Fotos

As 10 melhores estações de esqui da América do Norte para 2018

Para a maioria dos esquiadores, há um momento de mistério antes de cada temporada de esqui. A questão “onde esquiar” desperta o detetive em todos os praticantes do esporte, que, muitas vezes, recorrem à internet para encontrar dicas e novidades. Pesquisar é parte da experiência de uma viagem de esqui tanto quanto os equipamentos, a acomodação e a previsão do tempo.

VEJA TAMBÉM: As 50 melhores praias do mundo

Para ajudar os praticantes, o site de reservas “ZRankings” elabora, todos os anos, um ranking com as melhores estações de esqui na América do Norte. Para desenvolver a lista, é usado um critério batizado de “Fator de Pura Excelência” (PAF, na sigla em inglês). As notas PAF são produtos de um algoritmo que foi continuamente aperfeiçoado ao longo da uma década. Os critérios incluem o território da estação, o perfil da neve (quantidade, qualidade e segurança), o ambiente da cidade, a facilidade da viagem, a acomodação, a área e a inclinação da pista. Além disso, a experiência pessoal da equipe do site, que frequenta os locais de esqui ao redor do continente, também entra na composição da nota final.

Veja, na galeria de fotos, as 10 melhores estações de esqui da América do Norte para 2018:

  • 1º) Jackson Hole
    PAF: 99

    Sempre bem colocada nos rankings, Jackson Hole detém a posição de vanguarda mais uma vez. Afinal, depois de um inverno emblemático em que caíram 15 metros de neve, não poderia ser diferente.

    Além da grande quantidade de tempestades da última temporada, a estação passou por melhorias, como a inauguração da Sweetwater Gondola, que busca os esquiadores na base e os transporta em direção às melhores área do terreno de Jackson, sobretudo a que é centralizada no restaurante Casper. Apesar de todos esses atributos, o ativo mais valioso da estação continua sendo o seu terreno íngreme.

    Jackson é um local que parece um pouco mais rústico do que do que as outras estações da linha principal. Mas ele tem um nicho peculiar onde o luxo bilionário – os ranchos lá valem centenas de milhões e há um Four Seasons instalado na base – cruza-se com uma cultura de esquiadores locais que só poderia existir em um lugar onde o terreno e a neve se provam tão férteis. Muitos lugares têm um dos dois tipos de frequentadores. Jackson, de uma maneira curiosa que é muito sua, tem os dois.

    Onde ficar: Hospedar-se no Hotel Terra nunca será uma má ideia.

    Onde comer: A Persephone Bakery é uma boa escolha para café e tortas.

    Onde comprar: Sediada em Jackson, a Stio é uma marca de roupas que tem traçado seu caminho no competitivo mundo do vestuário esportivo. Há uma loja na cidade.

  • 2º) Alta
    PAF: 96,87

    Alta é, ao mesmo tempo, uma máquina do tempo e uma utopia que evoca o que o esqui era (e o que deve sempre ser). Uma olhada rápida já sinaliza aos esquiadores – não há snowboarders lá – que esse lugar é diferente. A neve cobre tudo, das placas de trânsito às faces verticais das rochas.

    Esta é uma das poucas estações de esqui capazes de fazer com que a América se sinta nos Alpes, mas com muito mais neve. Há uma crueza na experiência em Alta que, junto das melhores condições de neve do mundo, fazem da região um destino único para esquiadores.

    O que diferencia a região de todas as outras, e o que a mantém no topo dessa lista ano após ano, é a neve. Sejamos claros: Alta tem neve com mais qualidade do que qualquer outro lugar.

    Em termos gerais, esse é o melhor lugar para esquiar para as pessoas cujo foco está em apenas um fator: a neve.

    Mas Alta tem outros ótimos aspectos. Descobrir todas as pérolas desta estação de esqui é um empreendimento de décadas.

    Onde comer: Peça o filé de costela de bisão no Shallow Shaft Restaurant.

