Geral

“Eu sempre quis ser o cara”, afirma CEO da Bombril

“Sempre me cobrei muito. Para mim, 99,9% não são 100%.” Essa frase, dita com frequência por Marcos Scaldelai, 37 anos, presidente da Bombril desde setembro de 2013, demonstra a determinação deste jovem paulista de Catanduva (SP), filho de professores, que estudou em escola pública até a oitava série e chegou ao topo de uma das mais tradicionais empresas de produtos de limpeza e higiene pessoal do país. Com uma receita de R$ 1,6 bilhão e 3 mil funcionários, a Bombril avança pelo Brasil com a força de seu jovem presidente, que conquistou o respeito de Ronaldo Sampaio Ferreira, o dono do negócio, e deixou claro durante toda entrevista que jamais entrou em um jogo para perder.

Formado em propaganda e marketing na ESPM e com MBA em gestão de negócios pela USP, Scaldelai é, conforme se define, focado e otimista – daqueles que diante da tempestade preferem sair às ruas para vender guarda-chuvas a permanecer confortavelmente seco e protegido. “Meus planos são baseados nas grandes oportunidades. Tem que jogar o jogo e olhar o potencial de cada cliente e também do mercado”, revela.

Marcos jamais se contenta com pouco. Seu lema é trabalhar na capacidade máxima para bater metas. Talvez isso explique a razão para ele sempre olhar e se aproximar da área de vendas quando atua­va no marketing. “Não dá pra separar uma coisa da outra.”

Sua história teve início na Nielsen, empresa de pesquisa de mercado, onde ele começou atuando como estagiário até ser promovido a analista de marketing e à conta da General Mills. Graças a uma apresentação inspirada, na qual ele se preparou bastante, o então garoto de 21 anos chamou a atenção do cliente e foi convidado a trabalhar lá dois dias depois. Seguiram-se aí dez anos cheios de aprendizado na empresa e passagens inesquecíveis, como a compra da marca Forno de Minas e a construção da grife de sorvetes Häagen-Dazs no país.

De analista de marketing júnior, Scaldelai evoluiu para sênior, pleno e gerente de produto – e trabalhou com cinco presidentes ao longo de uma década. “Nunca pulei degraus e cargos, o que é importante para o processo de aprendizado. Também sempre executei muito, de forma a ser um destaque em relação à entrega de resultados.”

Tanto que no momento em que se preparava para virar diretor, saiu da companhia levado por Fernando Falco, ex-presidente da General Mills, que assumiu o comando do frigorífico Bertin, mais tarde arrematado pelo JBS. Chegou como diretor de marketing de carnes e lácteos. Poucos meses depois, deu uma entrevista falando sobre inovação em lácteos, o que chamou a atenção de Ronaldo Sampaio Ferreira, dono da Bombril, que pediu para um headhunter ligar para Scaldelai, até então um desconhecido, sondando-o para a vaga de diretor de marketing, pesquisa e desenvolvimento.

Diante da chance de implementar um processo completamente novo e diferente e ser reconhecido, Scaldelai não pensou duas vezes. Em janeiro, começou a trabalhar na Bombril, onde encabeçou o projeto de rejuvenescimento da marca e a criação da barulhenta campanha Mulheres Evoluídas. Dois anos depois, assumiu a diretoria comercial da fabricante e, há pouco mais de um ano, chegou à presidência. “O meu grande desafio como presidente é melhorar operacionalmente a empresa e garantir que ela se prepare para o crescimento dos próximos anos”, conta.

A determinação conta pontos a favor. “Eu sempre quis ser o cara. Tudo que recebi como missão sempre desempenhei muito bem, trazendo resultados e o time da empresa do meu lado.”

Topo