear pelos parques e pela cidade, indo do histórico Andriyivskyy Descent até o bairro mais baixo, Podil. Um destaque da região é o mosteiro Kiev Pechersk Lavra, do século 11, com catacumbas e uma coleção de ouro do antigo período Scythian. Se você precisar de um descanso, agende uma massagem facial (60 minutos por apenas US$ 10) ou corporal (US$ 40) no Leonardo Wellness Center. É recomendável utilizar um guia particular, pois Kiev não é uma cidade fácil de conhecer. Hotéis de 3 e 4 estrelas na cidade começam em US$ 45 por noite.

  • 24. Montreal, Quebec, Canadá

    Você inveja as viagens para a Europa, mas não o suficiente para se comprometer com o tempo e investimento que esses longos vôos exigem? Segundo Anna Lisa, blogueira de turismo, Montreal é a solução perfeita. Localizada a cinco horas de carro de Boston – ou um vôo de 90 minutos a partir de Nova York -, a maior cidade de Quebec oferece uma mistura perfeita da antiga arquitetura europeia com a modernidade cosmopolita. Passe manhãs caminhando pelas ruas da velha Montreal, comendo os beignets (uma espécie de carolina) do Cafe Olimpico e sentindo como se fosse parte do filme “Meia-Noite em Paris”. As pessoas que moram na cidade são muito amigáveis com os turistas. Seja aproveitando uma viagem romântica ou um final de semana imerso em cultura, Montreal é um segredo que merece ser compartilhado. Se você conseguir esquecer que está no Canadá, é possível se achar em poderia achar que estava em Lausanne, na Suíça, ou Lyon, na França. Os hotéis e Airbnbs têm faixas de preços muito acessíveis. O Hotel Nelligan e o Hotel10 (voltado para um público mais jovem) estão abaixo dos US$ 200, especialmente se reservados com antecedência. O Hotel William Gray, que reflete a habilidade dessa charmosa cidade de juntar o velho e novo, oferece o dobro do metro quadrado por um preço menor do que você pagaria pela mesma acomodação em Paris. Aqueles que não gostam de ambientes urbanos, podem tirar um dia para fazer uma caminhada pela cidade Mont Tremblant.

  • 25. Cannon Beach, Oregon, Estados Unidos

    Beth Whitman, especialista em viagens para mulheres com 30 anos de experiência, explica que, apesar de Cannon Beach não ser a opção mais barata na costa do Oregon, existem maneiras de fazer desse lugar um escape viável nesta temporada. E há algo para cada perfil de turista – famílias, amigos, viajantes solitários – nesta pequena cidade. Com a natureza como moldura, existem várias opções de entretenimento ao ar livre. A primeira parada pode ser o Haystack Rock, o icônico afloramento rochoso que se sobressai nas águas. Lá você pode caminhar pelas pedras quando a maré está baixa e procurar estrelas-do-mar e outras criaturas do oceano. As proximidades do Ecola State Park não apenas oferecem trilhas incríveis que acompanham a linha costeira, mas também lugares para acampar. Para aproveitar mais, pare no Pig ‘n Pancake, onde você pode conseguir um café da manhã farto e econômico. Considere alugar uma casa na praia com uma cozinha. Uma dica é que muitas acomodações na cidade oferecem taxas especiais para reservas entre domingo e quinta-feira. Outra opção é o McBee Cottages, localizado a um quarteirão da praia – um pouco mais barato que os lugares próximos do mar.

1. Maine, Estados Unidos

Segundo Meredith Perdue, cocriadora do “Map & Menu”, website de comidas e viagens, a costa de Maine é o principal destino desta temporada e por um bom motivo: quem resiste à ideia de comer vários sanduíches com lagosta enquanto explora quilômetro por quilômetro do histórico litoral rochoso? Ao planejar uma viagem para o Maine durante a alta temporada, a costa pode parecer intimidadora no começo. Se você conseguir se arriscar um pouco mais e sair do caminho previsível – mesmo durante a alta temporada – vai fazer um bom negócio. Apesar de destinos como as cidades Camden e Kennebunkport e a Ilha de Mount Desert precisarem estar na lista de lugares para visitar ao passar pelo estado, ampliar sua busca para além desses populares pontos turísticos vai ser muito mais barato no longo prazo. Alguns dos escapes preferidos podem ser encontrados na região Midcoast. O Motel Lincolnville é um achado, recentemente reformado, ao lado de uma estrada que se localiza ao norte da tão popular Camden, enquanto o charmoso Nebo Lodge está a aproximadamente 20 km fora do continente na ilha de North Haven. Ambos possuem preços acessíveis, mas ainda são estilosas opções que oferecem a perfeita experiência da costa de Maine. Ao visitar a área, pare para comer no Dot’s, em Lincolnville, ou siga em direção a Rockland para provar os deliciosos cachorros-quentes na lanchonete Wasses. E se certifique de ficar atento a algum dos numerosos lobster pounds ao redor das muitas enseadas, onde frutos do mar recém-saídos do barco estão frequentemente disponíveis por preços menores que os do mercado.

Comentários
Topo