    Onde ficar: O Alta’s Rustler Lodge tem uma localização que, para os esquiadores, é superior a todas as outras na América do Norte.

  • 3º) Snowbird
    PAF: 96,72

    Qualquer um que tenha ido ao Little Cottonwood Canyon em Utah percebe que Alta e Snowbird são primos próximos, ou talvez até irmãos. Elas são as duas únicas estações de esqui que se beneficiam da melhor neve da América do Norte, e compartilham um ambiente bloqueado por ela que é único dessa curiosa rachadura na topografia de Wasatch.

    Snowbird tem a melhor neve do mundo depois de Alta e ainda ostenta outras vantagens. É mais alta – são 988 metros de queda vertical contínua que é toda atravessada por um teleférico, o bonde, que dá aos esquiadores a melhor faixa de terreno em uma só viagem fora de Jackson Hole.

    A inclinação e o terreno em Snowbird são implacáveis.

    Onde comer: O restaurante The Summit é visita obrigatória.

    Onde ficar: Não pode haver outro Cliff Lodge.

  • 4º) Vail
    PAF: 92,34

    Vail funciona como a viagem de esqui ideal para esquiadores de todos os níveis. A região é, para muitos, a quintessência das estações de esqui. Este é um papel que a estação e a cidade, que sempre foram indistinguíveis entre si, desempenham bem.

    O local continua a ser o destino âncora entre as estações de esqui do estado do Colorado – Breckenridge recebe mais esquiadores atualmente, mas Vail atrai mais esquiadores de fora do estado. Por isso, as acomodações e restaurantes são superiores aos de Breck – assim como o esqui.

    Enquanto Vail impulsionou a consolidação da indústria, a região também injetou dinheiro em suas montanhas, continuando a melhorar as experiências dos esquiadores. Esta última temporada não foi exceção.

    Além de tudo isso, é um dos únicos lugares que normalmente tem boas condições durante o início, o meio e o fim da temporada.

    Onde comer: Mountain Standard – vá ao Cast Iron King Salon e experimente o chili coreano.

    Onde ficar: O Hotel Talise é uma propriedade no oeste de Vail que dá aos esquiadores acesso direto à neve em uma área mais tranquila da estação.

  • 5º) Telluride
    PAF: 90,21

    Telluride está se tornando uma cidade de esqui mais conhecida por seus verões do que por seus invernos. Com lineups de festivais de música que rivalizam com o Lollapalooza, Telluride se tornou um ímã de turistas durante os meses mais quentes.

    Os invernos, no entanto, permanecem sublimes.

    Telluride localiza-se em um cânion em San Juan Range, no Colorado, no quadrante sudoeste do estado. As vistas são pontuadas com picos de 4.300 metros que parecem montanhas inatingíveis.

    A estação não tem neve no mesmo nível de Jackson Hole ou da maioria das montanhas de Utah, mas retém a que recebe. A preservação da neve é auxiliada pela altitude. Esse é uma alta estação – Mountain Village, onde fica a maior parte das acomodações, fica a 2.900 metros. Palmyra Peak, que fica colada a Telluride mas requer uma caminhada considerável para ser alcançada, atinge 4.105 metros (a caminhada não chega exatamente no pico, mas quase).

    O esqui em Telluride pode ser tão difícil ou fácil quanto os esquiadores quiserem. Iniciantes e praticantes intermediários encontrarão muito terreno de média dificuldade nos arredores de Mountain Village e no meio da montanha, onde ele é mais gentil. Para especialistas, Telluride tem alguns dos melhores terrenos para salto do Colorado.

    O charme do terreno de Telluride combina com o encanto da cidade, que está entre as melhores do ranking no que diz respeito a vilarejos de esqui na América do Norte. A Colorado Avenue é repleta de ótimos restaurantes e bares que valem uma visita.

    Onde comer:Onde ficar: Auberge Residences at Element 52 – completo, com acesso à pista por meio do seu próprio funicular.

