Bunge contrata bancos para IPO no Brasil

Oferta pública de ações será para as usinas nacionais de cana

A companhia global de commodities Bunge contratou bancos para preparar uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) para suas usinas brasileiras de cana, mas as chances de um lançamento iminente são pequenas, disseram à Reuters duas fontes com conhecimento do assunto.

LEIA MAIS: Bunge está de saída do negócio de comércio de açúcar, diz CEO

As unidades de investimento dos bancos JPMorgan, Itaú Unibanco e Santander Brasil estão trabalhando com a empresa no negócio.

O diretor-presidente da Bunge, Soren Schroder, disse na semana passada que a empresa pode fazer um pedido sobre a oferta à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) já neste mês.

Os bancos estão começando a preparar a empresa para a oferta, mas o interesse dos investidores parece ser pequeno, já que o excesso de açúcar global derrubou os preços e tornou difícil para as usinas obter lucro, acrescentaram as fontes, pedindo anonimato porque as negociações ainda são privadas.

A divisão de açúcar e bioenergia da Bunge continuou a perder dinheiro no primeiro trimestre, levando a empresa a cortar sua previsão para o faturamento da unidade em 2018 em US$ 10 milhões.

Uma das fontes disse que a volatilidade do mercado também reduz as chances de uma transação em breve. A Bunge e os bancos não quiseram comentar o assunto.

A Bunge tentou vender suas oito usinas brasileiras de açúcar e etanol por quatro anos, mas um processo separado de venda não conseguiu atrair o interesse de investidores estratégicos ou financeiros.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).