Carreira

10 mitos da linguagem corporal que limitam seu sucesso

A linguagem corporal tem um papel fundamental na vida profissional das pessoas, desde a primeira entrevista de emprego até o processo de construção de relações no trabalho, pois poderá influenciar a imagem de um líder.

LEIA TAMBÉM: 3 maneiras de ensaiar para fazer negociações com confiança

Entretanto, nem tudo o que você ouviu sobre linguagem corporal está correto. Não limite seu sucesso ao acreditar em certos mitos.

Deduzir certas características de outras pessoas a partir de sinais não verbais – que vão de braços cruzados a contatos visuais – pode prejudicar sua comunicação.

Veja, na galeria abaixo, 10 mitos da linguagem corporal que limitam seu sucesso:

  • 1. Utilizar a linguagem corporal para passar uma impressão positiva não é algo autêntico

    Esse é um mito frequentemente repetido por gerentes, líderes e executivos que entendem o valor de passar horas criando, revisando e ensaiando o que dirão para gerar uma impressão positiva em uma reunião ou negociação importante. Em qualquer interação de negócios, você irá se comunicar por dois canais – verbal e não verbal – resultando em duas conversas simultâneas. Enquanto um discurso bem escrito ou uma estratégia de negociação bem projetada são, obviamente, importantes, eles não compõem a única mensagem que você passa. Em uma discussão de negócios de 30 minutos, duas pessoas podem enviar mais de 800 sinais não verbais diferentes. Logo, não é mais ou menos autêntico se preparar para essa segunda conversa do que é se preparar para a primeira.

  • 2. A linguagem corporal é 93% da comunicação

    Por outro lado, se você acredita que tudo o que precisa fazer para ser um bom comunicador é cuidar da sua linguagem corporal, está subestimando o poder da sua mensagem verbal. Esse mito é baseado em um erro de um estudo clássico do Dr. Albert Mehabrian. Ele afirma que o impacto total da mensagem é formado da seguinte forma: 7% das palavras utilizadas, 38% do tom da voz, volume, velocidade da fala e inclinação vocal e 55% de expressões faciais, gestos manuais, postura e outras formas de linguagem. Mas Mehabrian nunca afirmou isso dessa forma. Sua pesquisa estava exclusivamente focada na comunicação das emoções – especificamente gostar ou não gostar.

  • 3. Pessoas mentirosas não fazem contato visual

    O maior mito entre as afirmações sobre linguagem corporal é que pessoas mentirosas evitam contato visual. Enquanto alguns, especialmente crianças, podem ter dificuldade de mentir olhando para você, outros farsantes, especialmente os mais descarados ou acostumados a isso, podem tentar compensar essa atitude para “provar” que não estão mentindo e acabam por fazer muito contato visual, mantendo o olhar. Se você relacionar a falta de contato visual com mentiras, vai interpretar mal as pessoas que são tímidas, introvertidas ou vieram de culturas onde contatos visuais muito longos são considerados rudes ou ameaçadores.

  • 4. A postura de super herói muda a química do corpo

    O conceito de que dois minutos fazendo a “postura de poder” (ficar com o pé separado e as mãos na cintura) aumenta a testosterona (hormônio do poder) e diminuiu o cortisol (hormônio associado ao estresse) foi popularizado por Amy Cuddy, em 2010, em um TED Talk sobre seu estudo de psicologia social. Esses impressionantes resultados foram citados em vários blogs e discursos sobre linguagem corporal. Mas a recente reação de Dana Carney, copesquisadora com Amy, e a incapacidade de outras universidades de repetirem os resultados, geraram dúvidas sobre a afirmação. Entretanto, é possível dizer que uma boa postura (em pé ou sentando com a cabeça erguida, os pés firmes no solo e ombros para trás) faz você parecer e se sentir mais confiante.