  • 6º) Whistler-Blackcomb
    PAF: 89,14

    Whistler oferece uma experiência singular. A localização costeira de sua cordilheira em British Columbia é diferente de qualquer outra grande estação de montanha do continente. Como a maioria dos esquiadores sabe, o esqui lá vem em tamanho especial: grande e alto.

    A queda vertical, contínua, é de 1.630 metros. Além das verticais, os picos gêmeos de Whistler e Blackcomb oferecem aos esquiadores, juntos, 8.171 acres de terreno, o maior do continente.

    Quando chegam a Whistler Village, os esquiadores são recebidos por uma das villas de estação de esqui mais maravilhosas do mundo. As ruas mesclam pessoas e culturas de todo o globo. Os australianos amam o local; os britânicos, que são curiosamente uma grande força no mundo do esqui, como os texanos, também. Whistler é, ainda, um destino natural para visitantes de Vancouver, uma cidade global espetacular que tem uma força magnética ao longo de todo o pacífico.

    Com tanta cultura e variedade, é de se esperar que a comida em Whistler seja boa. Além disso, ela vem em qualquer forma ou variedade de sabor que alguém possa querer.

    Depois do jantar, os esquiadores encontrarão mais distrações em Whistler do que em qualquer outra cidade de esqui, incluindo Aspen. Este é um local em que as casas noturnas parecem as das grandes cidades. Na verdade, nesse aspecto, Whistler é muito mais parecida com a Europa do que qualquer outra estação de esqui da América do Norte.

    Onde comer: Peça a sopa de lagosta do The Rimrock Cafe.

    Onde ficar: A The Fairmont, principal cadeia do Canadá, não falha aqui – seu Fairmont Chateau Whistler é o conceito de luxo nas montanhas.

  • 7º) Aspen Snowmass
    PAF: 87,54

    O esqui em Aspen é seguramente bom, particularmente no fim da temporada. Há também uma grande quantidade de opções e tamanhos, pois Aspen é comprimida por quatro montanhas de esqui diferentes, cada uma com suas próprias características.

    A favorita dos especialistas que elaboraram o ranking é Aspen Highlands, onde as multidões tendem a ser mais esparsas. Há um toque de Alta e Jackson Hole na Highlands, o que é definitivamente bom. Quase igualmente interessante é a Aspen Mountain. A placa de neve na base da montanha dá espaço a alguns dos imóveis e lojas mais exclusivos. No alto dessa placa, no entanto, os esquiadores podem encontrar bolsões de clareiras sombrias do Colorado. Muitos dos esquiadores na Aspen Mountain gostam de ater-se à trilha preparada, dar algumas voltas e terminar o dia no spa. Isso deixa espaço para os mais entusiastas do esporte aproveitarem as pistas.

    No que diz respeito à cidade de Aspen, sua reputação é merecida. Os esquiadores podem comer como se estivessem em Nova York ou Chicago.

    Onde ficar: The Gant, bem na cidade.

    Onde comer: White House Tavern.

  • 8º) Park City
    PAF: 87,44

    Uma estação que fica no topo de uma das melhores cidades de esqui com uma faixa de 7.300 acres de terreno é impossível ignorar. Park City tem uma configuração que a torna única no mundo do esporte na América do Norte.

    Fica a apenas 35 minutos de distância de um grande aeroporto internacional. Além disso, suas inclinações culminam em uma cidade que, em termos de acomodação, pode ter a maior e mais profunda variedade de propriedades do mundo do esqui. Seu vasto terreno contém opções para todos os níveis de esquiadores. E, para completar, visto que Vail Resorts conseguiu assumir o controle e fundir Canyons e Park City, a estação está em uma onda de melhorias que, quase toda temporada, faz dela uma das mais interessantes de visitar.

    Onde comer: Experimente as pizzas vegetarianas e de salsicha do Davanza’s, amado pelos locais e perto do teleférico da cidade. Coma no terraço.

