Frenesi com Bitcoin perde força

Criptomoeda pode estar entrando em um período de estabilidade

Depois de disparar, despencar e manter os investidores em suspense, a moeda digital Bitcoin pode estar amadurecendo e entrando em um período de estabilidade, dizem especialistas.

LEIA MAIS: E se o bitcoin for mesmo uma bolha especulativa?

Uma onda mundial de regulamentação levou a um colapso nos volumes de negociação. Os anúncios de criptomoedas estão desaparecendo das principais páginas da internet, e o Bitcoin não domina mais as buscas no Google.

Enquanto investidores tentam descobrir o que o Bitcoin quer ser quando crescer, a criptomoeda mais conhecida está passando por uma crise existencial. “É preciso uma nova narrativa”, diz Nicholas Colas, fundador da empresa de pesquisa de investimentos DataTrek. “Há todas as chances de que, se houver algum tipo de envolvimento institucional, pode haver um movimento para cima.”

O Bitcoin subiu 25% em abril, após ter caído 70% desde o pico de US$ 20 mil no final do ano passado.

O cenário da criptomoeda mudou de fato. Os pequenos investidores que impulsionaram a alta do Bitcoin em 2017 foram apertados por proibições governamentais de negociação e substituídos por fundos de criptomoedas, indivíduos ricos e grandes empresas financeiras.

Esses investidores são menos propensos a perseguir oscilações repentinas e estão mais interessados no potencial promissor, mas ainda não comprovado, da tecnologia blockchain.

LEIA MAIS: 50 Cent nega ter ganho dinheiro com bitcoin

Os volumes médios negociados diariamente nas bolsas de criptomoedas caíram de US$ 9,1 bilhões em março para US$ 7,4 bilhões na primeira quinzena de abril, em comparação com quase US$ 17 bilhões em dezembro, segundo dados compilados pelo site de análise de criptomoedas CryptoCompare.

Bolsas de criptomoedas viram o volume diário de transações cair em mais da metade entre dezembro e março, incluindo Bitfinex, Poloniex, Coinbase e Bitstamp, mostraram os dados.

O dia de maior negociação da criptomoeda foi 22 de dezembro, quando os volumes chegaram a US$ 30 bilhões, segundo o CryptoCompare.

Em 8 de abril, o volume caiu para US$ 4,6 bilhões, o dia mais fraco desde outubro do ano passado.

Joe Duncan, fundador da fintech sediada em Singapura Duncan Capital, espera que os pequenos investidores voltem a negociar, à medida que os governos flexibilizam lentamente suas regras sobre as criptomoedas. “Mas o Bitcoin ainda pode perder parte do domínio no mercado”, disse Duncan.

Thomas Lee, sócio e cofundador da Fundstrat Global Advisors, disse que o mercado de bitcoins está entrando em um “purgatório” entre altas e quedas acentuadas. Ele previu que isso pode continuar pelo menos até setembro.

LEIA MAIS: Site de pornografia aceita pagamento em criptomoedas

Uma questão é que, embora muitas das grandes instituições estejam curiosas sobre como a tecnologia blockchain (que sustenta o Bitcoin) pode revolucionar o setor financeiro, o Bitcoin não é amplamente aceito como moeda e não tem valor intrínseco.

Isso e a intensa volatilidade da moeda tornam difícil para os investidores preverem um preço.

Alguns analistas acreditam, contudo, que o Bitcoin manterá um prêmio como segurança no mundo digital, como é o ouro, enquanto outras criptomoedas serão usadas para comércio. Outros enxergam isso como apenas mais um trunfo.

“Uma das razões para possuir criptomoedas é porque elas são uma proteção eficaz”, disse Sam Doctor, analista de dados da Fundstrat, empresa de pesquisa cujo fundador é um conhecido otimista com Bitcoins, prevendo grandes aumentos este ano. “Até que algo aconteça para refutar essa tese, ninguém vai querer vendê-las enquanto outras classes de ativos estiverem caindo.”

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).