Brasil já vendeu mais da metade de sua colheita de soja

iStock
O avanço na comercialização ocorre após uma reação nos preços internacionais por causa da quebra de safra na Argentina.

A comercialização de soja da safra 2017/18 do Brasil, em fase final de colheita, atingiu 51,9% da produção projetada, de acordo com monitoramento da Safras & Mercado divulgado.

VEJA TAMBÉM: Exportação de soja do Brasil dispara no início de março, aponta Secex

O índice representa aumento de 8,4% em um mês e supera a taxa de negociação registrada em igual momento do ano passado, de 45,8% da colheita. Entretanto, fica abaixo da média de 55,2% para o período.

O avanço na comercialização ocorre após uma reação nos preços internacionais por causa da quebra de safra na Argentina. O país sul-americano, terceiro maior fornecedor global da oleaginosa, vem reduzindo semana após semana sua perspectiva de produção por causa de uma severa seca.

Na última quinta-feira (05), a Bolsa de Cereais de Buenos Aires cortou sua previsão para a temporada 2017/18 na Argentina para 38 milhões de toneladas, bem aquém das mais de 50 milhões de toneladas esperadas inicialmente.

No Brasil, o cenário é o oposto, com o mercado surpreendendo-se com produtividades elevadas.

LEIA: ADM e Cargill anunciam joint venture em soja no Egito

A Safras & Mercado projeta uma produção recorde de soja no Brasil neste ano, de 117,273 milhões de toneladas. Até o momento, a consultoria registrou negócios de 60,81 milhões de toneladas, considerando-se o percentual de comercialização.

A escalada das tensões comerciais entre Estados Unidos e China, que tende a favorecer as exportações de soja do Brasil, deve ser positiva para as vendas do país.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).