China alerta EUA para não abrirem “Caixa de Pandora” comercial

China diz que as práticas dos EUA podem provocar uma reação em cadeia que vai espalhar o vírus do protecionismo comercial no mundo

A China alertou hoje (29) os Estados Unidos para não abrirem a “Caixa de Pandora” liberando uma série de práticas protecionistas em todo o mundo, mesmo com Pequim destacando bens norte-americanos que pode visar em um aprofundamento da disputa comercial entre os dois países.

LEIA MAIS: Exportações da China em fevereiro têm maior alta em três anos

A China pode mirar uma série de empresas dos EUA, de agrícolas a fabricantes de aeronaves, automóveis, semicondutores e mesmo de serviços, se o conflito comercial aumentar, afirmou o jornal oficial “China Daily” em um editorial.

A medida do presidente norte-americano, Donald Trump, na semana passada, de adotar até US$ 60 bilhões em tarifas sobre algumas importações chinesas, provocou desde então um alerta de Pequim de que pode retaliar com taxas de até US$ 3 bilhões sobre importações dos EUA.

As maiores importações norte-americanas da China são de aeronaves e equipamentos relacionados, soja e automóveis, com a conta total chegando a cerca de US$ 40 bilhões no ano passado.

“As práticas maliciosas dos Estados Unidos são como abrir a Caixa de Pandora e existe o perigo de provocar uma reação em cadeia que vai espalhar o vírus do protecionismo comercial no mundo”, disse um porta-voz do Ministério do Comércio.

VEJA TAMBÉM: UNDER 30 de FORBES Brasil terá indicações online

A posição oficial da China continua a ser austera mesmo com Pequim dizendo que está aberta ao diálogo e a negociações. As respostas de autoridades dos EUA e da China sobre a natureza e extensão das negociações são mistas, como mostra o noticiário.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).