Banco Central liquida Banco Neon

Reprodução
O Banco Neon detém 0,0038% dos ativos do sistema bancário nacional

O Banco Central decretou hoje (4) a liquidação extrajudicial do Banco Neon por comprometimento da situação econômica-financeira e violações às normas legais e suspendeu as operações de uma fintech associada a ele que levantou, ontem (3), R$ 22 milhões em capital de risco.

LEIA MAIS: Nubank anuncia conta corrente e vira banco digital

A Neon Pagamentos SA – uma startup de tecnologia financeira, ou fintech, que usava a infraestrutura do Banco Neon para processar contas correntes – não foi liquidada, disse o Banco Central. No entanto, ela foi proibida abrir novas contas e seus usuários atuais podem ter suas contas bloqueadas.

Os acionistas controladores do Banco Neon detêm participação de menos de 20% na Neon Pagamentos, disse o BC.

Ontem, a Neon Pagamentos informou que arrecadou R$ 22 milhões, sua maior captação inicial no Brasil, que incluiu a Propel Venture Partners, a Monashees, a Quona Capital, a Omidyar Network, a Tera e a Yellow Ventures.

A intervenção ressalta uma situação delicada para as nascentes fintechs brasileiras, que têm enfrentado uma regulamentação mínima do BC nos últimos anos, mas muitas vezes dependem da infraestrutura de pequenos bancos que sofrem o exame minucioso da autoridade monetária.

As units do Banco Inter, um banco digital que ingressou na bolsa no mês passado, chegaram a recuar quase 10% na bolsa paulista hoje. Às 12h04, os papéis tinham baixa de 4%.

VEJA TAMBÉM: Itaú vai quadruplicar estrutura do Cubo

O Banco Neon não respondeu aos pedidos de entrevista. O site da instituição publicou uma cópia do decreto do BC explicando que a liquidação se deveu à situação financeira e a “graves violações das normas legais e regulatórias”. A Neon Pagamentos não pôde ser contatada imediatamente para comentar o assunto.

O Banco Neon detém 0,0038% dos ativos do sistema bancário nacional e está autorizado a operar como banco comercial. A instituição possui apenas uma agência, localizada em Belo Horizonte, mesma cidade que abriga a sede do Banco Inter.

“Cabe registrar que as irregularidades encontradas no Banco Neon não estão relacionadas com a abertura e movimentação de conta digital ou com a emissão de cartões pré-pagos, objeto de acordo operacional com a empresa Neon Pagamentos”, disse o BC em comunicado.

A Neon Pagamentos, que informou ter 600 mil usuários no Brasil e 190 funcionários, lançou um cartão de crédito no mês passado e transferiu seu controle acionário para uma holding britânica não especificada como parte da rodada de captação de recursos, segundo comunicado à imprensa.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).