3 dicas para controlar o ego e parar de pensar tanto – sem meditação

São cada vez mais recorrentes os casos de pessoas que são controladas por suas próprias mentes. Isso ocorre, normalmente, quando o ego assume o controle: a pessoa fica tão obcecada com uma decisão, um evento ou outra coisa qualquer que acaba confusa e se sente sufocada, como se não tivesse escolha. Ou nervosa, ressentida e com medo, incapaz de enxergar bondade, abundância e amor em sua vida. Apesar de saber que tem sorte e muito para agradecer, pessoas nessa situação não conseguem reconhecer isso.

LEIA TAMBÉM: 10 melhores aplicativos de meditação e mindfulness

Muita gente vive nessa condição. Segundo os pesquisadores de Harvard, Mathew A. Killingsworth e Daniel T. Gilbert, as pessoas passam 46,9% do tempo que estão acordadas pensando sobre algo além daquilo que estão fazendo. O problema é que isso, na maior parte do tempo, as torna infelizes.

O indivíduo está tão submetido à própria cabeça que nem percebe – essa é a genialidade da mente egocêntrica. A mentora espiritual Marianne Williamson diz que o fenômeno é “o ódio de si mesmo disfarçado de auto-amor”. É enganoso. É a conversa que evita toda responsabilidade e culpa os outros. É a conversa que faz de você uma vítima.

A nossa obrigação é reconhecer que a nossa mente flui naturalmente, dia após dia, a cada hora, a cada minuto, a cada segundo, de pensamento a pensamento. Devemos nos conscientizar sobre esses pensamentos e direcionar a atenção do ego para o coração. O que não é sempre fácil, pois o coração fala com sussurros, enquanto o ego é mais alto que trovão. Portanto, precisamos disciplinar a nós mesmos e a nossa mente. É por isso que grande parte das recomendações passam pela meditação, uma prática capaz de separar as pessoas de seus pensamentos e fazer com que um fluxo de consciência atinja o cérebro.

No entanto, há outras maneiras de conectar-se à área do coração, interromper os pensamentos e criar uma sensação de plenitude.

Veja, na galeria de fotos a seguir, 3 dicas para controlar o ego e parar de pensar tanto:

  • 1) Seja gentil cinco vezes por dia, uma vez por semana, por um mês e meio
    Estudos mostram que nos sentimos melhor quando fazemos o bem. Boas ações podem tornar as pessoas mais felizes, diminuir a depressão e o sofrimento. Como ser humano, queremos contribuir para algo maior e além de nós mesmos. Uma gentileza feita para outra pessoa acalma a raiva e aquieta o ego. Não importa se você é uma pessoa ocupada – não é necessário ser voluntário por horas, apesar de essa ser uma excelente iniciativa. Você pode, por exemplo, comprar um café para a pessoa que está atrás de você na fila, pagar pelo estacionamento de alguém anonimamente, fazer um elogio verdadeiro, deixar um bilhete amigável na mesa de algum colega de trabalho ou apenas se manter presente e escutar em vez de fazer várias coisas simultaneamente.

  • 2) Pratique a gratidão
    Quando estamos sendo consumidos pelos nossos próprios pensamentos, a gratidão ajuda a dar perspectiva e a expandir a atenção para além do que está errado. Shawn Anchor, especialista em felicidade e autor do livro “Before Happiness” (sem versão em português), aponta que, a cada um segundo, o corpo recebe mais de 11 milhões de informações do sistema nervoso, sendo que o cérebro só consegue processar cerca de 40. Isso significa que há mais informação disponível do que imaginamos para ajudar a nos reconectar com a realidade. Há uma outra visão para a sua situação e uma outra forma de ser.

    Se você está se sentindo preso e controlado pelo seu ego, uma dose de gratidão vai ajudar. Experimente escrever três coisas pelas quais você é grato diariamente por uma semana e preste atenção no que irá perceber. Ao envolver a sua atenção com esse sentimento, o ego perde o poder.

  • 3) Assuma a responsabilidade
    Sempre que se der conta de que está assumindo o papel de vítima, faça uma pausa e tente descobrir o que você fez para criar aquelas circunstâncias ou como é possível lidar com o tema de uma forma diferente da próxima vez. Reconhecer a sua parte em algo que o desagrada fornece um senso de controle, pois deixa claro que é possível tomar uma nova decisão para obter outro resultado. Isso também ajuda a aliviar qualquer sentimento negativo em relação às pessoas ao perceber que elas não têm culpa.

1) Seja gentil cinco vezes por dia, uma vez por semana, por um mês e meio
Estudos mostram que nos sentimos melhor quando fazemos o bem. Boas ações podem tornar as pessoas mais felizes, diminuir a depressão e o sofrimento. Como ser humano, queremos contribuir para algo maior e além de nós mesmos. Uma gentileza feita para outra pessoa acalma a raiva e aquieta o ego. Não importa se você é uma pessoa ocupada – não é necessário ser voluntário por horas, apesar de essa ser uma excelente iniciativa. Você pode, por exemplo, comprar um café para a pessoa que está atrás de você na fila, pagar pelo estacionamento de alguém anonimamente, fazer um elogio verdadeiro, deixar um bilhete amigável na mesa de algum colega de trabalho ou apenas se manter presente e escutar em vez de fazer várias coisas simultaneamente.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br)

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).