Alibaba fecha compra de 10% da chinesa ZTO Express

Negócio de US$ 1,38 bi é parte da estratégia para entrar no mundo offline

O Alibaba Group disse hoje (29) que liderou um consórcio de investidores para comprar cerca de 10% da empresa de entregas chinesa ZTO Express (Cayman), por US$ 1,38 bilhão, como parte do impulso da empresa de comércio eletrônico para entrar nos serviços offline.

LEIA MAIS: Por que o Alibaba é mais lucrativo do que a Amazon

O consórcio inclui a afiliada de logística de propriedade majoritária do Alibaba, a Cainiao Smart Logistics Network, disseram as empresas em comunicado conjunto, sem divulgar a identidade de outros investidores. Elas disseram que esperam que o acordo seja fechado em junho.

Este é o terceiro investimento do Alibaba em uma empresa de entregas chinesa, depois das compras de participações minoritárias na YTO Express e na Best.

A empresa de e-commerce tem expandido sua rede de logística no país e no exterior enquanto trabalha para diversificar sua base de clientes. Como parte desse esforço, o Alibaba se tornou acionista majoritário da Cainiao em setembro, empresa que fornece suporte logístico para a principal plataforma de e-commerce do Alibaba, o Taobao.

A ZTO detém 1% da Cainiao, que cofundou com o Alibaba e mais de uma dúzia de outras empresas chinesas em 2013.

O presidente do conselho da ZTO, Lai Meisong, disse à Reuters que o último acordo permitiria à ZTO e ao Alibaba compartilhar melhor seus recursos e ajudar a ZTO a cortar custos graças ao acesso a novas tecnologias. Ele disse que a dupla decidiu entrar em um acordo para trabalhar mais de perto nas operações e construir confiança entre os afiliados.

LEIA MAIS: Alibaba supera expectativas na receita no trimestre

A ZTO disse que o Alibaba terá um assento no conselho da empresa. “Essa confiança vai melhorar a eficiência da nossa cooperação”, disse Lai em entrevista por telefone.

A operação de listagem na Bolsa de Nova York da ZTO, com sede em Xangai, no valor de US$ 1,4 bilhão, foi a maior realizada nos Estados Unidos em 2016 e a maior feita por uma empresa chinesa desde a oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) de US$ 25 bilhões do Alibaba em 2014.

As ações da ZTO fecharam em nível histórico recorde de US$ 19,30 na sexta-feira (25), o mais recente dia de negociação, avaliando a empresa em US$ 13,7 bilhões.

A ZTO registrou um aumento de 36% na receita no primeiro trimestre na comparação anual, segundo dados divulgados mais cedo neste mês. A empresa disse que processou 6,2 bilhões de encomendas em 2017, o que representa uma participação de mercado de 15,5%, ante 7,6% em 2011.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).