Ativistas criticam reconhecimento facial da Amazon

Grupos alegam que a tecnologia viola direitos civis e digitais

Vários grupos de ativistas de direitos civis dos Estados Unidos reclamaram hoje (22) que o sistema de reconhecimento facial em tempo real da Amazon.com, o Rekognition, está ajudando o governo a vigiar grandes multidões, violando direitos civis e digitais.

LEIA MAIS: Amazon abre escritório em Buenos Aires

“Exigimos que a Amazon pare de alimentar uma infraestrutura de vigilância do governo que representa uma grave ameaça para clientes e comunidades em todo o país”, escreveram várias organizações, incluindo a American Civil Liberties Union, em carta ao presidente-executivo da Amazon, Jeff Bezos.

O Rekognition ajuda a analisar dezenas de milhões de rostos e detectar até 100 faces em fotos com muitas distorções e conta com o departamento de polícia de Orlando entre seus clientes.

“Este produto representa uma grave ameaça às comunidades, incluindo negros e imigrantes, e à confiança e respeito que a Amazon tem trabalhado para construir”, disse a carta.

A Amazon não respondeu aos pedidos de comentário.

ATUALIZAÇÃO – 24 de maio de 2018

Após a publicação da reportagem, a AWS enviou o comunicado abaixo para a Redação:

“A Amazon exige que os clientes cumpram com a lei e sejam responsáveis ao usarem os serviços da AWS. Quando descobrimos que os serviços da AWS estão sendo usados de maneira abusiva por um cliente, suspendemos o direito desse cliente de usar nossos serviços. O Amazon Rekognition é uma tecnologia que ajuda a automatizar o reconhecimento de pessoas, objetos e atividades em vídeos e fotos com base nos dados fornecidos pelo cliente. Por exemplo, se o cliente fornecer imagens de uma cadeira, o Rekognition poderia ajudar a encontrar outras imagens da cadeiras em uma biblioteca de fotos enviadas por ele. Como tecnologia, o Amazon Rekognition tem muitas aplicações úteis no mundo real (por exemplo, várias agências usaram Rekognition para encontrar pessoas sequestradas, parques de diversões usam Rekognition para encontrar crianças perdidas, o Casamento Real, que ocorreu nesse fim de semana, usou Rekognition para identificar os convidados, etc.) E a utilidade de serviços de inteligência artificial como esse só aumentará à medida que mais empresas começarem a usar tecnologias avançadas como o Amazon Rekognition. Nossa qualidade de vida seria muito pior hoje se proibíssemos novas tecnologias, porque algumas pessoas poderiam optar por fazer um uso abusivo delas. Imagine se os clientes não conseguissem comprar um computador pessoal por que seria possível usá-lo para fins ilegais? Como qualquer um dos nossos serviços da AWS, exigimos que nossos clientes cumpram com a lei e sejam responsáveis ao usar o Amazon Rekognition.”

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).