    Onde ficar: Hotel Park City é uma propriedade imaculada em que os menores quartos acomodam seis pessoas.

  • 9º) Beaver Creek
    PAF: 87,34

    Uma coisa sobre Beaver Creek que pode não ser muito óbvia para aqueles que não a visitaram: é uma montanha para especialistas coberta de luxo e cookies de chocolate dos bons.

    Não há ladeiras por lá que rivalizem com as de Jackson Hole ou Crested Butte, mas há muitas linhas longas e retas para recompensar aqueles que treinaram antes do inverno. Ao mesmo tempo, Beaver Creek é uma das melhores entre as grandes estações de esqui para iniciantes em toda a América do Norte.

    A estação tem o que talvez seja um dos teleféricos no estilo de tapete voador mais luxuosos do Colorado. Um túnel de Plexiglass (como um aquário de acrílico) cobre o transportador, que não apenas mantém o calor durante a subida como também bloqueia completamente o vento, o que é bom para crianças e iniciantes que não estão acostumados com os dias de inverno profundo do Colorado.

    É grande, é alto, as vistas são gloriosas e há todo tipo de esconderijo e pequenas atividades para esquiar entre as florestas, incluindo uma mina de ouro artificial.

    Onde comer: O fabuloso Grouse Mountain Grill.

    Onde ficar: Arrowhead Village, em Beaver Creek.

  • 10º) Winter Park
    PAF: 87,26

    A nova empresa de esqui que detém Winter Park irá, provavelmente, incluir a estação em um roteiro que também inclui Aspen, Steamboat, Squaw Valley, Mammoth e outros, o que deve colocar Winter Park no radar de um grupo muito maior de esquiadores.

    Com ou sem este aumento na frequência, Winter Park sempre foi uma montanha de esquiadores, com um perfil de neve que está entre a elite da América do Norte.

    A cidade não será confundida com Steamboat ou Park City, mas a área em torno da estação tem sido consistentemente aprimorada, assim como a vila, que tem acrescentado opções de acomodação e gastronomia com bons preços nos últimos 15 anos.

    Os esquiadores vão perceber que Winter Park é um destino que vale a pena, mas que fica em uma parte mais calma do Colorado. É um dos melhores lugares para umas férias durante a semana.

    Onde comer: Pepe Osaka’s Fishtaco, uma mistura que traz o melhor de muitas coisas juntas.

    Onde ficar: Zephyr Mountain Lodge: justamente onde os esquiadores precisam estar.

1º) Jackson Hole
PAF: 99

Sempre bem colocada nos rankings, Jackson Hole detém a posição de vanguarda mais uma vez. Afinal, depois de um inverno emblemático em que caíram 15 metros de neve, não poderia ser diferente.

Além da grande quantidade de tempestades da última temporada, a estação passou por melhorias, como a inauguração da Sweetwater Gondola, que busca os esquiadores na base e os transporta em direção às melhores área do terreno de Jackson, sobretudo a que é centralizada no restaurante Casper. Apesar de todos esses atributos, o ativo mais valioso da estação continua sendo o seu terreno íngreme.

Jackson é um local que parece um pouco mais rústico do que do que as outras estações da linha principal. Mas ele tem um nicho peculiar onde o luxo bilionário – os ranchos lá valem centenas de milhões e há um Four Seasons instalado na base – cruza-se com uma cultura de esquiadores locais que só poderia existir em um lugar onde o terreno e a neve se provam tão férteis. Muitos lugares têm um dos dois tipos de frequentadores. Jackson, de uma maneira curiosa que é muito sua, tem os dois.

Onde ficar: Hospedar-se no Hotel Terra nunca será uma má ideia.

Onde comer: A Persephone Bakery é uma boa escolha para café e tortas.

Onde comprar: Sediada em Jackson, a Stio é uma marca de roupas que tem traçado seu caminho no competitivo mundo do vestuário esportivo. Há uma loja na cidade.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Comentários
Topo