Confiança do comércio no Brasil vai a nível mais alto em 3 anos

iStock
O Índice de Confiança do Comércio (Icom) do Brasil chegou a 96,8 pontos em março (iStock)

A confiança do comércio no Brasil avançou em março para o nível mais alto em quase três anos com retomada das vendas, mas ainda mostra cautela entre os empresários, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) hoje (27).

LEIA MAIS: “Brasil só será uma economia de Primeiro Mundo com continuidade a longo prazo”

Em março, o Índice de Confiança do Comércio (Icom) do Brasil chegou a 96,8 pontos depois de avançar 1,3 ponto, na sétima alta seguida do indicador. Esse é o patamar mais alto desde abril de 2014, quando o índice chegou a 97,8 pontos.

“O primeiro trimestre de 2018 fecha com forte avanço dos indicadores da situação atual em relação ao trimestre anterior, reforçando o quadro de recuperação das vendas que vinha se desenhando desde o ano passado”, disse em nota o coordenador da Sondagem do Comércio da FGV IBRE, Rodolpho Tobler.

Ele ressaltou, entretanto, que no mesmo período houve calibragem das expectativas, “sugerindo cautela por parte dos empresários a despeito das melhoras já ocorridas”.

Segundo a FGV, o principal impulso para a confiança do comércio em março foi dado pela alta de 1,8 ponto do Índice de Expectativas (IE-COM), para 100,2 pontos, voltando à zona de otimismo após dois meses em queda

VEJA TAMBÉM: UNDER 30 de FORBES Brasil terá indicações online

Ao mesmo tempo o Índice da Situação Atual (ISA-COM) subiu 0,7 ponto e foi a 93,5 pontos, melhor nível desde junho de 2014.

Também nesta terça-feira a FGV informou que a confiança da indústria subiu para o maior patamar em cerca de quatro anos e meio. Ainda em março, a confiança do consumidor melhorou diante do aumento na intenção de compra nos próximos meses, em um ambiente no país de inflação e juros baixos que favorecem o comércio.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).