Crescimento das vendas online da Best Buy desacelera

Movimento ofusca resultado trimestral forte e derruba ações em 8%

A Best Buy, maior varejista de produtos eletrônicos de consumo dos Estados Unidos, registrou uma desaceleração nas vendas online durante o seu primeiro trimestre fiscal, levando a uma forte queda de suas ações.

LEIA MAIS: Best Buy corta laços com chinesa Huawei, diz fonte

O crescimento das vendas comparáveis ​​online domésticas desacelerou para 12%, ante 22,5% no primeiro trimestre do ano passado.

A vice-presidente financeira da Best Buy, Corie Barry, disse em uma teleconferência com investidores que as vendas online do primeiro trimestre do ano passado se beneficiaram de lançamentos de produtos como o Nintendo Switch e o Samsung S8, e que a empresa ganhou participação no mercado online neste trimestre.

As ações da Best Buy caíam cerca de 8% na tarde de hoje (24), a 69,87%, depois de acumularem alta de quase 11% desde o início do ano.

“O crescimento das vendas online desacelerou significativamente, e a empresa deve investir para apoiar sua evolução ao melhorar a experiência online”, disse Jason Benowitz, analista e gerente de portfólio sênior do The Roosevelt Investment Group.

A Best Buy não revisou sua perspectiva financeira para o ano todo, o que pode também ter levado o mercado acionário a assumir uma desaceleração bastante acentuada no crescimento, disse Benowitz. A companhia reiterou sua perspectiva fiscal feita em março.

LEIA MAIS: Amazon lança casas-modelo para testar Alexa

O presidente-executivo da Best Buy, Hubert Joly, disse que não há nada a ser lido no fato de a empresa não ter atualizado suas perspectivas financeiras para o ano todo, já que a faixa das previsões para este ano é bem ampla. “Nós sentimos que há muito do ano ainda a nossa frente”, disse ele. “Estamos tendendo para o topo da nossa faixa de receita.”

O crescimento geral das vendas foi impulsionado pela forte demanda dos consumidores e maior inovação dos produtos. A demanda por telefones celulares, computadores, tablets e produtos domésticos inteligentes gerou um crescimento de vendas comparáveis para o varejista.

As vendas pelo conceito mesmas lojas subiram 7,1% no primeiro trimestre encerrado em 5 de maio, superando com folga a expectativa média dos analistas para um aumento de 2,9%, segundo a Consensus Metrix. O crescimento, o maior da varejista desde o ano fiscal de 2005, foi beneficiado por uma base de comparação mais fraca no ano passado.

Apesar da desaceleração nas vendas online durante este trimestre, a recuperação da empresa tem sido forte. A Best Buy tem resistido melhor à invasão da Amazon.com melhor do que a maioria dos varejistas.

A Best Buy tem cerca de 15% do mercado de eletrônicos de consumo dos EUA.

LEIA MAIS: A história secreta da negociação bilionária da Beats, de Dr. Dre

O lucro líquido subiu para US$ 208 milhões, ou US$ 0,72 por ação no trimestre, ante US$ 188 milhões ou US$ 0,60 um ano antes. A receita da empresa subiu para US$ 9,10 bilhões, superando as estimativas de US$ 8,74 bilhões.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).