Fotos

7 curiosidades sobre o Plaza Hotel

O Plaza Hotel de Nova York é, na verdade, a segunda versão do icônico estabelecimento a ocupar a privilegiada localização na Central Park South. A primeira, construída em 1880, foi destruída em 1905 para se tornar ainda maior.

LEIA MAIS: Cobertura triplex do Plaza volta ao mercado em Nova York por US$ 50 mi

O novo hotel levou 27 meses para ficar pronto e sua construção ultrapassou o orçamento inicial em 50%, custando cerca de US$ 12,5 milhões (aproximadamente US$ 400 milhões em valores atuais). Seus investidores eram alguns dos homens mais ricos dos Estados Unidos, incluindo o fundador da Texaco, John Gates, e o magnata do mercado imobiliário Harry S. Black, que preencheram o local com diversos itens luxuosos – cinco grandes escadarias, dez elevadores e 1.650 lustres de cristais. Tudo para atrair as pessoas mais ricas do país – objetivo no qual foram muito bem-sucedidos.

A iniciativa estabeleceu o tom para os próximos 110 anos. O hotel se tornaria um marco de Manhattan, a estrela de filmes e um troféu do mercado imobiliário cobiçado pelas pessoas mais ricas do mundo.

Veja, na galeria abaixo, 7 curiosidades sobre o Plaza Hotel:

  • 1925

    O Plaza aparece na história do clássico “O Grande Gatsby”, de F. Scott Fitzgerald. Trinta anos depois, Kay Thompson publicou um livro para jovens sobre uma garota que se torna a residente mais famosa do hotel: Eloise. Hoje, o hotel possui suítes inspiradas nos dois trabalhos.

  • 1943

    Depois do primeiro grupo proprietário do Plaza enfrentar problemas financeiros e dívidas, o hotel foi vendido por US$ 7,4 milhões (cerca de US$ 108 milhões atualmente) para o empresário Conrad Hilton e Floyd Odlum, de um importante conglomerado. Hilton iria, posteriormente, rotular sua compra como algo caro e aristocrático.

  • 1959

    O Oak Bar do Plaza apareceu primeiramente no filme “Intriga Internacional”, de Alfred Hitchcock. Posteriormente, o hotel teria breves aparições em dois filmes de Robert Redford: “Descalços no Parque”, de 1967, e “Nosso Amor de Ontem”, de 1973.

  • 1988

    O hotel já mudou de proprietário inúmeras vezes nas últimas três décadas – incluindo um período em que pertenceu ao portfólio dos hotéis Westin. O Plaza foi palco de uma longa batalha que terminou com Donald Trump como vitorioso. Ele chama o hotel de “Minha Monalisa” e investiu aproximadamente US$ 400 milhões (cerca de US$ 852 milhões atualmente) para tê-lo entre seus negócios.

  • 1993

    Depois de aparecer como ele mesmo em uma cena no Plaza em “Esqueceram de Mim 2 – Perdido em Nova York” (1992)”, Trump casou com Marla Maples no Grand Ballroom, que também foi palco do lendário baile de máscaras Black and White Ball organizado por Truman Capote em 1966. Desastrosos problemas financeiros forçaram Trump a vender o Plaza em 1995, com prejuízo, para o bilionário saudita Príncipe Alwaleed e o bilionário de Singapura Kwek Leng Beng por US$ 352 milhões.

  • 2004

    Hoje, o hotel pertence ao El Ad Group, que comprou o Plaza por US$ 675 milhões em 2004. Ele ficou fechado por três anos para uma restauração de US$ 450 milhões para transformar parte da construção em apartamentos.

  • 2017

    Cinco anos depois de comprar uma participação de 75% do hotel por US$ 575 milhões, o Sahara Group, que enfrenta diversos escândalos financeiros na Índia, colocou sua participação no Plaza à venda em agosto. O hotel de Eloise talvez tenha outro proprietário em breve.

1925

O Plaza aparece na história do clássico “O Grande Gatsby”, de F. Scott Fitzgerald. Trinta anos depois, Kay Thompson publicou um livro para jovens sobre uma garota que se torna a residente mais famosa do hotel: Eloise. Hoje, o hotel possui suítes inspiradas nos dois trabalhos.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Comentários
Topo