Carreira

10 profissões que pagaram os bônus mais altos em 2017

Muitos setores do mercado de trabalho oferecem a seus funcionários pagamentos adicionais que variam de acordo com a área, a empresa e a performance do profissional. Em 2017, os segmentos de medicina e serviços financeiros foram os que mais ofereceram esse tipo de bônus a seus profissionais.

VEJA TAMBÉM: 10 profissões com o maior aumento de salário em 2017

Para descobrir quais posições do mercado de trabalho ganharam os maiores bônus, FORBES analisou um relatório do LinkedIn que combina dados de salários de mais de dois milhões de seus integrantes.

Veja, na galeria de fotos, as 10 profissões que ganharam os maiores bônus em 2017:

  • 10º) Consultor em gestão de riquezas
    Bônus médio anual: US$ 35 mil
    Salário médio anual:: US$ 124 mil

  • 9º) Engenheiro sênior de reservatório
    Bônus médio anual: US$ 37,5 mil
    Salário médio anual: US$ 204 mil

  • 8º) Analista bancário de investimento
    Bônus médio anual: US$ 45 mil
    Salário médio anual: US$ 125 mil

  • 7º) Cirurgião ortopedista
    Bônus médio anual: US$ 50 mil
    Salário médio anual: US$ 450 mil

  • 6º) Radiologista
    Bônus médio anual: US$ 50 mil
    Salário médio anual: US$ 366 mil

  • 5º) Cardiologista
    Bônus médio anual: US$ 50 mil
    Salário médio anual: US$ 360 mil

  • 4º) Cirurgião
    Bônus médio anual: US$ 50 mil
    Salário médio anual: US$ 350 mil

  • 3º) Analista de equity research
    Bônus médio anual: US$ 50 mil
    Salário médio anual: US$ 141 mil

  • 2º) Associado de private equity
    Bônus médio anual: US$ 85 mil
    Salário médio anual: US$ 178 mil

  • 1º) Associado de banco de investimento
    Bônus médio anual: US$ 100 mil
    Salário médio anual: US$ 233 mil

10º) Consultor em gestão de riquezas
Bônus médio anual: US$ 35 mil
Salário médio anual:: US$ 124 mil

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).

Comentários
Topo