Carreira

15 países onde as pessoas mais trabalham

Em todo o mundo, as pessoas estão agora voltando ao trabalho depois de um período de festas e descanso. Neste ano, alguns profissionais terão jornadas diárias mais longas do que outros. Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OECD), os mexicanos trabalham mais do que os habitantes de qualquer país, com 2.246 horas por ano – 467 a mais do que os norte-americanos por menos de um quinto do salário.

LEIA MAIS: 10 países que geram a maior quantidade de lixo eletrônico

Nos últimos tempos, o governo da Coreia do Sul tem tentado diminuir as longas jornadas de trabalho impostas no país, mas os profissionais coreanos ainda dedicam, em média, 2.113 horas por ano às suas atividades laborais.

Os gregos já foram considerados funcionários muito bem pagos, preguiçosos e ansiosos para se aposentar, mas as acusações não têm fundamento. Eles são o povo que mais trabalha na Europa, com média de 2.042 horas anuais.

Os norte-americanos dedicam 1.779 horas ao trabalho, enquanto os franceses e alemães conseguiram um acordo muito melhor: 1.482 e 1.371 horas por ano, respectivamente.

Veja, na galeria de fotos a seguir, 15 países onde as pessoas mais trabalham:

  • 15) Alemanha – 1.371 horas por ano

  • 14) França – 1.482 horas por ano

  • 13) Austrália – 1.665 horas por ano

  • 12) Reino Unido – 1.674 horas por ano

  • 11) Espanha – 1.676 horas por ano

  • 10) Canadá – 1.691 horas por ano

  • 9) Japão – 1.719 horas por ano

  • 8) Itália – 1.725 horas por ano

  • 7) Estados Unidos – 1.779 horas por ano

  • 6) Turquia – 1.832 horas por ano

  • 5) Rússia – 1.978 horas por ano

  • 4) Chile – 1.988 horas por ano

  • 3) Grécia – 2.042 horas por ano

  • 2) Coreia do Sul – 2.113 horas por ano

  • 1) México – 2.246 horas por ano

15) Alemanha – 1.371 horas por ano

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br)

Comentários
Topo