Fotos

6 empresas brasileiras que surgiram na internet

Não é de hoje que as empresas estão investindo no comércio online. Algumas delas, no entanto, já nasceram no mundo digital. De produtos voltados para pets a vinhos, oferecer serviços e produtos à distância de um clique tem sido também o objetivo de diversas empresas brasileiras.

LEIA MAIS: 10 marcas de luxo mais valiosas do mundo em 2016

A Zarpo, por exemplo, empresa especializada na oferta de pacotes de viagens personalizados em hotéis conhecidos, com preços inferiores ao normal, tem como foco o mercado A-B. Já a Amaro, e-commerce de uma marca só, fez o caminho inverso e, atualmente, possui alguns Guide Shops, ou seja, pontos de venda presenciais, embora ainda concentre boa parte de seus esforços nas transações online.

Veja, na galeria de fotos, 6 empresas brasileiras que surgiram na internet:

  • Steal the Look

    A plataforma foi criada em 2012 pelos sócios Manuela Bordasch, Catharina Dietrich e Arthur Chini, com o objetivo de integrar moda e tecnologia, e já contabiliza 2,2 milhões de acessos mensais. A ideia é oferecer curadoria, ou seja, conteúdos sobre looks e tendências fashion. Ao clicar em determinada peça, o usuário é redirecionado para a loja virtual que a comercializa. Recentemente o trio lançou o Steal The Look Shop, e-commerce próprio que já conta com mais de 40 marcas brasileiras no portfólio.

  • AMARO

    Lançada em 2013, a marca comercializa roupas e acessórios para o público feminino. Um de seus diferenciais é ser um e-commerce monomarca. Dois anos após o lançamento, passou a investir no mercado omni-channel, com a abertura dos Guide Shops. Os pontos de venda disponibilizam as peças para promover o contato presencial, mas os clientes não saem com os produtos da loja – a venda é finalizada de forma online e entregue na casa do comprador. E tudo de forma bem rápida: clientes de São Paulo recebem suas compras em até duas horas e meia.

  • Zarpo

    A plataforma comercializa pacotes de viagens (trechos aéreos e terrestres) ou de hospedagens com valores “mais acessíveis” – que podem ser entre 20% e 50% menores do que os tradicionais – nos principais hotéis do Brasil e do mundo. Seus fundadores, os franceses Alexis Manach e Eloy Déchery, tem como foco principal o público A-B e oferecem serviços personalizados, como o mordomo Zarpo, que presta apoio antes e após da compra. Atualmente são mais de 5 milhões de sócios cadastrados. Em 2016, a empresa obteve receita de R$ 160 milhões, valor 85% maior do que em 2015. O ticket-médio dos pacotes é de R$ 3.500.

  • EVino

    O e-commerce focado em vinhos foi criado em 2013 e tem como sócios Ari Gorenstein e Marcos Leal. Além de comercializar vinhos com preços menores, a plataforma realiza, periodicamente, vendas especiais com descontos maiores. Há, ainda, um setor focado em vinhos premium, com valores que chegam a R$ 400. O fundo de investimentos alemão Project A é um dos investidores da EVino.

  • SpoonRocket

    O aplicativo pertence a Movile, mesma empresa proprietária do iFood. A diferença, porém, é que o SpoonRocket é focado na entrega de pratos de restaurantes com ticket médio mais alto. Toda a parte de logística e entrega é realizada pela empresa, desde o armazenamento do alimento até a escolha do portador – todos os funcionários passam por treinamento. O objetivo principal foi trabalhar com restaurantes mais sofisticados, que muitas vezes têm resistência para se filiar a um serviço customizado de entregas.

  • PetLove

    O petshop online foi fundado em 1999 pelo veterinário Márcio Waldman. Atualmente oferece mais de 10 mil produtos cadastrados e já soma 90 mil clientes. Um dos diferenciais é o serviço de assinatura: o usuário pode escolher receber o mesmo produto diversas vezes em determinado período de tempo, sem precisar realizar novos pedidos. Quem opta por esta modalidade, ganha 10% de desconto no valor final da compra.

Steal the Look

A plataforma foi criada em 2012 pelos sócios Manuela Bordasch, Catharina Dietrich e Arthur Chini, com o objetivo de integrar moda e tecnologia, e já contabiliza 2,2 milhões de acessos mensais. A ideia é oferecer curadoria, ou seja, conteúdos sobre looks e tendências fashion. Ao clicar em determinada peça, o usuário é redirecionado para a loja virtual que a comercializa. Recentemente o trio lançou o Steal The Look Shop, e-commerce próprio que já conta com mais de 40 marcas brasileiras no portfólio.

Comentários
Topo