  • 5. Braços cruzados significam resistência

    Obviamente, cruzar os braços frequentemente indica resistência, mas isso pode também significar muitas outras coisas – ou nada – dependendo do indivíduo e da situação. Se uma pessoa senta em uma cadeira sem apoio, aumenta a probabilidade de cruzar os braços – assim como em uma sala muito fria. Se alguém se mexe muito quando está pensativo, cruzar os braços é uma maneira de aumentar a concentração. O problema em acreditar no mito dos braços cruzados é que você talvez não perceba que o gesto está vindo de alguém com frio, concentrado ou que simplesmente se sente mais confortável assim.

  • 6. A direção dos olhos está relacionada a mentiras

    Na programação neurolinguística, a abordagem da comunicação diz que olhar para a direita indica mentiras e olhar para a esquerda sugere uma verdade. Isso, entretanto, foi desaprovado por recentes pesquisas. A Universidade de Edimburgo conduziu três estudos e não encontrou nenhuma correlação entre a direção do movimento dos olhos e a veracidade da fala.

  • 7. Você pode dizer o que alguém está pensando ao analisar sua linguagem corporal

    Não, você não pode. Não somos leitores de mente. Apesar da linguagem corporal fornecer dicas sobre o estado emocional de alguém (bravo, triste, feliz, indignado, receoso etc.), não dá para afirmar o motivo de a pessoa estar exibindo essa emoção. É por isso que o coach John Sudol explica o perigo de assumir que sabemos o que está por trás de uma expressão negativa: “Em uma entrevista de negócios, por exemplo, o que você interpretar sobre o rosto do entrevistador pode provocar uma variedade de respostas não desejadas, como ansiedade, dúvidas e insegurança”. Posteriormente, Sudol contou que adotou um mantra pessoal para diminuir o impacto negativo de uma expressão brava ou hostil: “O que aparece no rosto deles não é sobre mim”.

  • 8. Linguagem corporal é uma ferramenta eficaz para distinguir seus verdadeiros sentimentos

    O problema desse mito é que pesquisas mostraram que tentar esconder emoções genuínas exige um esforço de consciência tão grande que raramente é bem-sucedido. Sempre que alguém tenta demonstrar qualquer sentimento forte e fingir outro, o corpo deixa escapar pistas não verbais que são percebidas de maneira consciente ou subconsciente pelo interlocutor.

  • 9. Falar movimentando as mãos é algo pouco profissional

    Se você tentar evitar esse mito mantendo suas mãos paradas enquanto fala, limitará sua eficácia como comunicador. Gestos não ajudam somente os ouvintes a rastrearem e interpretarem o que você está dizendo. Gesticular enquanto você fala pode, na verdade, potencializar seu pensamento.

  • 10. Aumentar a eficiência da comunicação altera comportamentos não verbais

    Tente apenas sorrir mais e veja o quanto isso melhora a dinâmica das suas interações. Um sorriso sincero não apenas estimula sua própria sensação de bem estar, mas também comunica para as pessoas ao seu redor que você está acessível, cooperativo e confiável. Um sorriso verdadeiro aparece lentamente, faz seus olhos diminuírem, ilumina sua expressão e desaparece devagar. Sorrir influencia diretamente a maneira como outras pessoas respondem a você. Quando você sorri para alguém, elas quase sempre sorriem de volta. E, como expressões faciais desencadeiam sentimentos correspondentes, o sorriso que você recebe de volta muda seu estado emocional de maneira positiva. Nada mal para uma pequena mudança não verbal.

1. Utilizar a linguagem corporal para passar uma impressão positiva não é algo autêntico

Esse é um mito frequentemente repetido por gerentes, líderes e executivos que entendem o valor de passar horas criando, revisando e ensaiando o que dirão para gerar uma impressão positiva em uma reunião ou negociação importante. Em qualquer interação de negócios, você irá se comunicar por dois canais – verbal e não verbal – resultando em duas conversas simultâneas. Enquanto um discurso bem escrito ou uma estratégia de negociação bem projetada são, obviamente, importantes, eles não compõem a única mensagem que você passa. Em uma discussão de negócios de 30 minutos, duas pessoas podem enviar mais de 800 sinais não verbais diferentes. Logo, não é mais ou menos autêntico se preparar para essa segunda conversa do que é se preparar para a primeira.

Comentários
Topo