7 maneiras de manter a imunidade mental e criar resiliência emocional

Imunidade mental é não ter a capacidade de resistir ou recusar pensamentos negativos (iStock)

A imunidade mental é a base para a resiliência emocional. Da mesma forma que uma gripe pode piorar a saúde de alguém que já está debilitado, um simples contratempo ou pensamento negativo pode fazer o mesmo para quem não está “mentalmente imune”. A imunidade mental é o que acontece quando condicionamos nossas mentes a não só esperar os pensamentos relacionados ao medo ou aos desafios externos, mas a tolerá-los quando surgirem. É mudar o objetivo de evitar a dor para criar significados na vida, reconhecendo que o sofrimento fará, inevitavelmente, parte da jornada.

LEIA MAIS: 10 melhores aplicativos de meditação e mindfulness

Imunidade mental é não ter a capacidade de resistir ou recusar pensamentos negativos, é estar apto a observá-los sem agir ou, automaticamente, acreditar que eles representam a realidade.

Quando temos esse tipo de imunidade, conseguimos nos tornar observadores dos nossos próprios pensamentos e sentimentos. Podemos identificar o que precisamos, o que não queremos e o que realmente importa. Ao longo do processo de reintegração, ou de não-resistência, nos tornamos mais capazes de tolerar as ideias que assustam. Quanto menos reagimos a elas, mais aprendemos.

Veja, na galeria de fotos a seguir, 7 maneiras de se tornar imune mentalmente e criar resiliência emocional:

  • 1) Adote uma atitude de progresso em vez de perfeição

    Focar em 1% de aperfeiçoamento do seu comportamento ou mecanismos de enfrentamento diariamente é mais efetivo do que tentar revolucionar sua vida radicalmente. E isso acontece por uma única razão: só a primeira das duas alternativas é realmente possível.

  • 2) Cuidado para não se identificar com aquilo que está enfrentando

    Muitas pessoas que passaram suas vidas sofrendo com ansiedade começam a assumir que o traço faz parte da personalidade delas. “Eu sou ansioso” ou frases similares são comuns, mas não necessariamente verdadeiras. Adotar uma ideia pessoal na sua identidade significa que você acredita que é assim essencialmente, o que torna a mudança muito mais difícil.

  • 3) Pare de tentar erradicar o medo

    Espere ter pensamentos relacionados ao medo, mas reconheça que eles nem sempre são reais.

  • 4) Interprete pensamentos perturbadores como símbolos, e não como realidades

    Se você tem medo de dirigir sozinho, de perder o emprego ou ficar preso em algum tipo de desastre natural, considere o que isso pode representar na sua vida. Você, talvez, sinta uma desconexão das pessoas amadas ou inseguro de alguma forma. A maioria desses pensamentos está tentando levá-lo a uma mudança – por isso, você deve honrá-los.

  • 5) Esteja disposto a enxergar a mudança

    Quando as pessoas lutam com algo por longos períodos, é possível que haja resistência para enxergar alguma mudança.Isso ocorre simplesmente por causa da quantidade de tempo em que essas situação vem ocorrendo. O desejo de ver algo mudar, na verdade, inicia a mudança. Se você não pode fazer mais nada em um dia, diga em voz alta: “Estou disposto a ver essa mudança”.

  • 6) Deixe o medo de lado

    Imagine o que você faria com a sua vida se o medo não existisse. Isso é o que você deveria estar fazendo agora. Focar na superação de alguma coisa provoca o fortalecimento do ser humano. Aprender a focar no que realmente importa é o que nos faz seguir em frente.

  • 7) Mantenha-se presente

    Tudo na sua vida que o sabota é produto da falta de vontade de estar presente. Nós compramos, gastamos, comemos, bebemos, sonhamos e planejamos nossa fuga do presente constantemente, o que significa que nunca confrontamos os sentimentos. Estar presente é essencial para desenvolver força mental e saúde emocional, porque nos permite responder aos pensamentos e sentimentos em tempo real, além de confrontar o que nos incomoda antes de adotar mecanismos de defesa que não são saudáveis para erradicar a situação.

1) Adote uma atitude de progresso em vez de perfeição

Focar em 1% de aperfeiçoamento do seu comportamento ou mecanismos de enfrentamento diariamente é mais efetivo do que tentar revolucionar sua vida radicalmente. E isso acontece por uma única razão: só a primeira das duas alternativas é realmente possível.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).