Augusto Cruz recusa presidência do conselho da BRF

Getty Images
“Não fui contatado sobre participar da lista alternativa de nomes para o conselho”, disse Cruz à Reuters

O executivo escolhido pelos fundos de pensão para presidir o conselho da BRF, a maior exportadora de carne de frango do mundo, disse que se recusou a fazer parte de uma chapa alternativa de membros do colegiado da empresa, aprofundando discordância entre os principais acionistas da companhia.

LEIA MAIS: Conselho da BRF indica Luiz Fernando Furlan para substituir Abilio Diniz na presidência

Augusto Cruz, que foi indicado pelos fundos de pensão Previ e Petros para ser presidente do conselho, disse que ficou surpreso ao saber que seu nome havia sido incluído em uma lista alternativa divulgada pela BRF na sexta-feira passada (6). “Não fui contatado sobre participar da lista alternativa de nomes para o conselho”, disse Cruz à Reuters hoje (11), em entrevista por telefone. “Eu não faço parte e não concordo em fazer parte de nenhuma outra composição do conselho”, disse ele.

Cruz disse estar totalmente comprometido com o plano liderado por Petros e Previ para recuperar a BRF depois que a companhia teve prejuízo de R$ 1,1 bilhão no ano passado, seu pior resultado anual. Os fundos detêm 22& da BRF em conjunto.

O executivo também disse que ele informou hoje a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e o departamento de relações com investidores da BRF sobre sua decisão de não se juntar à lista alternativa de candidatos ao conselho de administração.

A BRF se recusou a comentar o assunto. A CVM confirmou ter recebido uma comunicação formal sobre o assunto, mas não deu detalhes.

VEJA TAMBÉM: Roberto Santos assume presidência da Porto Seguro

Uma assembleia extraordinária da BRF está marcada para 26 de abril para eleger uma nova diretoria. Uma mudança na composição do conselho provavelmente vai disparar alterações na diretoria e ser marcada pela saída do atual presidente do colegiado, o empresário Abilio Diniz, que assumiu o posto há cinco anos e detém quase 4% da empresa.

Diniz estava por trás da proposta da lista alternativa de membros para o conselho de administração da BRF, segundo uma pessoa familiarizada com o assunto.

Representantes do executivo não comentaram sobre sua relação com a formação do conselho alternativo.

As ações da BRF acumulam queda de quase 39% neste ano. Hoje, os papéis subiram 5,3%, o melhor desempenho em um mês.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).