Walmart pode comprar Flipkart na próxima semana

Operação faz parte da estratégia para enfrentar a rival Amazon na Índia

O Walmart pode estar prestes a selar um acordo para comprar uma participação de mais de 51% no marketplace online indiano Flipkart já na próxima semana, segundo disseram hoje (20) duas fontes familiarizadas com o assunto.

LEIA MAIS: Walmart está em conversas para comprar mais de 40% de indiana Flipkart, dizem fontes

A gigante do varejo norte-americano, Walmart, está em conversações com a Flipkart há meses para comprar uma fatia majoritária na empresa e, assim, enfrentar a rival Amazon.com na Índia, mercado em que o comércio eletrônico está inclinado a crescer para US$ 200 bilhões em uma década.

O SoftBank, que detém cerca de um quinto da Flipkart através de seu Vision Fund, não estava disposto a vender parte de sua participação, já que o Walmart estava oferecendo a compra de ações por US$ 12 bilhões, preço que o investidor japonês considerou baixo, como divulgado anteriormente pela Reuters.

Mas esse impasse entre o SoftBank e o Walmart acabou, disse uma das fontes à Reuters hoje. Não ficou claro, no entanto, se o SoftBank havia concordado em vender algumas de suas ações na Flipkart.

A compra de novas ações pelo Walmart deve avaliar a Flipkart em, pelo menos, US$ 18 bilhões.

A Reuters informou neste mês que o Walmart concluiu uma diligência no Flipkart e fez uma proposta para comprar 51% ou mais da empresa indiana por um valor entre US$ 10 bilhões e US$12 bilhões.

Uma terceira fonte disse que o acordo estava próximo, mas as coisas ainda podem se arrastar até a primeira semana de maio.

Todas as fontes recusaram-se a ser citadas porque as conversações não são públicas.

A Flipkart e o SoftBank, não responderam às solicitações de entrevista e um representante do Walmart na Índia se recusou a comentar o assunto.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).