Demanda por voos da Azul cresce 10% em março

iStock
A Azul fechou o trimestre com 14 jatos Airbus A320neo e afirmou que espera adicionar seis aeronaves à frota neste ano

A companhia aérea Azul informou hoje (9) que a demanda de passageiros por seus voos em março cresceu 10% ante mesmo mês de 2017, impulsionada pelas viagens internacionais.

LEIA MAIS: Azul fecha parceria com francesa Aigle Azur e vai oferecer voos para Paris

Como a oferta de assentos da Azul subiu 9,6% na mesma comparação, a empresa fechou o mês passado com um aumento de 0,4% na taxa de ocupação, a 80,6%.

Por mercados, a demanda por voos domésticos da companhia caiu 2% contra março de 2017, enquanto a oferta diminuiu 2,9% devido à remoção de quatro jatos da Embraer da frota operacional. A taxa de ocupação subiu 0,7%, para 79,2%.

A Azul atribuiu a medida à “estratégia de transformação de frota, que consiste em substituir aeronaves de antiga geração por aeronaves de nova geração”.

Já nos voos internacionais, que estão sendo ampliados pela companhia, a procura por trechos da Azul deu um salto de 69,2%, enquanto a oferta de assentos subiu 80%. Com isso, a taxa de ocupação teve queda de 5,4%, para 84,7%.

VEJA TAMBÉM: Azul quer inaugurar voos para até 35 cidades nos próximos anos

No primeiro trimestre, a taxa de ocupação consolidada teve incremento de 0,8%, resultado da queda de 5,4% nos voos internacionais e do aumento de 1,3% nos domésticos. No trimestre, a demanda subiu 13,4%, enquanto a oferta avançou 12,2%.

A Azul fechou o trimestre com 14 jatos Airbus A320neo e afirmou que espera adicionar seis aeronaves à frota neste ano.

Na semana passada, a rival Gol informou que a demanda e a oferta total da empresa ficaram praticamente estáveis em março no comparativo anual, depois de dois meses de forte expansão.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).