Samsung sinaliza enfraquecimento em celulares

Empresa aposta agora na forte demanda por chips de servidores

A Samsung afirmou ontem (26) que a fraqueza no mercado mundial de smartphones vai pesar sobre os resultados da companhia, que no primeiro trimestre foram impulsionados por forte demanda por chips usados em servidores.

LEIA MAIS: Samsung lança Galaxy S9 com foco em mídias sociais

A Samsung, a maior fabricante de chips de memória, smartphones e televisores do mundo, também sinalizou uma demanda mais suave por telas OLED de smartphones como desafio para o segundo trimestre.

“Gerar crescimento de resultado em toda a empresa será um desafio devido à fraqueza no segmento de telas e um declínio na rentabilidade de telefonia móvel em meio à crescente concorrência no segmento de alta tecnologia”, disse a empresa sul-coreana. “As ações estão subindo, já que as perspectivas da Samsung Electronics para a área de chips de memória parecem mais positivas do que as de outras empresas”, analisa Greg Roh, analista da HMC Investment & Securities. As ações da Samsung encerraram o dia em alta de 3,45%.

A rival sul-coreana SK Hynix e a TSMC citaram cada uma neste mês crescimento mais lento nas vendas de chips para smartphones. A TSMC, importante fornecedora dos iPhones para a Apple, cortou meta de receita na semana passada. Mas a Samsung Electronics, rival e também fornecedora da companhia criada por Steve Jobs, previu a continuação de vendas fortes, não apenas de chips para servidores, mas de processadores para dispositivos móveis.

Sewon Chun, vice-presidente sênior de negócios de chips de memória da Samsung, disse que a tendência em direção a processadores de “alta densidade”, com mais capacidade de processamento e maior capacidade de armazenamento, sustentaria a demanda por chips móveis DRAM e NAND este ano. Segundo ele, essa tendência está sendo motivada por novas aplicações, como jogos de alto desempenho.

A Samsung Electronics informou que o lucro operacional foi de 15,6 trilhões de wons (US$ 14,4 bilhões) no primeiro trimestre, um aumento de 58% em relação ao ano anterior e em linha com o que era esperado companhia. A receita saltou 19,8%, para 60,6 trilhões de wons, também dentro da estimativa.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).