Fotos

5 estratégias para economizar na Black Friday

Nos últimos anos, a Black Friday evoluiu de um simples feriado de compras para uma caça por promoções de 96 horas que vão do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos até a segunda-feira depois da data.

LEIA MAIS: Black Friday deve movimentar R$ 2,19 bilhões em vendas neste ano

Neste ano, segundo a RetailMeNot, empresa especializada em descontos, 68% dos norte-americanos farão compras durante o fim de semana da Black Friday, gastando uma média de US$ 743 – um aumento de 47% comparado ao que gastaram em 2016.

Mas, para garantir que você está realmente gastando o mínimo possível naquilo que deseja comprar, utilize as 5 estratégias de compras de Janet Alvarez, especialista em finanças pessoais e cartão de crédito.

  • 1. Saiba quais itens são um bom negócio e quais não são

    Você verá preços menores em itens como computadores de marcas desconhecidas e eletrônicos com tecnologias ultrapassadas, afirma Janet, mas não espere grandes descontos nos modelos de marcas renomadas e de última geração. Esses produtos não entrarão em liquidação até o último minuto – isso se entrarem.

    Saiba quais itens da sua lista são mais caros para que você tenha uma ideia clara do quanto dá pra economizar no total. Se não estiver satisfeito com o desconto, considere esperar até mais perto do Natal, quando os comerciantes estarão mais propensos a começar a reduzir os preços.

  • 2. “Engane” o site de compras

    A intenção de 59% dos compradores é adquirir produtos de forma online, de acordo com uma pesquisa de gastos no feriado da NRF (National Retail Federation). Se você está nesse grupo e pretende comprar em lojas virtuais dos EUA, simule uma compra do item que deseja dias antes e abandone o carrinho, sem concluí-la. Isso aumentará as chances de você receber uma proposta, por email, com um bom desconto. Se a ideia for aproveitar os pacotes de viagem, tente a mesma estratégia.

  • 3. Compre de outros lugares

    Nos Estados Unidos, os varejistas “tendem a definir o preço com base no código postal”, ensina Janet, o que significa que os preços variam de acordo com a área onde os consumidores estão: aqueles que vivem em regiões consideradas de maior renda vão, provavelmente, enxergar preços maiores do que os que estão localizados em áreas de renda menor. Uma coisas que você pode tentar para encontrar preços menores em lojas online dos EUA é limpar os cookies no seu laptop ou pegar seu celular e fazer compras enquanto está no escritório ou na academia, por exemplo, se eles estiverem em áreas menos favorecidas.

    No caso de lojas online de varejo que rastreiam sua localização, como a Amazon, pode ser interessante se deslocar antes de fazer compras online, conclui a especialista.

  • 4. Peça ajuda

    Enquanto faz compras online durante o fim de semana da Black Friday vale a pena usar os chats online para, educadamente, pedir um desconto maior ou até solicitar que o frete não seja cobrado. “Tudo que você precisa fazer é pedir com educação”, ensina Janet.

  • 5. Não ignore as lojas menores

    Ao mesmo tempo em que os grandes varejistas investem fortemente em propaganda para levar compradores às suas lojas durante o período de descontos, são suas matrizes que definem os preços, afirma Janet. Já nas lojas locais acontece exatamente o contrário: elas têm poder de decisão e normalmente oferecem condições melhores. Por isso, não as ignore.

1. Saiba quais itens são um bom negócio e quais não são

Você verá preços menores em itens como computadores de marcas desconhecidas e eletrônicos com tecnologias ultrapassadas, afirma Janet, mas não espere grandes descontos nos modelos de marcas renomadas e de última geração. Esses produtos não entrarão em liquidação até o último minuto – isso se entrarem.

Saiba quais itens da sua lista são mais caros para que você tenha uma ideia clara do quanto dá pra economizar no total. Se não estiver satisfeito com o desconto, considere esperar até mais perto do Natal, quando os comerciantes estarão mais propensos a começar a reduzir os preços.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Comentários
Topo