Kroton espera ter 30% da receita no ensino básico

Com a compra da Somos Educação, empresa pretende agregar 35 mil alunos

A Kroton Educacional anunciou ontem (23) a compra da Somos Educação por R$ 4,6 bilhões, ampliando presença no ensino básico segmento no qual espera ter cerca de 30% da receita, além de agregar cerca de 35 mil alunos próprios e marcas fortes como o colégio Anglo.

LEIA MAIS: Kroton acerta compra da Somos Educação por R$ 4,6 bi

A transação é a segunda feita por meio da holding Saber, criada no início de abril pela Kroton para ativos de educação básica. Em abril, a Kroton comprou o Centro Educacional Leonardo Da Vinci, em Vitória (ES), por valor não revelado.

As conversas para aquisição da Somos duraram mais de um ano e meio, até a Kroton convencer a Tarpon Investimentos a vender sua fatia de 73,35% no negócio ao preço de R$ 23,75 por ação, um prêmio de 66% em relação ao preço de fechamento do papel na sexta-feira.

“O contrato foi redigido em três dias, mas o namoro é de longa data”, contou o presidente-executivo da Kroton, Rodrigo Galindo.

O anúncio fez as ações da Kroton subirem 5,26% ontem, a R$ 14,21, no topo do Ibovespa, que avançou 0,06%.

Já os papéis da Somos chegaram a subir mais de 58% antes de fecharem com ganho de 49,3%, a R$ 21,35, enquanto a Tarpon avançou 28,97%.

Se o acordo for aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a Kroton terá 30 dias para oferecer comprar ações dos demais acionistas da Somos, o que pode resultar no fechamento de capital da companhia.

O desembolso total da Kroton pode chegar a R$ 6,3 bilhões caso todos os acionistas aceitem a proposta. O valor será financiado com caixa e uma captação de até R$ 5,5 bilhões por meio de emissão de dívida, afirmou o diretor financeiro da Kroton, Jamil Saud Marques.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).