Cyrela vê recuperação lenta na economia

Empresa diz que a redução de juros ainda não chegou ao consumidor final

A Cyrela avalia que a recuperação da economia está ocorrendo de maneira lenta e gradual, mas a redução dos juros promovida pelo Banco Central ainda não chegou completamente aos compradores de imóveis, em meio a um quadro de baixa competição no setor bancário.

LEIA MAIS: Cyrela fecha 2017 com prejuízo de R$ 95 milhões

“Os juros na ponta ainda não acompanharam a queda. A gente gostaria que tivesse caído mais na ponta, para o cliente.. Se tivesse mais competição, os juros cairiam mais”, afirmou o copresidente da Cyrela, Raphael Horn, hoje (11) em teleconferência com analistas.

A companhia, especializada em imóveis de alto padrão, divulgou na noite de ontem (10) prejuízo de R$ 51 milhões para o primeiro trimestre, ante lucro de R$ 4 milhões obtido um ano antes. As ações recuavam 3,3% às 14h43, ante baixa de 0,24 % do Ibovespa.

Segundo Horn, apesar da lentidão da queda dos juros até os consumidores, “o cliente já percebeu que o Brasil parou de afundar e que estamos em um bom momento para comprar imóvel. As coisas estão melhores do que antes”.

Em meio à recuperação gradual da economia, a Cyrela está vendo espaço para dividendos adicionais no segundo semestre, disse o diretor de relações com investidores da companhia, Paulo Eduardo Gonçalves.

“À medida que conseguirmos tomar novas dívidas, vamos pensar em uma segunda rodada de dividendos e aí, ano que vem, a ideia é que estes dividendos sejam maiores”, acrescentou

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil (copyright@forbes.com.br).