Natura manterá vendas diretas em expansão internacional

Natura não vai abandonar seu modelo de vendas diretas na expansão internacional da marca

A fabricante de cosméticos Natura não vai abandonar seu modelo de vendas diretas na expansão internacional da marca, disse hoje (10) o presidente-executivo da companhia, João Paulo Ferreira.

LEIA MAIS: Natura lucra 23% mais no 4º trimestre

Além disso, Ferreira reforçou os esforços para rejuvenescimento da marca e digitalização do modelo de negócios da Natura, com o objetivo de chegar ao fim do ano com cerca de 1 milhão de consultoras usando a plataforma digital, ante 500 mil ao fim do ano passado.

“Nossa crença é que todos os formatos de venda se conectam”, disse o executivo durante evento sobre vendas diretas realizado em São Paulo.

Entre as dificuldades para o setor, o presidente da Natura destacou a questão tributária, afirmando que a incerteza afasta investimentos e que a indústria poderia ser mais “pujante” se a regulação fosse mais clara. Ele acrescentou que a formalização do empreendedorismo é outro ponto que ajudaria o crescimento do setor.

Também presente no evento, o presidente da Avon Brasil, David Legher, afirmou que o país tem forte concorrência no setor, o que leva as empresas a investir para entregar serviço diferenciado. Segundo ele, a Avon vê os investimentos no Brasil como de longo prazo.

VEJA TAMBÉM: UNDER 30 de FORBES Brasil terá indicações online

Sobre a economia brasileira, Ferreira, da Natura, afirmou que o processo de melhora em indicadores deve se refletir no consumo. O executivo destacou, contudo, que o consumo no país está longe de atingir os patamares de melhor desempenho vistos há três ou quatro anos.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).