Boeing supera estimativa de lucro no 1º trimestre

Ano pode ser recorde graças à crescente demanda por jatos comerciais

A Boeing superou estimativas de lucro no primeiro trimestre e a crescente demanda por jatos comerciais levou a maior fabricante de aviões do mundo a elevar as previsões de fluxo de caixa e lucros em um ano que promete ser recorde.

LEIA MAIS: Nova proposta para aliança Embraer-Boeing avança nas discussões

Ao comentar os resultados, o presidente-executivo da Boeing, Dennis Muilenburg também minimizou preocupações expressas pela gigante norte-americana de exportação de produtos manufaturados Caterpillar sobre o aumento dos custos de matérias-primas, o que poderia pressionar as margens de lucro.

O lucro principal da Boeing, que exclui despesas com planos de pensão, foi de US$ 3,64, ante US$ 2,17 no ano anterior, superando uma previsão consensual de US$ 2,58 por ação, fazendo os papeis subirem mais de 4%.

“Não estamos vendo nada [nos custos] no momento que tenha efeito material “, disse Muilenburg.

A ofensiva do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contra importações de aço e alumínio restringiu a oferta no mercado doméstico, inflacionando os custos dos metais.

Muilenburg disse que não prevê uma guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, já que os dois países parecem estar trabalhando para encontrar soluções negociadas.”Embora algumas declarações iniciais tenham sido feitas sobre tarifas potenciais, nenhuma dessas ações severas foi implementada. E estamos francamente encorajados pelo diálogo contínuo”, disse ele.

LEIA MAIS: Boeing obtém encomenda da American Airlines para 47 jatos 787 Dreamliners

A Boeing era vista por investidores como uma das grandes potenciais perdedoras quando Trump anunciou sobretaxas sobre o alumínio em 8 de março, mas as preocupações arrefeceram e suas ações agora caíram apenas 3% nas seis semanas desde então.

Analistas também dizem que clientes chineses, responsáveis ​​por mais de 20% das vendas da Boeing, não teriam nenhum fornecedor alternativo de aeronaves se as relações comerciais ameaçassem os laços com a empresa norte-americana, porque a rival Airbus tem capacidade limitada de produção rápida e imediata.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).