Regulador dos EUA aprova planos da SpaceX de serviços de internet por satélite

O sistema proposto pela empresa privada SpaceX usará 4.425 satélites

O principal regulador de telecomunicações dos Estados Unidos deu hoje (30) uma aprovação formal ao plano de Elon Musk, da SpaceX, de construir uma rede global de internet de alta velocidade usando satélites.

LEIA MAIS: SpaceX consegue aprovação dos EUA para projeto de banda larga por satélite

“Esta é a primeira aprovação de uma constelação de satélites licenciados pelos EUA para fornecer serviços de alta velocidade usando uma nova geração de tecnologias de satélites de órbita baixa”, disse a Comissão Federal de Comunicações em um comunicado.

O sistema proposto pela empresa privada SpaceX, como a Space Exploration Holdings é conhecida, usará 4.425 satélites, disse a FCC.

O chair da FCC, Ajit Pai, disse em fevereiro que apoiava o esforço da SpaceX, dizendo: “Tecnologia de satélites pode ajudar a alcançar americanos que vivem em áreas rurais e difíceis de atingir por cabos de fibra ótica e torres de celular.”

A Administração Federal de Aviação disse na quarta-feira (28) que a SpaceX planeja lançar um foguete Falcon 9 no dia 2 de abril do Cabo Canaveral, na Flórida. “O foguete vai levar um satélite de comunicação”, disse a FAA.

A FCC disse que a SpaceX foi autorizada a usar frequências nas bandas Ka (20/30 GHz) e Ku (11/14 GHz).

Musk, que também é fundador e principal executivo da montadora Tesla, disse em 2015 que a SpaceX planeja lançar um negócio de internet por satélite que ajudaria a custear uma futura cidade em Marte.

VEJA TAMBÉM: UNDER 30 de FORBES Brasil terá indicações online

A SpaceX quer criar um “sistema global de comunicações” que Musk comparou a “recriar a internet no espaço”. Seria mais rápida que as conexões tradicionais de internet”, disse ele.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).