Citigroup tem lucro acima do esperado no 1º trimestre

Resultado foi impulsionado pelo desempenho da área de banco de varejo e aumento nas receitas com corretagem de ações.

O Citigroup teve lucro no primeiro trimestre acima do esperado pelo mercado, impulsionado pelo desempenho da área de banco de varejo e aumento nas receitas com corretagem de ações.

VEJA TAMBÉM: Citi tem lucro trimestral acima do esperado

A receita global de banco de varejo subiu 7%, puxada pelo avanço na América do Norte, México e Ásia. A receita com o mercado acionário subiu 38%, avançando com o aumento da volatilidade no trimestre.

As ações do quarto maior banco dos Estados Unidos em ativos caíam quase 3% na Bolsa de Nova York às 12h36 (horário de Brasília).

As mesas de operações dos grandes bancos dos Estados Unidos, incluindo o Citi, tiveram um primeiro trimestre movimentado, uma vez que a volatilidade abalou os mercados globais em fevereiro, em contraste com a calmaria de 2017, que pesou sobre a receita de corretagem.

O rival maior JPMorgan Chase & Co também informou um aumento de 26% na receita com negociações de ações.

LEIA: Bank of America tem queda de quase 50% no lucro do 4º trimestre

O lucro líquido do Citi subiu 13%, para US$ 4,62 bilhões no primeiro trimestre encerrado em 31 de março.

O lucro por ação foi de US$ 1,68, superando a estimativa média de analistas de US$ 1,61, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

“Nossos resultados do primeiro trimestre demonstram força e equilíbrio em nossa franquia e nos posicionam bem para o resto do ano”, disse o presidente-executivo, Mike Corbat.

A receita total subiu cerca de 3%, para US$ 18,87 bilhões, enquanto as despesas operacionais subiram 2%, para US$ 10,92 bilhões.

E MAIS: Cade aprova compra do varejo do Citi no Brasil por Itaú Unibanco

O aumento na receita com mercados acionários compensou uma queda de 7% na área renda fixa. Combinados, os dois tiveram crescimento de 1%.

O retorno sobre o patrimônio tangível, uma medida de lucratividade, alcançou 11,4%.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).